sexta-feira, 27 de setembro de 2019

O Mistério da Minha Irmã, de Tracy Buchanan - Novidade Bertrand Editora

O Mistério da Minha Irmã

Género: Literatura / Romance
Tradução: Fernanda Oliveira
N.o de páginas: 328
PVP: € 16,60
ISBN: 9789722537841
Data de publicação: 27 de setembro de 2019

Sinopse
As recordações que Willow tem dos pais são cheias de sorrisos, ternura, sol e gargalhadas. Porém, quando recebe um misterioso convite que a leva a uma exposição de fotografia, é confrontada com um segredo sombrio, que aparentemente todos têm tentado esconder-lhe, sobre um trágico acidente que aconteceu há anos. Willow é obrigada a questionar tudo o que sabe sobre Charity, a mãe que perdeu ainda criança, e Hope, a tia com quem vive desde então. Qual a relação entre este enigmático fotógrafo e os pais de Willow? Porque é que Hope não quebra o silêncio? Para seguir em frente, Willow precisa de respostas. Mas já não sabe em quem confiar...

Tracy Buchanan é uma ciberjornalista especializada em redes sociais que mora em Milton Keynes no, Reino Unido, com o marido, a filha e o Jack Russell zarolho da família. Tracy viajou imenso enquanto trabalhava como editora de uma revista de viagens, saciando a vontade de viajar que foi crescendo ao ouvir as histórias de infância dos seus avós do Sri Lanka... a mesma vontade de viajar que agora a inspira a escrever.

Pode comprar o livro aqui.

quarta-feira, 25 de setembro de 2019

[A minha Opinião] Lá, Onde o Vento Chora

Lá, Onde o Vento Chora

Lá, Onde o Vento Chora é o romance de estreia de Delia Owens. E que forma absolutamente única de começar. 

Não me recordo de ter lido, nos últimos tempo, um romance onde a natureza desempenhasse um papel tão activo na história. O pantanal, local onde se desenrola toda a narrativa é, a meu ver, também ele, uma personagem e de grande importância. É reconfortante ler sobre a natureza e a forma como ela encontra o seu tempo, o seu espaço. Em como nos ensina tanto sobre a natureza humana olhando com atenção para a vida animal e natural.  

Além da figura imponente do pantanal, há outra figura grandiosa, Kya. Uma menina que acompanhamos desde os seus seis anos. Todos os familiares, que são a sua base, a sua segurança, tudo o que conhece, um a um, irão abandoná-la. Kya, desde tenra idade, aprende a cuidar de si própria e a isolar-se do mundo, que a vê como pessoa indesejada, incómoda. 

Ao longo das páginas vamos acompanhando a negligência da sua família, que a abandona, mas também a negligência de uma comunidade, que prefere ignorar e virar a cara, a uma menina que tudo o que quer é sentir-se acolhida, querida, bem-vinda. Os anos passam e Kya habitua-se à solidão do pantanal e da sua vida. É nessa solidão que aprende a observar a natureza que a rodeia e a tirar dela muitos ensinamentos de vida. 

Delia Owens fez descrições maravilhosas do pantanal. Não se assustem quando falo em descrições. Não são nada cansativas, pelo contrário, há um certo encantamento ao lê-las. Muitas vezes me imaginei dentro do pequeno barco, com Kya, nas suas viagens pelo pantanal. 

A escrita da autora é apelativa. Há passagens belas, emotivas, educativas. As personagens secundárias criadas, apesar de não terem tanta atenção como Kya, são personagens que enriquecem a história. Muitas delas trazem aquele lado humano que gostamos, são solidárias, atentas ao próximo, empáticas. São muitos os temas sensíveis abordados pela autora,  como negligência familiar, violência, alcoolismo, racismo. A autora aborda-os de maneira inteligente e convida o leitor a reflectir sobre eles. 

Apesar de ser uma história cruel de abandono, que parte o coração do leitor, é também uma história de superação, resiliência, coragem e acima de tudo, de amor. 

