segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

[A minha Opinião] A Última Ceia



Quando o Nuno Nepomuceno anunciou aos seus leitores que teria um novo livro, no início de janeiro, fiquei empolgada com a notícia. Sou super fã do autor, e depois de ler "Pecados Santos", em 2018, as expectativas estavam altíssimas. 

"A Última Ceia" é um livro bem diferente do seu antecessor, "Pecados Santos". Neste livro o foco é a arte, mais precisamente o fresco de Leonardo da Vinci, Il Cenacolo, mais conhecido por A Última Ceia. Toda a história se centra neste fresco e no roubo das suas cópias. Será que nos vamos deixar enganar? 

O Nuno Nepomuceno traz-nos novas personagens. Sofia Conti, a protagonista feminina da história, Giancarlo Baresi, protagonista masculino da história. Estas duas personagens fazem o par romântico. Catherine Waterhouse, curadora, Richard Waterhouse, presidente da instituição Academia Real das Artes de Londres, Arthur Miller, antigo investigador de seguros e Domenico Montanari, arcebispo. Todas estas personagens são peças fundamentais para a trama criada pelo autor. A juntar-se a elas, personagens já velhas conhecidas nossas como o professor Catalão, a Diana, o pequeno Rodrigo, o imã Yusef e o enigmático POC.

Durante a leitura ando em constante viagem entre Lisboa, Milão e Londres. As duas últimas cidades fervilham sempre com acontecimentos chave para a narrativa. É em Milão que desaparecem as cópias de "A Última Ceia" e em Londres, tenta-se recuperá-las e trazer à ribalta a última cópia de Giampietrino.

Como é que Afonso Catalão, nosso velho conhecido, entra nesta história? Pois bem, basta dizer que Sofia Conti é uma antiga aluna do professor, e mais não digo. Gostei de voltar a encontrar esta personagem. Neste livro temos mais revelações acerca do seu passado e de um episódio que o marcou para todo o sempre. Esse mesmo episódio fez-me compreender melhor a personalidade do professor Catalão e o seu percurso académico. 

Quanto à escrita do Nuno Nepomuceno, continua tão boa como sempre. Oferece-nos viagens constantes durante a leitura. Brinda-nos com capítulos pequenos, sempre com pequenas revelações e pistas. As personagens, como sempre, são singulares, com personalidades muito próprias. As pequenas histórias secundárias, que vão surgindo, são sempre algo misteriosas, chocantes, enriquecendo a narrativa. E o trabalho de pesquisa do autor, para escrever os seus livros, é bem notório. Aprendo sempre imenso com os seus livros. 

Este livro não supera o "Pecados Santos", para mim um livro brutal, chocante, surpreendente. Mas mesmo não superando o seu antecessor, (também por se centrarem em temas tão desiguais) é um livro muito bom, com uma história bem urdida e uma aula de arte fantástica. 

Fico à espera, que daqui a um ano, esteja a ler novamente, um novo livro do Nuno Nepomuceno.

Recomendo, sem reservas, a leitura deste livro.  

Boas leituras!

Quase a chegar às livrarias - A Deusa da Vingança


Disponível a 4 de Fevereiro 

Sinopse
Quando a inspetora Louise Rick recebe uma chamada do filho, Jonas, que tinha deixado algumas horas antes numa festa de aniversário com amigos, não imaginava o pesadelo que a esperava. Ao saber que um grupo de adolescentes violentos invadira a festa, Louise corre para o local, para descobrir que a mãe da aniversariante, a sua amiga Britt, tinha sido espancada, e que a filha dela, Signe, fora atropelada enquanto fugia.
Louise tenta apoiar Britt enquanto esta recupera, mas quando dois dos adolescentes são também alvo de um violento ataque, a amiga é a principal suspeita. Louise não pode crer que o caso seja tão simples. Alguma coisa está errada, mas o quê?
Quanto mais Louise investiga, mais complexo o caso se torna. Porque terão os adolescentes atacado aquela festa? E conseguirá Louise provar a inocência de Britt?

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Quase a chegar às livrarias - O Rapaz que Seguiu o Pai para Auschwitz


Disponível a 29 de Janeiro 

Sinopse
A inspiradora luta de um pai e um filho para permanecerem juntos e sobreviverem ao Holocausto. Uma história real verdadeiramente emocionante.

Viena, anos de 1930. A família Kleinmann vive um dia-a-dia pacato e tranquilo. Gustav trabalha como estofador e Tini trata da casa e dos quatro filhos: Fritz, Edith, Herta e Kurt.
Mas, com a anexação nazi da Áustria, a normalidade da vida dos Kleinmann dissipa-se abrupta e dramaticamente. Os vizinhos viram-se contra eles, o negócio de Gustav é-lhe retirado e a ameaça paira sobre toda a família de forma cada vez mais alarmante.

Gustav e Fritz são dos primeiros judeus austríacos a ser presos. Destino: Buchenwald, na Alemanha. Assim começou uma inimaginável provação – várias vezes espancados, quase mortos à fome e brutalmente forçados a construir o próprio campo de concentração em que estavam detidos. Ao longo dos horrores que testemunharam e do sofrimento por que passaram, uma constante ajudou a mantê-los vivos: o amor entre pai e filho.

