quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Últimas Novidades - Editorial Presença

O Rapto de Edgardo Mortara


Subtítulo O caso do menino judeu que abalou o Vaticano
Número de páginas 448
PVP 19,90 €

Sinopse
O extraordinário caso da detenção de um rapaz judeu, de seis anos, às ordens do Vaticano, em 1858, que contribuiu para o colapso do poder temporal do Papa. 

Bolonha: crepúsculo, Junho de 1858. Batem à porta da casa de Momolo Mortara, um comerciante judeu. Entram dois oficiais, a mando da Inquisição, para levarem Edgardo, de seis anos de idade, filho de Momolo. Ao ver a criança a ser arrancada dos braços do pai, a mãe desfalece. 

Motivo do rapto: Edgardo tinha sido batizado em segredo, por uma criada da família. Segundo a lei dos estados pontifícios, o rapaz passara assim a ser um católico, o que tornava lícito que fosse retirado à família e levado para um mosteiro especial onde a sua conversão seria concluída. 

É com esta cena chocante que o historiador David I. Kertzer, galardoado com diversas distinções, inicia o seu relato da verdadeira história de como o rapto desta criança esteve na origem do colapso do Vaticano enquanto poder secular. Kertzer retrata a angústia de uma família de modestos comerciantes, o ritmo da vida quotidiana no gueto judeu de Bolonha, e explora também, através da evocação das campanhas revolucionárias de Mazzini e Garibaldi, e de figuras como Napoleão III, a emergência da Itália como um estado moderno e nacional. 

Comovente e esclarecedor, O Rapto de Edgardo Mortara lê-se como um thriller histórico e dá-nos a conhecer, de forma rigorosa, o modo como esta tragédia humana mudou o curso da História.

Caro Evan Hansen

Subtítulo O romance
Número de páginas 384
PVP 16,90 €

Sinopse
Quando uma carta que ninguém deveria ter visto, aproxima Evan Hansen de uma família em sofrimento pela perda de um filho, ele depara-se com a oportunidade de uma vida: o desfrutar do sentimento de pertença. Ele tem apenas de fingir que Connor Murphy, um rapaz manifestamente perturbado que frequentava a mesma escola, era o seu grande amigo secreto.

De um momento para o outro, Evan deixa de ser invisível - até mesmo para a rapariga dos seus sonhos. E os pais de Connor acolhem-no como se Evan lhes pertencesse, desesperados para, através dele, saberem mais sobre a existência enigmática do seu recém-falecido filho. À medida que Evan se embrenha na espiral de revolta, arrependimento e confusão da família Murphy, ele tem consciência de que o que está a fazer é errado. Mas se está a ajudá-los, o que terá isso de errado? 

Agora que deixou de ser atormentado pela ansiedade causada pelo desapontamento nos olhos da sua mãe, este novo Evan encontrou um objetivo. E também confiança. Cada dia da sua vida é surpreendente. Até que surge o risco de tudo vir a ser desvendado e Evan confronta-se com um obstáculo: ele próprio.

Uma pequena mentira leva a verdades complexas nesta emocionante narrativa sobre sofrimento, autenticidade, e capacidade de luta para usufruir do sentimento de pertença numa idade de ligações efémeras e isolamento profundo.

Para mais informações sobre os livros visitem o site da Editorial Presença aqui.

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Quase a chegar às livrarias - Nove Perfeitos Desconhecidos

Nove Perfeitos Desconhecidos

Disponível a 27 de Agosto 

Sinopse
Se alguém lhe garantisse uma transformação total em apenas 10 dias, você aceitava?
Nove pessoas aceitam. Os seus motivos são diferentes mas todas embarcam num retiro de luxo. Esperam massagens, meditação e dieta detox. Estão longe de imaginar o desafio que têm pela frente.
Frances Welty é uma escritora bestseller em plena crise de inspiração (entre outras). Quer recuperar a alegria de viver.
Ben e Jessica ganharam 22 milhões de dólares na lotaria. Já não lutam para esticar o dinheiro até ao fim do mês mas passaram a lutar um com o outro. Querem salvar a sua relação.
Napoleon, Heather e Zoe sofreram uma tragédia familiar. Querem perdoar-se a si mesmos e reencontrar a paz (possível). 
Tony é um ex-jogador de futebol que perdeu aquilo que mais amava. 
Carmel é uma mãe (exausta) de quatro filhos que foi trocada por uma mulher mais nova. 
Lars é um advogado gay que se debate com um dilema impossível…
Será que estas nove pessoas vão encontrar a solução para os seus problemas? 
Ou será melhor fugirem enquanto podem?
É que Masha, a diretora do retiro, tem para os seus clientes um plano que nenhum deles conhece…

Pode comprar o livro aqui

terça-feira, 13 de agosto de 2019

5 dicas simples para estimular a leitura

5 dicas simples para estimular a leitura


Hoje irei partilhar convosco algumas dicas de como ler mais. Este ano estou a ler mais do que em anos anteriores e acho que é graças a estes factores que vos vou falar. 