Lanço-vos o desafio de apanharem este barco e serem conduzidos até ao pantanal. Kya espera-vos com uma importante lição de vida. A viagem é inesquecível e quando o barco é ancorado ao porto, para a leitura do último capitulo, as surpresas ainda acontecem. 

Boa leitura!  

🌟🌟🌟🌟
4,5

terça-feira, 24 de setembro de 2019

Quase a chegar às livrarias - Nome de Código - Traição

Nome de Código - Traição

Disponível a 1 de Outubro 

Sinopse
Stephanie Maddox desempenha a sua função de sonho: vigiar os poderosos e denunciar a corrupção dentro do FBI. Para lá chegar, precisou de vinte anos de trabalho árduo, empenho e sacrifícios pessoais, o mais importante dos quais, a ausência de um relacionamento próximo com Zachary, o filho adolescente. Um dia, ao arrumar o quarto do filho, Steph fica abalada ao descobrir uma pistola escondida no guarda-fatos. Uma pistola carregada. Alguém bate à porta, é um colega do departamento de combate ao terrorismo interno que pronuncia algumas palavras devastadoras: «Isto tem a ver com o Zachary.».

Opinião do livro Tenho de Saber aqui.

Pode comprar o livro aqui.

segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Perdidos no Quarteirão Espanhol, de Heddi Goodrich - Novidade Planeta

Perdidos no Quarteirão Espanhol

ISBN: 9789897772405 
Ano de edição ou reimpressão: 09-2019 
Editor: Editorial Planeta
Encadernação: Capa mole 
Páginas: 440
PVP: 20,95€

Sinopse
Contada com a intimidade e a ferocidade dos romances napolitanos de Elena Ferrante e ambientada no bairro apaixonado, intenso e decadente, conhecido como o bairro espanhol de Nápoles, eis um romance de dois estudantes em busca de amor e pertença à cidade a que tão desesperadamente querem chamar casa. 

Uma rapariga americana em Nápoles, mas não uma rapariga qualquer. Heddi, estudante de Linguística no Istituto Universitario Orientale, não veio para um rápido passeio turístico, mas sim para uma incursão que a leva a possuir da cidade, da língua, do dialecto um conhecimento profundo, impressionante, que nasce da empatia, de uma necessidade de enraizamento e do entusiasmo da juventude.

Na companhia de um colorido grupo de estudantes de vários lugares, de outros cursos e eternos alunos, Heddi vive no Quarteirão Espanhol, onde a vida nas casas antigas custa pouco, onde se mora em apartamentos periclitantes e nada seguros, que parecem esmagar-se uns aos outros, fugindo da multidão e dos becos indestrinçáveis, construções ilegais, que surgem abrindo-se sobre o céu e o vulcão, em varandas e terraços onde é agradável assomar para tiritar de frio, fumar e discutir.

O amor por Pietro, estudante de Geologia, que vem da província, do interior da Campânia, filho de uma família de camponeses, antes emigrada, tendo regressado mais tarde, gente ligada à terra por um vínculo obstinado, primitivo.

Este romance, escrito num italiano literário de rara beleza, e surpreendente, considerando que a autora é de expressão inglesa, é uma história de amor, por uma cidade e por um rapaz.

Heddi Goodrich nasceu em Washington em 1971. Visitou pela primeira vez Nápoles em 1987 para um intercâmbio cultural e, excepto por breves períodos nos Estados Unidos, viveu lá até 1998. 
Formou-se em Línguas e Literaturas Estrangeiras. É professora e tem um blogue bilingue sobre traduções, literatura e curiosidades do italiano e do inglês. Vive em Auckland, Nova Zelândia, com o marido e os dois filhos.

Pode comprar o livro aqui.

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

[A minha Opinião] O homem dos sussurros

O homem dos sussurros

"O homem dos sussurros", foi o livro escolhido para a quarta leitura conjunta, organizada no blogue (Grupo Desafio de Leitura Manta de Histórias 2019). Livro votado pela grande maioria e que foi uma excelente escolha. 

