domingo, 20 de junho de 2021

Verão Negro, de M. W. Craven - Novidade Topseller

Verão Negro, de  M. W. Craven - Novidade Topseller

Sinopse
Jared Keaton é o chef das estrelas. Encantador. Carismático. Psicopata… E está a cumprir pena de prisão perpétua pelo homicídio brutal da sua filha, Elizabeth. O corpo nunca foi encontrado, e Keaton foi condenado sobretudo com base no testemunho do inspetor Washington Poe.
Quando, seis anos depois, uma jovem entra a cambalear numa esquadra de polícia com provas irrefutáveis de que é Elizabeth Keaton, Poe dá por si no lado contrário de uma investigação que poderá custar-lhe muito mais do que a carreira. 
Ajudado pela única pessoa em quem confia, a brilhante, mas socialmente desajeitada, Tilly Bradshaw, Poe esforça-se por responder à única pergunta que importa: como pode alguém estar vivo se morreu há seis anos?
E então Elizabeth torna a desaparecer… e todos os caminhos da investigação parecem levar novamente a Poe.

M. W. Craven nasceu no condado de Cúmbria, no norte da Inglaterra, mas cresceu em Newcastle. Aos 16 anos, alistou-se no Exército «por acidente», decidindo depois viajar pelo mundo. Em 1995, formou-se em Serviço Social nas especialidades de criminologia e uso indevido de substâncias. 
Aos 30 anos regressou ao condado onde nasceu para ocupar o cargo de oficial de justiça, uma experiência que lhe viria a permitir transmitir um realismo sombrio à sua escrita.
É casado e vive na região onde nasceu com a mulher e com o seu springer spaniel.

Opinião do livro Teatro de Fantoches aqui.

Verão Negro será a leitura conjunta do mês de Agosto, no Clube de Leitura Manta de Histórias. Estão todos convidados a juntar-se a nós. 

terça-feira, 1 de junho de 2021

O pássaro noturno, de Johanna Mo - Novidade Porto Editora

O pássaro noturno, de Johanna Mo -  Novidade Porto Editora

ISBN: 978-972-0-03414-4
Ano de edição: 06-2021
Editor: Porto Editora
Dimensões: 152 x 235 x 29 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 408
PVP: 18,80€

Sinopse
A detetive Hanna Duncker está de regresso à terra natal. Dezasseis anos depois de trocar Öland por Estocolmo, a morte do pai obriga-a a revisitar a ilha onde passou a infância. Apesar de tudo o que aconteceu lá, apesar dos mexericos e de sentir todos os olhares postos em si, é naquele lugar remoto junto ao mar que se sente em casa.
Quando Joel, um adolescente de 15 anos, é encontrado morto e com sinais de violência no parque de merendas de Möckelmossen, Hanna é arrastada para uma investigação que envolve a sua antiga melhor amiga – aquela que abandonara sem qualquer explicação.
Ao mesmo tempo que procura descobrir o assassino de Joel, Hanna continua a viver as consequências de um crime horrendo cometido pelo pai, muitos anos antes. Conseguirá, algum dia, quebrar a ligação ao passado?

Johanna Mo é natural de Kalmar — onde passou a infância —, e vive atualmente em Estocolmo. Venceu o prémio cultural Pena Dourada (Gyllene Fjädern) e foi nomeada para o Prémio de Romance da Rádio Sueca. Trabalha há 20 anos como escritora, revisora, leitora na área da edição, crítica literária e tradutora.
O pássaro noturno é o seu oitavo livro, e o primeiro da série Os crimes de Öland, que será publicada em 18 países.

domingo, 9 de maio de 2021

O Que Dizer das Flores, de Maria Isaac - Novidade Cultura Editora

 

O Que Dizer das Flores, de Maria Isaac - Novidade Cultura Editora

ISBN: 9789899039438
Ano de edição: 05-2021
Editor: Cultura Editora
Encadernação: Capa mole
Páginas: 224
PVP: 17,50€

Sinopse
Bem-vindo a Mont-o-Ver!
Português que se ponha a caminho da montanha, no inverno, ou da praia, no verão, é certo passar por esta planície de canaviais; mais certo ainda, nem dar por ela. A velha linha férrea passa-lhe ao lado e os comboios já nem sequer abrandam por aqui. Em tanto espaço igual, esta é paisagem fácil de se perder.
Pois permitam que vos apresente os ilustres da vila.
O padre Elias Froes, o homem santo que tem por hábito gastar tempo a pensar no mundo, raramente em si próprio. Guarda segredos que mais ninguém sabe.
Catalina Barbosa, aventureira e contestatária. Menina bem-comportada apenas aos domingos, quando a avó a amordaça dentro de um vestido bonito para ir à missa.
Rosa Duque, a mulher que, em tempos, teve tudo para ser feliz. Foi vencida por um coração partido e resgatada por uma flor.
Zé Mau, o terror na vida das crianças. Os irmãos Mondego, os vilões nas histórias dos adultos.
Este vilarejo pode até ser pequeno e parado, mas está cheio de gente atrapalhada com muita vida para esconder.
Descubram comigo o que aconteceu, afinal, na noite do grande incêndio de há uma década e quem são os verdadeiros heróis desta nossa história pitoresca, temperada com os habituais mal-entendidos.

