sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Existir Depois de Ti, de Carolina Setterwall - Novidade Editorial Presença

Existir Depois de Ti

Data de publicação: 22-01-2020
Colecção: Grandes Narrativas
Número na coleção: 729
Edição:
Número de páginas: 320
ISBN: 9789722364966
PVP: 17,90€


Sinopse
A noite passada, adormeci convencida de que teríamos milhares de dias à nossa frente. Mas não é assim. Esta é a nossa última noite.
Carolina está a amamentar o seu bebé, quando recebe um estranho e-mail do namorado, Aksel, em que revela as suas senhas de computador e lhe dá instruções para seguir no caso de ele morrer. Carolina fica preocupada, mas depois irritada - este comportamento é típico de Aksel, que termina a mensagem com a frase: Vamos esperar pelo melhor!
Nos últimos tempos, a relação entre os dois tem sido difícil, em especial com um bebé de oito meses para criar.
Aksel morre inesperadamente e o mundo de Carolina sofre uma reviravolta incontrolável. Talvez para impor alguma ordem no caos, Carolina regista meticulosamente os acontecimentos nos meses após a morte de Aksel e explora os pequenos detalhes da vida antes da tragédia, na esperança de encontrar alguma explicação para a dolorosa situação com que passou a ter de lidar. Mas quando se depara com um novo relacionamento, Carolina sente-se reticente? Ela tem uma nova oportunidade para amar, mas será que desta vez vai resultar?

Sobre a autora
Carolina Setterwall nasceu em 1978, cresceu em Sala e vive em Estocolmo com o filho.
Depois de frequentar os cursos de Media e Comunicação na Universidade de Uppsala e em Londres, trabalhou nas áreas da música e edição como editora e escritora. Existir Depois de Ti é a sua primeira obra literária.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

A História de Uma Serva, Novela Gráfica, de Margaret Atwood e Renée Nault - Novidade Bertrand Editora

A História de Uma Serva

Género: Banda Desenhada / Novela Gráfica
Tradução: Rosa Amorim
Formato: 16 x 23,5cm
N de páginas: 240
Data de lançamento: 7 de fevereiro de 2020
PVP: 19,90 €
ISBN: 9789722537858

Sinopse
Tudo o que as Servas usam é vermelho: a cor do sangue, que nos define. Defred é uma Serva na República de Gileade, onde o trabalho, a leitura e a formação de amizades estão vedados às mulheres. Está ao serviço do Comandante e da sua mulher e, na nova ordem social, tem um único propósito: uma vez por mês, tem de se deitar de costas e rezar para que o Comandante a engravide, porque, numa era de nascimentos em declínio, Defred e as outras Servas são valorizadas apenas se forem férteis. Mas Defred lembra-se dos anos antes de Gileade, em que era uma mulher independente, com um emprego, uma família e um nome seu. Agora, as suas memórias e a sua vontade são atos de rebelião. Provocador, chocante, profético, A História de Uma Serva transformou-se há muito num fenómeno global. Com esta belíssima adaptação do clássico contemporâneo de Margaret Atwood, executada de forma extraordinária pela artista Renée Nault, o mundo aterrador de Gileade ganha vida como nunca antes.

Sobre a autora
Margaret Atwood é autora de mais de cinquenta livros de ficção. Além de A História de Uma Serva, os seus romances incluem Chamavam-lhe Grace, que ganhou o Giller Prize no Canadá e o Premio Mondello em Itália; O Assassino Cego, vencedor do Booker Prize; Órix e Crex, finalista do Giller Prize e do Man Booker Prize; O Ano do Dilúvio, MaddAddam; O Coração É o Último a Morrer; e, mais recentemente, Semente de Bruxa. Atwood é também cocriadora (com Johhnie Christmas) da série de novelas gráficas Angel Catbird. Vive em Toronto. Visite www.margaretatwood.ca

Sobre a ilustradora
Renée Nault é uma artista canadiana, conhecida pelas suas vívidas e oníricas ilustrações em aguarela e tinta. O seu trabalho é publicado em livros, revistas e novelas gráficas em todo o mundo. Vive atualmente em Victoria, Colúmbia Britânica.

Pode comprar o livro aqui.

quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

Lisboa Reykjavík de Yrsa Sigurdardóttir - Reedição Quetzal

Lisboa Reykjavík

Género: Literatura/Policial e Thriller
Formato: 15 x 23,5 cm
N de páginas: 448
PVP: € 18,80
ISBN: 9789897226304

Sinopse
Despedindo-se das temperaturas agradáveis da capital portuguesa, a bordo seguem sete pessoas que enfrentarão o frio mar daquele inverno, a caminho do norte. Porém, daí a alguns dias, quando o barco entra no porto de Reykjavík, ninguém é encontrado dentro da embarcação. O que se teria passado em Lisboa, ou durante a viagem, que possa explicar o desaparecimento? Um cenário que marca o regresso da rainha do noir nórdico, um mistério sobre a escuridão do oceano, Lisboa, a família, a fama, negócios obscuros e, como sempre, o mal e a conspiração do ódio.