O que dizer deste thriller? Steve Cavanagh diz que é "O melhor thriller da década." Eu não confirmo nem desminto. O que posso vos dizer é que foi um dos melhores thrillers que li nos últimos tempos. 

Tenho de dar os parabéns ao autor Alex North, pela forma brilhante como pensou e escreveu esta história. Dei por mim muitas vezes a questionar que livro era este: um drama familiar, um livro de sobrenatural, um thriller, um policial? Cheguei à conclusão que é a junção de todos eles.  

Nesta história conhecemos Tom Kennedy, um escritor, e o seu filho, Jake. Ambos mudam para uma pequena localidade chamada Featherbank, após o falecimento da mulher de Tom. É depois desta mudança que o pequeno Jake começa a agir de maneira estranha. Diz ouvir sussurros e Tom apanha-o várias vezes a falar sozinho. Será que se passa algo de errado com Jake? Estará ele em perigo? 

Conforme se vai avançando na narrativa, é cada vez mais complicado largar o livro. Em cada capítulo vão sendo lançados novos pormenores, pistas, vai-se descobrindo mais sobre as personagens, sobre acontecimentos passados, sobre a localidade e sobre a casa onde vive agora Tom.  

A linguagem usada por Alex North é cativante, em alguns momentos causa tensão e alguns sustos (por isso li sempre o livro durante o dia, ah ah ah ah ). Gostei das personagens presentes no livro, Tom um homem a lutar contra a perda da mulher e a tentar ser o melhor pai possível. Jake, um menino que sente imensa falta da mãe e que se sente diferente da maioria das crianças. Depois temos Pete, um policia assombrado pelo seu passado e que vive constantemente em luta consigo próprio. Frank Carter, é o vilão da história e o responsável pelos famosos sussurros à janela. Haverá mais algum vilão? 

Só não dou as 5 estrelas bem redondas, porque não gostei muito do final. Mas lá está, esta é uma opinião. Muitos outros leitores poderão achar o final adequado. 

Uma coisa é certa, só vos posso recomendar, e muito, este thriller. Dos melhores lidos este ano. Excelente aposta da Topseller. 

Boas leituras!   

🌟🌟🌟🌟
4,5

Gestão de Redes Sociais para Empresas, de Ana Mendes - Novidade Marcador

Gestão de Redes Sociais para Empresas


Subtitulo: Casos práticos de empresas e empreendedores portugueses
Data de publicação: 18-09-2019
Colecção: Marcador Gestão e Informática
Número na coleção: 18
Edição: 1
Número de páginas: 200
ISBN: 9789897544163
PVP: 15,90€

Sinopse
A crise económica em Portugal foi uma oportunidade para milhares de portugueses criarem novos projetos empresariais nas mais diversas áreas, utilizando ferramentas de Marketing Digital e especialmente das redes sociais para os divulgarem com sucesso.

Este projeto consiste em expor as boas práticas da gestão das redes sociais, ilustrando-as com histórias de projetos 100% nacionais.

Um livro vivo com histórias de sucesso e orientações muito práticas para quem faz a gestão das redes sociais da sua empresa, marca ou projeto.

«Este livro tem como grande objetivo a partilha, não apenas do conhecimento da autora, mas sobretudo de exemplos práticos que compõem uma grande parte do livro, pois, na realidade, pretende-se fazer perceber como diversas pessoas em diversas áreas e atividades interpretam e trabalham as redes sociais de forma bem-sucedida.»