Maria Isaac nasceu no norte de Portugal, numa pequena vila cheia de espaço e onde as pessoas sorriem e falam alto.
É autora do livro "Onde Cantam os Grilos", finalista do Prémio Fundação Eça de Queiroz 2019, e a voz do podcast literário "Palavra". Hoje vive em Lisboa, rodeada de livros.

Podem ler a minha opinião do livro "Onde Cantam os Grilos" aqui.

domingo, 25 de abril de 2021

Escapadela Literária 2021 - Desafio de Leitura

 

Escapadela Literária 2021 - Desafio de Leitura

Olá leitores!

Depois da primeira edição em 2020, o desafio Escapadela Literária está de volta! Os livros são os grandes responsáveis pelas viagens que fazemos, sem sairmos do lugar. A pandemia de COVID 19 ainda dura, impossibilitando-nos de viajar tanto quanto gostaríamos. Este desafio está feito para que se possa viajar nas páginas dos livros, sem sairmos da segurança das nossas casas. 

O desafio terá a duração de três meses. Tem o seu início a 01 de Maio e fim a 31 de Julho. Durante este período de tempo, têm de preencher 12 categorias de leitura. Passo a apresentá-las:

  • Capa com um céu azul
  • Livro de um autor francês 
  • História de uma paixão "de verão"
  • Livro de um autor australiano 
  • Capa com uma estrada ou caminho
  • Um livro sobre livros
  • Narrativa com acção numa zona rural
  • Capa com praia, mar ou campo
  • Título com a palavra chuva, sol ou vento
  • Livro de um autor norte-americano
  • Um livro de um autor nórdico
  • Acção decorre num lugar paradisíaco

Por cada categoria tem de ser lido um livro. Ou seja, no final do desafio de leitura terás conseguido ler 12 livros. 

Para que possa acompanhar as vossas leituras para este desafio, identifiquem o blogue @mantadehistorias ou usem o #escapadelaliteraria nas vossas redes sociais.

Qualquer dúvida que tenham, não hesitem em deixar em comentário as vossas questões. 

Posso contar convosco?

Boas leituras!


Caso queiras participar em outros desafios de leitura, estão a decorrer dois desafios anuais distintos aqui no blogue. O Desafio de Leitura Manta de Histórias 2021 e o Lê Português

Gostaste deste desafio? Partilha! Comenta! Participa!

quinta-feira, 1 de abril de 2021

O Lugar das Árvores Tristes, de Lénia Rufino - Novidade Manuscrito

 

O Lugar das Árvores Tristes, de Lénia Rufino - Novidade Manuscrito

ISBN 9789898975805 
Nº de Páginas 224 
Data de Lançamento 3/2021 
Dimensões 232 x 155 x 15 mm 
Formato Capa Mole 
PVP: 14,90€

Sinopse
Isabel não tinha medo dos mortos. Gostava de passear por entre as campas do cemitério, a recuperar as histórias da morte daquelas pessoas. Quando a falta de alguma informação lhe acicatava a curiosidade, perguntava à mãe...
Quando esta se recusa a dar-lhe uma resposta sobre uma mulher chamada Eulália, Isabel inicia uma busca por esclarecimentos. Só que ninguém quer falar sobre o assunto e, Inesperadamente, Isabel vê-se confrontada com uma teia de mentiras, maldade, enganos e crimes que a levam a compreender o passado misterioso da mãe e a forma quase anestesiada da sua existência.
Um romance de estreia profundamente sagaz e envolvente que faz um retrato do interior português preso na tradição religiosa da década de 1970.

LÉNIA RUFINO nasceu em 1979, em Lisboa. Cresceu nos subúrbios, rodeada de livros. Estudou Publicidade e Marketing, mas devia ter estudado Psicologia Criminal, a sua grande paixão a par da escrita. Aos dez anos escreveu o seu primeiro conto e decidiu que, um dia, haveria de ser escritora. Demorou trinta e dois anos a conseguir. Publicou vários contos no DNJovem e lamenta a extinção desta plataforma de divulgação de novos talentos. É autora de blogues desde 2003. Atualmente, colabora com o Repórter Sombra (www.reportersombra.com), onde publica contos mensalmente. O Lugar das Árvores Tristes é o seu primeiro romance.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

Desafio Ler com Elas - II Edição

Desafio Ler com Elas  - II Edição


Olá mantólicos!


À semelhança do que aconteceu em 2020, venho trazer-vos a II Edição do Desafio de Leitura, LER COM ELAS, que irá decorrer durante os meses de Março e Abril. Inícia a 1 de Março e termina a 15 de Abril

Este desafio de leitura foi criado com o intuito de motivar para a leitura de livros escritos por mulheres, sejam elas autoras nacionais ou internacionais.

O que é pretendido é que durante todo o mês de Março e primeira quinzena de Abril, as leituras sejam direccionadas para livros escritos por mulheres, com protagonistas mulheres. Estas duas características são obrigatórias. 