Yrsa Sigurdardóttir vive com a família em Reykjavík. É diretora de uma das maiores empresas de engenharia da Islândia. Os seus livros estão no topo das listas de bestsellers em todo o Mundo. Muitos deles são adaptados ao cinema e à televisão.

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

As Senhoras de Missalonghi, de Colleen McCullough - Novidade Bertrand Editora

As Senhoras de Missalonghi


ISBN: 9789722537827
Género: Literatura / Romance
Tradução: Eugénio Santos
Formato: 15 x 23,5cm
N de páginas: 192
PVP: 15,50 €

Sinopse
Às vezes, os contos de fadas podem tornar-se realidade — mesmo para solteironas tímidas como Missy Wright. Não tão bonita como a prima Alicia, nem tão dominadora como a mãe Drusilla, parece condenada a uma vida tranquila e de pobreza em Missalonghi, a pequena herdade da família nas Montanhas Azuis da Austrália. Mas é um século inteiramente novo, um tempo para novas ideias e ações ousadas. E Missy está prestes a pôr a trabalhar todas as línguas hipócritas da cidade de Byron. Porque ela acaba de olhar para um desconhecido misterioso, desconfiado e incauto... que, embora não o parecendo, pode muito bem ser um príncipe encantado.

Sobre a autora
Colleen McCullough nasceu na Austrália em 1937. Começou a sua carreira literária com a publicação de Tim, seguido de Pássaros Feridos, um bestseller internacional que bateu todos os recordes. Ambos foram adaptados ao cinema. Além dos romances, a autora publicou duas séries. «O Primeiro Homem de Roma» retrata em seis volumes e de forma excecional a história da Roma Antiga. A série foi elogiada por muitos historiadores e políticos, incluindo Kissinger. «Carmine Delmonico» é uma série policial com dois títulos publicados pela Bertrand Editora. A autora morreu em janeiro de 2015, aos 77 anos, na ilha de Norfolk, no Pacífico, onde vivia com o marido.

Pode comprar o livro aqui.

Opinião do livro "Tim" aqui.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

[A minha Opinião] A Morte do Papa

A Morte do Papa


Já não é segredo para ninguém que sou, super, hiper, mega fã do trabalho do Nuno Nepomuceno. Sou sua fiel leitora desde o lançamento de "O espião português". É com enorme carinho e satisfação que tenho acompanhado o percurso do Nuno, todos estes anos. 

Quando o Nuno anunciou novo livro para 2020, dei pulos de alegria. Quando soube que era mais um livro com o charmoso professor Catalão, ainda mais animada fiquei. O professor Catalão já faz parte do leque de personagens que  muito estimo. 

Para quem não sabe, este livro é baseado em factos reais, mais precisamente, pelo mistério em torno da morte de João Paulo I. Este e mais uns quantos acontecimentos reais, serviram de inspiração à história deste livro. 

Como sempre, o Nuno Nepomuceno faz-nos viajar por diversas capitais europeias, não centrando a acção do livro somente em Lisboa. Confesso que gosto deste pormenor. Futuramente, quem sabe, não faça o roteiro das histórias do Nuno Nepomuceno. Olha que bela ideia! Quem está comigo?

Como disse anteriormente, voltamos a encontrar o professor Catalão, já nosso conhecido dos livros "A Célula Adormecida", "Pecados Santos", "A Última Ceia". Volta a ver-se envolvido em acontecimentos trágicos, desta feita dentro do coração da igreja católica. Diana, a sua mulher, está a fazer uma investigação sobre um pirata informático e acaba por arrastá-lo. A partir daí, a história caminha sempre para um crescendo de acontecimentos. 

O Nuno Nepomuceno é um mestre a criar enredos que nos prendem. Há sempre novos factos, reviravoltas, surpresas inesperadas, assuntos sensíveis, outros chocantes, para agarrar o leitor à leitura. A Morte do Papa voltou a surpreender-me e de que maneira! 

Quem futuramente ler o livro, vá preparado para tudo. O Nuno aborda neste livro temas bastante sensíveis, que serão capazes de chocar leitores mais sensíveis, ou melhor dizendo, leitores mais crentes. Faz sempre estas abordagens de maneira sensível e consciente. A mim não me chocam, porque grande parte destes temas são actuais e bastante controversos. Dou os meus parabéns ao Nuno, por ter coragem de os abordar e de uma forma bastante inteligente. 

O que posso apontar de menos bom é que, fiz a leitura demasiado rápido. Devia tê-la arrastado. Agora como é que vou sobreviver até ao próximo livro? Sempre posso aproveitar e ler os livros secretos de Adam Immanuel, Dor, Ira e Raiva. E vocês agora devem estar-se a perguntar - mas do que é que ela está a falar? Passem pelo site da Cultura Editora ou do Nuno Nepomuceno para saberem mais. 

Uma pergunta fica no ar, depois desta leitura. Terá este livro uma continuação? Ficaram muitas perguntas por responder sobre um tal escritor, de seu nome Adam Immanuel. 