Ana Mendes é uma das formadoras pioneiras em Portugal nas Apps Facebook. Atualmente é Consultora de Marcas Portuguesas (e não só) no âmbito da Estratégia de Gestão de Redes Sociais e Publicidade no Facebook, Instagram e Messenger. É Certified Planning Professional, profissional acreditada pelo Facebook. Licenciada em Marketing e em Direito com pós-graduação em Marketing Digital e em Marketing Relacional. Foi nos EUA que durante 4 anos teve oportunidade de se formar presencialmente com alguns dos profissionais de referência mundiais nesta área, destacando Dennis Yu, Jon Loomer, Ryan Deiss, Brian Carter entre tantas outras referências.
A sua vida profissional foi dedicada ao Marketing enquanto Marketing Manager em 2 multinacionais francesas.

Saiba mais sobre o livro no site da Editorial Presença aqui.

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

O Apicultor de Alepo, de Christy Lefteri - Novidade ASA

O Apicultor de Alepo

ISBN: 9789892346281 
Ano de edição ou reimpressão: 09-2019 
Editor: Edições Asa 
Páginas: 320
PVP: 16,90€

Sinopse
Nuri é apicultor; a sua mulher, Afra, uma artista. Vivem uma vida simples, com uma bela família e amigos, na bonita cidade Síria de Alepo. Até que o impensável acontece. Quando tudo aquilo que lhes importa é destruído pela guerra, são forçados a fugir. 

Mas aquilo que a Afra viu é tão horrível que ela fica cega, e por isso embarcam numa perigosa viagem pela Turquia e Grécia, até ao futuro incerto no Reino Unido. Na travessia, o Nuri agarra-se à esperança de reencontrar o seu primo Mustafa, e sócio nos negócios, que criou apiários na Inglaterra e que ensina apicultura aos refugiados em Yorkshire. Nuri e Afra viajam por um mundo despedaçado e têm de confrontar a indizível dor da sua perda, enquanto enfrentam perigos que assustariam a mais corajosa das almas. 

Acima de tudo — e talvez esta seja a coisa mais difícil que eles enfrentam —, têm de se encontrar um ao outro. Comovente, poderoso, escrito com enorme beleza e compaixão, O apicultor de Alepo é um testemunho do triunfo do espírito humano. Contado de uma forma clara, é o tipo de livro que nos recorda o poder das boas histórias.

Christy Lefteri cresceu em Londres e é filha de refugiados cipriotas. É professora de escrita criativa na Universidade de Brunel. O Apicultor de Alepo teve origem no seu trabalho como voluntária num centro da Unicef de apoio aos refugiados em Atenas. Livro inspirado na sua história de vida.

Pode comprar o livro aqui.

terça-feira, 17 de setembro de 2019

O Dia do Assassínio, de Annie Ward - Novidade Planeta

O dia do assassínio

ISBN: 9789897772825 
Ano de edição ou reimpressão: 09-2019 
Editor: Editorial Planeta
Páginas: 376
PVP: 18,85€

Sinopse
Há sempre dois lados para a mesma história… e para cada pessoa.

Coisas que me assustam: Quando o Charlie chora. Quando o Ian bebe vodca na cave. Ou quando não acorda. Quando alguém mata miúdos numa escola.

Dezasseis anos de amor, aventura e suspeita acabam quando um telefonema histérico para o 112 pede ajuda à polícia, que se vai deparar com uma casa inundada de sangue. A agente Diane Varga está perto e aceita a incumbência de ir à casa e atender o pedido de socorro. Quando sabe que o sargento Shipps também está a caminho, fica muito aliviada, pois não sabe o que a espera.

Quando chega à casa vê um rasto de sangue e entra. Encontra um menino de três anos, Charlie, vivo e um corpo na cave. A mãe de Charlie, Maddie, e a amiga estão cobertas de hematomas e de sangue.

Seis semanas antes do assassínio, quando fazia terapia após um acidente horrível num acampamento, Madeline Wilson aos poucos começa a revelar o medo que sente do marido, Ian, segurança privado, e a preocupação com o bem-estar do filho e a sua amizade com um operacional da CIA.

Dos Balcãs a Inglaterra, do Iraque a Manhattan e, por fim, a uma família normal no Kansas, dezasseis anos de amor, aventura e suspeita culminam em terror. 