1 - Fixar uma meta de leitura diária
Estipulem um número de páginas diárias de leitura e tentem cumprir essa meta. Eu afixei as 100 páginas diárias e na maioria das vezes consigo ler o que estipulei. Desta forma temos um incentivo extra para ler e lemos mais. Comigo resulta. Experimentem!

2 - Escolher uma hora de leitura
Durante o dia dediquem algum tempo exclusivo à leitura. Vejam que horas do vosso dia são mais indicadas para estar calmamente a ler. Eu tento tirar sempre uma ou duas horas durante a tarde, e leio sempre todos os dias antes de ir dormir. Nessas horas não há distracções, só concentração absoluta na leitura. 

3 - Utilizar o Goodreads
O Goodreads é uma ferramenta fantástica. Além de estabelecermos no início do ano uma meta de leitura, possibilita também o acompanhamento diário nossas leituras. Gosto sempre de ir lendo e acompanhando a percentagem de leitura feita. 

4 - Dedicar menos tempo às redes sociais
É sabido que passamos muito tempo nas redes sociais. Para ler mais podemos cortar no tempo que passamos online e substituir esse tempo pela leitura. Vão ver que 10, 15, 20 ou 30 minutos fazem toda a diferença. 

5 - Participar em desafios de leitura
Este ano pela primeira vez estou a fazer um desafio de leitura. O desafio de leitura aqui do Manta de Histórias. Estou a ser posta à prova. É uma forma muito boa de ir lendo os livros que já estão há muito tempo na estante à espera de vez. Próximo ano há mais. Fiquem atentos! 

Partilhem comigo as vossas dicas de leitura. Digam-me se são iguais às minhas ou diferentes. Contem-me que estratégias utilizam para ler mais. 
Boas leituras!  

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

[A minha Opinião] 1793

a minha opinião 1793



O que dizer deste livro?

Foi um valente desafio para mim. Tirou-me da minha zona de conforto. Deu-me luta. Deu-me indisposição. Mexeu-me com as emoções. Pensei algumas vezes que não o ia conseguir ler. Mas insisti, continuei e terminei muito satisfeita. 

Ser facilmente impressionável, sensível, é uma vantagem mas também desvantagem. Vantagem porque facilita a empatia pelos personagens, desvantagem, porque em passagens mais chocantes, cruas, descritivas, mórbidas, deixa-me em apuros. Interiorizo demasiado o que leio. Este livro foi uma luta tremenda em algumas passagens. 

1793, apesar de sombrio, é uma lufada de ar fresco. Tenho lido muitos thrillers nos últimos tempos e este, de facto, destaca-se dos demais. É considerado um thriller histórico e é a estreia absoluta de Niklas och Dag, neste mundo dos livros. E que estreia esta! 

A autor oferece uma história passada em Estocolmo, em finais do século XVIII, uma cidade sombria, com grandes desigualdades sociais, onde impera o poder da igreja, onde é aplicada a pena de morte e o salve-se quem puder pelo povo de Estocolmo. O cenário é perfeito para o crime hediondo que aqui terá lugar.   

Quanto à narração da história, cabe a várias personagens fazê-lo, construindo uma teia que liga na perfeição todos os seus pontos. Mickel Cardell, guarda, Cecil Winge, agente da policia, Kristofer Blix, um jovem aspirante a médico e Anna Stina, uma jovem sofredora, são as personagens centrais da história, todas elas ligadas a uma teia perfeita. 

A história centra-se na investigação de um crime mórbido e chocante. Durante os inúmeros capítulos vou juntando mentalmente as peças de um puzzle, pensado na perfeição por Niklas och Dag. Não há dúvida nenhuma que as personagens foram bem construídas e que o ambiente sombrio e negro de Estocolmo serviu na perfeição o crime. É notória a investigação histórica feita pelo autor, para melhor enquadrar e valorizar a história. Quanto à escrita é fluída e cuidada, rica em diálogos e pensamentos. 

O que não gostei do livro? A letra pequena, que exige mais esforço na leitura. Os nomes suecos, longos e impronunciáveis. O facto de a mesma personagem ser referida ao longo do livro por nomes diferentes. No inicio da leitura é preciso estar atento a esses nomes para ligá-los correctamente às personagens. 

No geral, é uma estreia fantástica do autor. Uma história arrepiante, sombria e cruel. Aos leitores, que como eu, são facilmente impressionáveis, irá requerer coragem para ler certas passagens do livro. No final, irá valer a pena ultrapassar esse obstáculo e ler esta história. 

Ficarei atenta ao autor e irei querer ler o próximo livro. 

Boas leituras! 

🌟🌟🌟🌟

terça-feira, 6 de agosto de 2019

[A minha Opinião] As flores perdidas de Alice Hart

Opinião As flores perdidas de Alice Hart

O livro "As flores perdidas de Alice Hart" foi publicado pela Porto Editora, em Outubro de 2018. Acabei por lê-lo em Julho de 2019, para o desafio de leitura do Manta de Histórias e em leitura conjunta com várias seguidoras do blogue. A leitura e a experiência valeram a pena.