Obrigada à Cultura Editora e ao Nuno Nepomuceno pelo privilégio de ler, o exemplar de avanço deste livro.

Acho que já adivinham o que vos vou dizer: LEIAM ESTE LIVRO. MAIS QUE RECOMENDADO. 

Boas leituras! 
4,5
🌟🌟🌟🌟

A Arte de Fazer Perguntas de Warren Berger - Novidade Vogais

A Arte de Fazer Perguntas

AUTOR Warren Berger
COLEÇÃO Desenvolvimento Pessoal
ISBN 9789896687922
PVP 20.99 €
1ª EDIÇÃO janeiro de 2020
PÁGINAS 352

Sinopse
Entre os 2 e os 5 anos, uma criança faz uma média de 40 mil perguntas. Ao longo deste período, o tipo de perguntas vai mudando: deixam de ser sobre factos e passam a ser pedidos de explicações. Por volta dos 4 anos, há uma explosão de ligações (sinapses) entre neurónios nos cérebros das crianças. Essas ligações chegam a atingir um milhão de triliões, ou seja, mais de três vezes o número que se encontra num cérebro adulto. 
Porque é que paramos de perguntar? * Porque é que as crianças fazem tantas perguntas? * Porque é que fazer perguntas cai a pique? * Pode construir-se uma escola com perguntas? * Se fomos feitos para perguntar, porque é que é necessário ensiná-lo? * Podemos ensinar-nos, a nós próprios, a fazer perguntas? 
Algumas empresas, pioneiras da sua área atuação, têm no seu ADN esta curiosidade infantil, uma energia inesgotável para questionar. Empresas como a Google, a Nike ou a Netflix nasceram e cresceram a partir de perguntas disruptoras.
«Estou convencido de que fazer perguntas é hoje mais importante do que era ontem — e de que será ainda mais importante amanhã —, para nos ajudar a ver o que interessa, onde estão as oportunidades e como é que lá se chega. Ansiamos todos por melhores respostas. Mas, em primeiro lugar, precisamos de aprender a fazer as perguntas certas.»

Warren Berger tem acompanhado centenas dos mais destacados inovadores, empresários e pensadores criativos do mundo para aprender como é que eles fazem perguntas, fazem nascer ideias originais e resolvem problemas. Os seus textos e as suas pesquisas sobre a interrogação e a inovação têm sido publicados nas revistas Fast Company, Harvard Business Review e Wired.
É autor de Glimmer, uma obra internacionalmente aclamada que analisa em profundidade o pensamento criativo e que faz parte da lista de Melhores Livros de Inovação e Design. É presença habitual nos programas televisivos Today Show, World News e All Things Considered (CNN). Vive com a mulher, Laura E. Kelly, em Westchester, Nova Iorque.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

O avô tem uma borracha na cabeça de Rui Zink e Paula Delecave - Novidade Porto Editora

O avô tem uma borracha na cabeça

ISBN: 978-972-0-03259-1
Edição ou reimpressão: 01-2020
Editor: Porto Editora
Dimensões: 220 x 292 x 10 mm
Encadernação: Capa dura
Páginas: 48
PVP: 14,40€
Idade: 6 a 10 anos

Sinopse
O que fazer quando alguém de quem gostamos nos começa a esquecer?
Esta é a história da amizade entre um avô que lentamente vai perdendo as memórias e o neto inventor que se dedica a descobrir uma cura.
Através da sensibilidade de uma criança, chega-nos a lição mais importante: o amor é mais forte do que o esquecimento.

Sobre os autores
Rui Zink nasceu em Lisboa em 1961. Escritor e professor no Departamento de Estudos Portugueses na Faculdade da Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, é autor de uma obra diversificada e multifacetada. No âmbito da literatura publicou, entre outros, os romances Hotel Lusitano, Apocalipse Nau, O Suplente e Os Surfistas. É ainda coautor de Major Alverca, dos livros infantis da série O Bebé... e de Pornex. Publicou mais recentemente o ensaio O Manual do Bom Fascista e recebeu, em França, o prémio Utopiales para melhor romance estrangeiro, pelo livro A Instalação do Medo.
A sua obra está traduzida em inglês, alemão e hebraico, encontrando-se também publicada no Brasil.

Paula Delecave nasceu no Rio de Janeiro e reside em Lisboa. Designer, ilustradora e atriz, é formada em teatro pela Casa das Artes de Laranjeiras (CAL, Rio de Janeiro) e pós-graduada em Livro Infantil pela Universidade Católica Portuguesa.
Ilustrou o livro Que aventura ser Matilde, da Associação Pais em Rede, com texto de Rui Zink (Lisboa, 2015) e Quando João ficou sem palavras, de Ana Helena Rotta Soares (Memória Visual, Rio de Janeiro, 2017). Em Portugal, desenvolveu, em parceria com António Jorge Gonçalves, os espetáculos Frutoscópio e O convidador de Pirilampos, a partir do livro de Ondjaki.
Utiliza a colagem como linguagem gráfica, trabalhou com várias revistas e editoras no Brasil e realiza regularmente oficinas de construção de livros de família em Portugal e no Rio de Janeiro.