Annie Ward é bacharel em Literatura Inglesa pela UCLA e tem um mestrado em Escrita de Argumentos pelo American Film Institute. 
O seu primeiro guião, Strange Habit, com Adam Scott, foi seleccionado pelo Sundance Film Festival e vencedor do Grand Jury Award no Aspen Film Festival. Ganhou uma bolsa Fulbright Scholarship e An Escape to Create Artists. Mora no Kansas com a família.

Pode comprar o livro aqui.

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

As Filhas do Capitão, de María Dueñas - Novidade Porto Editora

As filhas do capitão

ISBN: 978-972-0-03218-8
Edição ou reimpressão: 09-2019
Editor: Porto Editora
Páginas: 576
PVP: 18,80€

Sinopse
Nova Iorque, 1936: o pequeno restaurante O Capitão abre as portas na rua 14, um dos enclaves da colónia espanhola que sobrevive na grande cidade americana. 
A morte acidental do seu dono, o libertino Emilio Arenas, obriga a que as suas filhas indomáveis assumam as rédeas do negócio, enquanto nos tribunais se resolve a herança. 
Abatidas pela súbita necessidade de sobreviver, as temperamentais Victoria, Mona e Luz Arenas abrirão caminho através das adversidades, decididas a transformar um sonho em realidade. 
Com uma leitura tão ágil quanto envolvente e emocionante, As Filhas do Capitão conta-nos a história de três jovens espanholas que se veem obrigadas a cruzar um oceano, instalando-se numa cidade deslumbrante, e lutando com bravura para encontrar um caminho. 
Baseado numa história real, este romance é também um tributo a todas as mulheres que resistem, mesmo quando os ventos sopram em desacordo, e uma homenagem aos valentes que viveram – e vivem – a aventura, simultaneamente épica e quase sempre incerta, da emigração.

Sobre a autora
É doutorada em Filologia Inglesa. Depois de duas décadas dedicadas à vida académica, irrompeu pelo mundo literário em 2009, com O tempo entre costuras, o romance que se tornou um fenómeno editorial e cuja adaptação televisiva alcançou um sucesso insuperável. Os seus romances posteriores, Recomeçar e As vinhas de La Templanza continuaram a cativar os leitores e a crítica. 
Traduzida em mais de 35 línguas e com milhões de exemplares vendidos, a autora converteu-se numa das escritoras de língua espanhola mais estimadas no mundo. Este é o seu quarto romance.

Pode comprar os livros da autora, em promoção, no site da Wook aqui.

sexta-feira, 13 de setembro de 2019

[A minha Opinião] Amor em 59 poemas

Amor em 59 poemas

Poesia não é, de todo, a minha praia. Leio muito pouca. Como é que acabei por ler este "Amor em 59 poemas"? Por causa de um desafio de leitura que organizei e uma das categorias é poesia.

A Suma de Letras, publicou esta colectânea de poemas, em Janeiro de 2018. Só agora, com o calor do mês de Agosto, me desafiei a ler estes poemas. 

Esta colectânea reúne poemas de diferentes poetas, séculos, nacionalidades, movimentos artísticos. Todos os poemas têm algo em comum: a exaltação do amor em todas as suas fases e faces. 

Houve poemas com os quais me identifiquei mais do que outros, mas nunca deixou de ser uma bela viagem. Além dos poemas, serviu também para ler pequenas biografias sobre todos estes autores. Todos eles marcaram a época em que viveram, e ainda nos dias de hoje, continuam a marcar quem os lê. 

Vale a pena estes desafios de leitura. Saí da minha zona de conforto e acabei cativada pelas palavras de amor de todos estes poetas. 

Boas leituras!    

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

[A minha Opinião] O Silêncio das Águas

O Silêncio das águas

O Silêncio das Águas foi umas das novidades de Abril, da Editorial Presença. Assim que vi a capa e li a sinopse, quis ler o romance. Serviu também de incentivo extra, as efusivas opiniões que fui vendo pelas redes sociais, de leitoras que já tinham lido o livro em inglês. Todas essas leitoras incentivavam à leitura do livro, dizendo que era maravilhoso. 