O que me atraiu imediatamente para este livro foi a sua capa maravilhosa. Aquele fundo preto e todas aquelas flores coloridas em destaque, é qualquer coisa de belo. Mas não se fica por aqui a beleza do livro. O seu interior também está povoado por imensas flores, a preto, a cada início de capítulo. Com todo este cuidado de apresentação e paginação já ganha imensos pontos. 

Como o título e a capa o indicam, muito desta narrativa anda à volta de flores e seus significados. Flores essas que são usadas para contar uma história, a história de vida de Alice Hart. 

Nos primeiros capítulos conheci a pequena Alice, de nove anos e a sua família. Cedo descobri que Alice é uma criança sonhadora, sensível, que gosta imenso de histórias. Como leitora, senti logo empatia por esta pequena leitora. Essa empatia para com a personagem fez com que, em vários momentos, sentisse a necessidade de a proteger do mal. 

Sem vos querer desvendar muito da história, o que posso dizer é que durante a leitura acompanhamos o crescimento de Alice e descobrimos um pouco mais do seu passado familiar, que está envolto em mistério e tragédia. Há como que uma fatalidade associada às mulheres da sua família, que parece repetir-se de geração em geração. 

Os cenários descritos pela autora, são sempre ricos em cores e flores. Há alturas em que parece que estou na quinta de Thurnfield a sentir o perfume das flores. Além deste pormenor, a autora associa o significado das flores a cada capítulo e avançar da história. Flores e narrativa em perfeita harmonia. A escrita da autora é cuidada e fluída. Os capítulos pequenos facilitam o avançar da leitura. As personagens são muitas mas com algo em comum, estão destroçadas pela vida. 

A evolução da personagem principal é notória ao longo da narrativa. O que posso dizer é que a Alice criança cativou-me mais que a Alice adulta. Em adulta tomou decisões e teve atitudes com as quais não concordei nem me identifiquei. 

No geral, acho que é uma excelente estreia de Holly Ringland. É notório o trabalho de pesquisa feito pela autora, para perceber o significado das flores. Aborda temas sensíveis com muita inteligência e cuidado. A sua escrita sem dúvida que cativa e prende o leitor. Houve pormenores que foram mais bem conseguidos do que outros, mas não retira mérito à autora nem à historia que construiu. 

Ficarei a aguardar com expectativa um próximo romance da autora. Até lá só vos posso recomendar a leitura deste livro e esperar que gostem dele, tanto ou mais que eu. 

Boas leituras!

🌟🌟🌟🌟

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

[A minha Opinião] A ilusão de Merit


Já não é segredo nenhum que sou uma grande fã dos livros da Colleen Hoover. "A ilusão de Merit" é o sétimo livro da autora, publicado em Portugal. É também o sétimo livro que leio da autora. 

Quando comprei o livro, já muitos leitores o tinham lido e as opiniões eram diversas. Uns que tinham adorado o livro. Outros que comentavam que fugia um pouco ao que a autora apresenta habitualmente. Quanto a mim, a experiência com esta leitura foi a seguinte, primeiro estranha-se, depois entranha-se. 

A autora, desta vez, presenteou os leitores com um romance jovem-adulto. A temática central abordada, a depressão. Não é um tema sobre o qual é fácil escrever, mas a Colleen Hoover soube, de forma inteligente, sensível e bem humorada, tratar da temática. 

Merit Voss, personagem central da narrativa, não tem uma dinâmica familiar comum a tantos outros jovens. Mas será que hoje se pode falar de comum? A sua realidade familiar é algo peculiar, começando pelo lugar onde habitam. É uma das muitas singularidades da família Voss. Merit sofre na pele esta realidade e deixa-se moldar por ela. Vemos traços na sua personalidade que são fruto das suas experiências familiares. Merit é uma rapariga mais fechada, sensível, revoltada, desiludida com a vida e com os seus familiares. Até o dia que se apaixona e que resolve revelar segredos há muito escondidos. 

Continuo a gostar da forma de escrita acessível e fluída da autora. Dos capítulos curtos e cheios de diálogos, que fazem avançar na leitura. Das personagens criadas pela autora, que são sempre singulares e bem construídas. Das temáticas sensíveis abordadas pela autora. De como o amor é sempre a chave e a cura para tudo. 

Será que este livro entra nos top dos meus livros favoritos? Não, não entra, apesar da história e as personagens me terem conquistado aos poucos. Comparativamente a outros livros que li da autora, este não me arrebatou. Mas continuo a recomendar-vos a leitura. Não lemos todos de maneira igual um mesmo livro. Acredito que para alguns leitores este livro chegará à categoria de maravilhoso. Infelizmente para mim, que criei expectativas demasiado altas, não correspondeu. 

Ficarei agora a aguardar o novo livro da autora, que será publicado a 11 de Novembro pela Topseller. 
Boas leituras!   

🌟🌟🌟🌟