Quando Gustav recebeu ordem de transferência para Auschwitz, uma sentença de morte certa, Fritz viu-se perante um dilema: deixar o pai morrer sozinho ou ir com ele... Baseado no diário secreto de Gustav e numa meticulosa pesquisa documental, este livro conta a sua história, e a de Fritz, pela primeira vez – uma história única e absolutamente incrível de coragem, amor e sobrevivência face ao terror sem paralelo que foi o Holocausto.

O Rapaz Que Seguiu o Pai para Auschwitz confronta-nos com o pior e o melhor da humanidade. E com o espantoso poder do afecto e do espírito humano.

Gavin James - Always


Em Dia Mundial do Sorriso, o que me faz sorrir, além de bons livros é boa música. Oiçam esta delícia de música do Gavin James. "Always" bons sorrisos. 

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Resultado Passatempo - Perto de Casa


Obrigada a todos os que participaram neste passatempo.
Um enorme agradecimento à Porto Editora pela oferta de um exemplar de Perto de Casa. Tivemos 111 participações válidas. Obrigada! 
O número sorteado foi o 99.
A grande vencedora foi:

Nicole Martins - Maia

Parabéns!

Se ainda não foi desta que foi o grande vencedor não desista. Há sempre boas oportunidades aqui no blogue. 

Saiba mais sobre o livro aqui.

[A minha Opinião] A Rapariga no Gelo


Já estava há imenso tempo para ler este primeiro livro da série Detective Erika Foster. Li muito boas opiniões sobre os livros e muitos leitores me recomendaram a leitura da série. E cá estou eu, finalmente, a falar do primeiro livro. 

Confesso que ia com as expectativas altas para esta leitura. Não foram defraudadas.  Robert Bryndza é um bom contador de histórias e manteve-me envolvida do princípio ao fim. 

A personagem principal, Erika Foster, que também dá nome à série, é apresentada neste primeiro livro como uma mulher fragilizada mas corajosa. Acontecimentos recentes na sua vida deixaram uma marca profunda que ainda está a tentar ultrapassar. É no meio da sua conturbada vida pessoal que lhe cai em mãos a investigação de um homicídio de uma jovem da alta sociedade londrina. 

À medida que a investigação avança, vou mergulhando no passado e presente da inspectora Erika e conhecendo melhor as suas fragilidades mas também as suas forças. É uma mulher corajosa, inteligente, intuitiva mas também fragilizada, perdida, sofrida. São estas características que fazem dela a mulher capaz de chegar ao assassino que anda à solta. 

Robert Bryndza construiu bem esta história. Mostrou o desfasamento entre classes na sociedade londrina, o poder da influência e do dinheiro nas forças policiais, o tráfico humano, a prostituição. A sua escrita é cativante, os capítulos curtos e as personagens pouco aprofundadas (mas espero ver mais desenvolvidas nos próximos livros).

Foi um livro que me prendeu. Dei por mim envolvida na história e concentrada nas pistas que o autor ia lançando. Nem cheguei perto de suspeitar quem era o assassino. Só demonstra o quanto Robert Bryndza tão bem teceu esta história. 

Fica a curiosidade de ler o próximo livro da série e todos os restantes. Quero muito ver a evolução da inspectora Erika Foster e conhecer melhor todas as personagens apresentadas nesta história. 

Uma leitura que recomendo.  

Boas leituras!

Obrigada à JBnet por me ter possibilitado a leitura deste livro. 

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

6 Minutos para Mudar a Sua Vida de Dominik Spenst - Novidade Pergaminho



Género: Desenvolvimento Pessoal e Espiritual / Autoajuda
Formato: 15 x 23,5 cm
No de páginas: 280
Data de publicação: 11 de janeiro de 2018
PVP: € 15,50
ISBN: 9789896875190
Tradução: Sérgio Gonçalves

Sinopse
6 minutos por dia: não precisa de mais, mas não se contente com menos. Basta dedicar 6 minutos do seu dia à reflexão, à gratidão e ao mindfulness para ver a felicidade desabrochar na sua vida. Este livro é um workbook prático e inspirador que lhe permitirá cultivar o hábito da felicidade. Tire 3 minutos, duas vezes por dia, para pensar e escrever – de manhã:
• o que o faz sentir gratidão;
• o que tornaria o seu dia maravilhoso;
• uma afirmação positiva;
• e de noite:
• o que fez de bom por outra pessoa;
• o que poderia fazer melhor;
• o que houve de agradável no seu dia.
Minuto a minuto, dia a dia, começará a ver o pessimismo e os pensamentos negativos a desvanecerem-se, e a gratidão, a esperança e a tranquilidade serão o seu estado de espírito habitual.

Dominik Spenst é formado em Administração de Empresas. Depois de um grave acidente em que ficou hospitalizado durante meses –, desenvolveu o então método dos 6 minutos por dia. O livro é um bestseller internacional e atualmente Domink Spenst dirige o projeto UrBestSelf, uma plataforma editorial de livros destinados a desenvolver a criatividade e o bem-estar.