Acabei por não ler o livro logo em Abril, mas em Agosto. Precisava de ler um romance, para ir alternando com os thrillers, e este foi o escolhido. 

O que é que vos posso dizer sobre o livro? A história construída por Brittainy C. Cherry, é próxima ao coração da autora. Ela inspirou-se em vivências próprias para construir a personagem principal Maggie May. Maggie era uma rapariga extremamente vivaça quando era criança, até que um momento traumático e marcante muda a sua vida. É esse momento que irá definir toda a sua vida e a pessoa em que se transforma ao longo dos anos. Bem próximo de Maggie, está sempre Brooks Griffin, um amigo atento, que a apoia nos bons e maus momentos. 

Maggie é daquelas personagens que nos rouba o coração. Então porquê? Porque é uma leitora voraz. São deliciosas as passagens que falam de livros. Há referências a livros, que todos nós leitores reconhecemos e já os lemos. A forma como os livros salvam a Maggie, é algo que nos toca o coração, sendo nós também leitores. 

Quanto a Brooks, é o rapaz porque todas as raparigas e depois mulheres suspiram. Vive a música como se a respirasse. Passa um pouco dessa paixão a Maggie, que muitas vezes se deixa acalmar através dela. 

Da bela e dolorosa história construída pela autora, sai um belo elogio ao amor, a todos os tipos de amor, mas com uma maior incidência no amor romântico. Sai também uma história de luta e de sobrevivência de Maggie. Sai, acima de tudo, destas páginas, uma mensagem de esperança. "O mundo continua a girar porque o teu coração continua a bater."

Foi tão fácil agarrar-me a esta história. Foi fácil ir passando as páginas. Foi fácil sentir empatia pelas personagens. Foi difícil ler os momentos mais angustiantes. Foi difícil separar-me das personagens. 

Se adoram livros. se adoram música, se gostam de uma bela história de amor, este é um livro a ler. 

Fico a aguardar por próximos livros da autora. 

Boas leituras!

🌟🌟🌟🌟

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

[A minha Opinião] Deixa-me mentir

Deixa-me mentir

Clare Mackintosh não é, para mim, uma autora desconhecida. Já tive oportunidade de ler o seu primeiro livro, Deixei-te ir, e por isso a curiosidade em ler esta sua mais recente obra.

Gosto de thrillers psicológicos e quando vi referido na capa que era o thriller psicológico do ano, fiquei curiosa. Correspondeu ao anunciado? Isso é o que vou passar a dizer-vos. 

A premissa da história tinha tudo para criar grande mistério. "Para a polícia foi suicídio. Para Anna foi homicídio. Ambos estão errados." Até aqui tudo bem! O objectivo foi realmente conseguido? Acho que não. Na minha humilde opinião, não se pode considerar este thriller, um thriller psicológico. 

Para começar, não gostei do tamanho de letra escolhido. É logo desmotivador. Em livros de bolso compreende-se a escolha do tamanho de letra. Nestes livros maiores, não concordo. Devia oferecer-se mais conforto ao leitor. 

Ignorando o tamanho de letra e mergulhando na leitura, para mim foi um grande desafio. A meu ver, as primeiras 150 páginas são aborrecidas. A história não avança grande coisa. Vai-se arrastando sem acontecimentos muito marcantes. Esse facto desmotivou-me e fez-me perder a vontade de voltar à leitura. Lá insisti, continuei e nos capítulos finais, a autora lá me ofereceu a intensidade pedida a um thriller. Com acontecimentos relevantes, com descobertas motivadoras. 

Das personagens, normalmente menciono as principais, porque na maioria das vezes, me identifico com elas. Neste caso irei mencionar duas personagens secundárias, Murray, investigador do caso e a sua mulher Sarah. Fazem uma dupla cativante, apesar de todos os problemas que enfrentam enquanto casal. Para mim, a história de ambos e a forma como Murray conduziu a investigação, foram o ponto forte desta história. 