Como já é hábito, nos desafios de leitura da Manta de Histórias, irão manter-se as categorias. Neste desafio serão 5, que passo já de seguida a apresentar:

Elas nas relações amorosas
Elas e os seus direitos
Elas e os preconceitos
Elas na História
Elas na família 

Passo então a explicar cada categoria e o que deverão ler:

Elas nas relações amorosas: Deverão incluir livros do género literário romance, ficção ou não ficção. Aqui importa ler sobre como as mulheres vivem os seus relacionamentos amorosos. 

Elas e os seus direitos: Aqui deverão ler livros dentro da ficção, romance, ensaio, não-ficção, onde se abordem questões relacionadas com os direitos das mulheres, a falta deles e a luta por alcançá-los. 

Elas e os preconceitos: Devem incluir livros dos géneros literários romance, ficção e não ficção. Aqui deverão incluir histórias de mulheres que lutam ou que sofrem com algum tipo de preconceito, seja ele profissional, familiar, de género, de raça, de orientação sexual, etc. 

Elas na História: Os géneros literários a ler serão romance, thriller histórico, ficção ou não ficção. Nesta categoria importa destacar mulheres (reais ou ficcionais) que tenham tido um papel preponderante e activo em certos momentos da História universal.  

Elas na família: Importa ler sobre mulheres que são mães, irmãs, tias, avós, etc. que nos inspiram pelas suas histórias de vida. Aqui os géneros literários a incluir devem ser romances, thrillers, ficção ou não ficção.  

Depois de tudo explicado, só me resta perguntar-vos:
Aceitam o desafio?

A quem participar, não deixem de partilhar as vossas leituras nas redes sociais com a hashtag #lercomelas. Ou então podem partilhar as leituras, no sítio do costume, o nosso Clube de Leitura

Boas leituras!

domingo, 31 de janeiro de 2021

[A minha Opinião] Apneia

 

Apneia de Tânia Ganho

Apneia é a minha leitura de estreia com a escritora portuguesa Tânia Ganho. Este livro foi uma de duas leituras conjuntas, que realizei no Clube de Leitura Manta de Histórias. Bendita votação que me possibilitou a mim e a muitos outros membros do Clube, a embarcarmos nesta viagem.

Para quem ainda não leu e está na dúvida ou assustado com as 696 páginas, só vos tenho a dizer, leiam. Esta leitura surpreendeu-me. Surpreendeu-me pela escrita maravilhosa da autora. Surpreendeu-me pela temática abordada. Surpreendeu-me pelo grande trabalho de pesquisa. Surpreendeu-me pela carga emocional. Surpreendeu-me pela fluidez da leitura. 

Antes de iniciar este livro, já tinha algumas indicações que seria uma leitura dura, com grande carga emocional. Ler sobre violência doméstica é sempre cruel. Confesso que estava apreensiva. Sou uma leitora facilmente impressionável. Estava com receio de não conseguir ler esta história, caso houvessem passagens mais sensíveis. Uma coisa é certa, apesar de não haver passagens graficamente chocantes, esta história esgotou-me de início ao fim. 

A autora conseguiu, de forma brilhante, passar o sufoco, a impotência, a desesperança da personagem principal Adriana, e do seu filho Edoardo. Conseguiu também passar-me o sentimento de revolta, de ódio, de incredulidade em relação a Alessandro. Como é possível um ser humano ser capaz de tanta crueldade em relação a outro? Como é possível um homem ter tanto ódio pela sua mulher? Como é possível um pai negligenciar e perturbar tanto um filho? E conseguiu também retratar a realidade nua e crua da nossa justiça. Que é morosa, penosa, que nem sempre protege as vítimas e que deixa em liberdade o agressor. 

Apesar de durante a história serem narradas passagens muito idênticas da vida de Adriana e Edoardo, e de alguns leitores as acharem desnecessárias, não as entendi como tal. A meu ver a autora quis passar ao leitor a atmosfera de intranquilidade e repetição da violência. Quis transportar o leitor para aquele ambiente pesado e negro. Nesse aspecto foi brilhantemente conseguido. 

Esta história mexeu-me de tal forma com os nervos e emoções, que em diversas alturas da história quis gritar com todas as personagens. Quando um livro nos desperta este tipo de reacções só temos uma coisa a fazer, deixá-lo assentar. São livros que marcam, que fazem reflectir, que revoltam e que temos sempre de recomendar a leitura. E é isso que aqui vou fazer, recomendar-vos sem reservas esta leitura. Quer se goste ou não do final deste livro, será sempre um grande livro, escrito em português, por uma autora portuguesa. 

Depois desta leitura, já estou a pensar em adquirir mais livros da Tânia Ganho. Com este livro a autora ganha mais uma fã. 

Boas leituras! 

"O trauma é um ruído com que as vítimas vivem de manhã à noite, o ruído da violência sempre presente, ao acordar, ao deitar, e pelo meio, a tentativa de ser normal. A normalidade ansiada e que, a cada momento de insegurança ou frustração, se percebe que está longe de ser uma realidade."

🌟🌟🌟🌟🌟