Concluindo, não foi um livro que me tivesse arrebatado ou tirado o sono. Reconheço que a premissa da história é muito boa, mas não foi explorada da melhor forma pela autora. O final da história alguns poderão gostar. Para mim não fez muito sentido. 

Se são fãs da autora, e apesar da minha opinião menos abonatória, recomendo-vos a tirarem as vossas próprias conclusões. Duas pessoas nunca lêem o mesmo livro da mesma forma. 

Boas leituras! 

Opinião do livro Deixei-te ir aqui

🌟🌟🌟

terça-feira, 10 de setembro de 2019

[A minha Opinião] A Rapariga sem Nome


A Rapariga sem Nome, é o livro de estreia da série Tess Winnett, uma agente especial do FBI. 

Li este livro numa leitura conjunta com mais de 30 outros leitores. Uma coisa vos posso dizer, foi complicado parar nos capítulos estipulados e não continuar a ler. 

Gostei da escrita de Leslie Wolfe, da divisão dos capítulos, sempre pequenos, que permite avançar rapidamente na leitura. Gostei do ponto de partida da história, uma morte perturbadora levada a cabo por um assassino astuto. As personagens cativaram, principalmente a agente Tess Winnett, que é uma mulher inteligente, decidida, forte, intuitiva e ao mesmo tempo frágil e emotiva. 

Do que menos gostei foi de se ter descoberto o assassino um pouco cedo. Poderia ter-se prolongado o mistério um pouco mais. Sendo a personagem Tess, o foco principal de uma futura série de livros que irá sair, achei demasiado precipitado, a autora ter escolhido revelar o segredo de Tess logo no primeiro livro. O facto de não terem sido mais desenvolvidos os motivos que levaram o assassino em série a fazer o que fez. E por último, a forma apressada como foi arrumado o final da história. 

No geral, o balanço é positivo. Continuo interessada em seguir a autora e esta série, esperando que o próximo livro, seja bem melhor que este primeiro.  

Não sei se será um dos melhores thrillers de sempre, como anunciam na capa do livro, ou o fenómeno literário do ano. O que sei é que gostei da leitura e da mulher forte que é Tess. 

Boas leituras! 

🌟🌟🌟🌟

sexta-feira, 6 de setembro de 2019

A rapariga esquecida, de Bart Van Es - Novidade Vogais

A rapariga esquecida


SBN: 9789896685584 
Ano de edição ou reimpressão: 09-2019 
Editor: Vogais 
Páginas: 304

Sinopse
Lien tinha 8 anos quando os pais abdicaram dela na esperança de a salvarem. Criada por uma família de acolhimento durante a ocupação da Holanda na Segunda Guerra Mundial, sobreviveu, mas os seus pais biológicos morreram em Auschwitz. Muitos anos depois, um mal-entendido levou a família adotiva a afastar-se, até Bart van Es — neto dos pais adotivos de Lien — a resgatar do esquecimento. Agora nos seus 80 anos, Lien acedeu a conversar com o autor e a contar a sua história. Há coragem, generosidade e sacrifícios, mas há também um lado negro. De todos os países ocupados, a Holanda foi o mais cooperante com o regime nazi. Ao mesmo tempo que famílias salvavam crianças judias acolhendo-as no seu seio, as autoridades holandesas perseguiam com zelo excessivo todos os judeus. Dos 400 antigos judeus portugueses, por exemplo, tão profundamente enraizados no país, só oito regressaram dos campos de concentração. A Rapariga Esquecidaé a história da luta pela sobrevivência de uma jovem durante a guerra, do profundo amor das famílias adotivas pelas crianças que salvaram e de como o caráter das pessoas é definido pelos desafios que elas enfrentaram. 

Bart van Es é professor de Literatura Inglesa na Universidade de Oxford e fellow do St. Catherine’s College. É autor de vários livros sobre o poeta Edmund Spenser e o dramaturgo William Shakespeare. Tem também publicado artigos sobre historiografia da Renascença e poesia pastoral. Nasceu na Holanda e vive agora com a família em Inglaterra.  

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Quase a chegar às livrarias - Milkman

Milkman Anna Burns

Disponível a 19 de Setembro

Sinopse
Nesta cidade sem nome, ser interessante é perigoso. A irmã do meio, protagonista deste romance, empenha-se em evitar que a sua mãe descubra a identidade do namorado e em não dar explicações sobre os encontros com o leiteiro. Mas quando o cunhado descobre a situação e começa o rumor, a irmã do meio torna-se «interessante». A última coisa que queria ser. Porque, nesta cidade, ser interessante implica que te prestem atenção e isso é perigoso.

Num original misto de inocência e perspicácia, com um estilo único, torrencial e anónimo muito próprio da oralidade, a narradora partilha com o leitor a sua vida, profundamente marcada pela violência física e psicológica.

Milkman, de Anna Burns, é uma comovente história feita de rumores e falatório, de aceitação e resistência, de silêncio e surdez intencional, que decorre no auge dos conflitos entre as duas irlandas e que espelha o que de pior há no ser humano.

Pode comprar o livro aqui.

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

O Dom da Morte, de M. J. Arlidge - Novidade Topseller

O Dom da Morte

AUTOR M. J. Arlidge
ISBN 9789896685768
PVP 20,99 € 
1ª EDIÇÃO setembro de 2019
EDIÇÃO ATUAL 1.ª
PÁGINAS 416

Sinopse
Adam Brandt é um psicólogo forense, bastante habituado a lidar com os membros mais perturbados da sociedade. Mas Adam nunca conheceu ninguém como Kassie.

A adolescente afirma ter um dom terrível - basta-lhe olhar diretamente nos olhos de alguém para saber quando essa pessoa irá morrer. E de que forma isso irá acontecer. Obviamente, Adam sabe que Kassie deve sofrer de algum distúrbio mental. É nesse momento que um assassino em série ataca a cidade. E só Kassie parece saber quem ele vai matar em seguida.

Contrariando a sua intuição, Adam começa a acreditar em Kassie. Apenas não tem consciência de quão fatal a sua fé pode vir a ser?

M. J. Arlidge trabalha em televisão há mais de 15 anos, tendo-se especializado em produções dramáticas de alta qualidade.
Nos últimos anos, produziu um grande número de séries criminais passadas em horário nobre na ITV, rede de televisão do Reino Unido. Escreveu ainda uma série policial para a BBC, além de estar a criar novas séries para canais de televisão britânicos e americanos.
Os seus livros, traduzidos para várias línguas, são autênticos êxitos de vendas e têm recebido críticas excelentes de todos os meios de comunicação social internacionais.

terça-feira, 3 de setembro de 2019

Quase a chegar às livrarias - Crime, Disse o Livro

Crime, Disse o Livro

Disponível a 4 de Setembro

Sinopse
Existem vários mistérios por resolver dentro das páginas deste livro. Tudo começa quando Susan Ryeland se senta para ler o manuscrito do autor mais vendido da editora onde trabalha. Porém, a narrativa termina abruptamente no ponto em que o detetive da história está prestes a revelar o assassino, levando por isso Susan a procurar os capítulos perdidos. Mas este é apenas o ponto de partida de um dos mistérios…

Extraordinariamente bem concebido e bem escrito, em Crime, disse o livro encontramos duas histórias que correm em paralelo, personagens interessantes e autênticas, tramas sólidas, inteligentes e bem estruturadas, várias reviravoltas e, por fim, um desenlace absolutamente surpreendente.

E se um mistério dentro de outro mistério significa o dobro da adrenalina, para os fãs do género este livro traz também prazer a dobrar. Prepare-se: vai ser difícil pousar o livro!

Pode comprar o livro aqui.