quarta-feira, 24 de abril de 2013

Menina Rica Menina Pobre [A minha Opinião]


Joanne Rees escreveu o seu primeiro romance em 1997, com o seu nome de solteira, Josie Lloyd. Escreveu também vários bestsellers com o romancista Emlyn Rees, com quem casou. Em 2007 voltou a escrever sozinha. Este Menina Rica Menina Pobre (A Twist Of Fate, título original) é o primeiro romance publicado na Asa.

Depois de ver esta capa e ler a sinopse, sabia que tinha de ler este livro. Mas a sinopse pouco me preparou para o que encontrei nestas 508 páginas. Pensei eu saber já a história, duas irmãs, separadas à nascença e que a vida trataria de forma desigual, uma com todos os privilégios e outra com muitas carências. Enganei-me redondamente. Esta é uma história que combina belas histórias de amor com temáticas mais sensíveis, sérias e sombrias como a exploração infantil, a prostituição, abusos sexuais. Só vos posso dizer que tive momentos durante a leitura que senti como se me estivessem a dar um murro no estômago. 

A autora surpreendeu-me a cada capitulo com o rumo que escolheu para esta história. Brindou-me com diferentes cenários, da Alemanha de Leste aos Estados Unidos, de Itália às Caraíbas, de Amesterdão a Londres. Esta mudança de cenários torna a narrativa mais interessante e dinâmica para o leitor. 

Os capítulos, alternadamente, são associados a uma das personagens principais, ou a Thea ou a Romy. A cada um deles é associada uma data para nos podermos orientar na história e situar os acontecimentos num calendário mental. A forma como a autora apresentou os vários capítulos agradou-me. Quando fica um acontecimento por finalizar, a autora trata de o desvendar no próximo capitulo da personagem, de forma brilhante. O facto de não desvendar todos os factos e deixa-los em suspenso para as páginas seguintes, é excelente para agarrar o leitor ao livro. Dei por mim a ler páginas de forma compulsiva só para saber como ficou resolvido determinado acontecimento na vida das personagens principais. 

Quanto ao lote de personagens escolhidas foi fantástico. Temos inúmeras personagens que entram e saem da vida das personagens principais, mas que não surgem por acaso. Cada uma delas parece surgir para enriquecer mais a história e contribuir para o crescimento das personagens principais, Thea e Romy. 

O destino também está muito presente na narrativa e parece brincar com as personagens. Parece exercer um poder invisível e guia-as de forma certeira aquele momento derradeiro. Joanne Rees trabalhou este destino de forma atenta e pormenorizada, não deixando nada ao acaso.

Outro ponto que não posso deixar de referir é a inclusão de acontecimentos reais na história, como por exemplo a queda do muro de Berlim e os atentados do 11 de Setembro às Torres Gémeas. Estes pormenores tornam ainda mais rica a narrativa e aproximam o leitor.

Foi sem dúvida uma história que mexeu com as minhas emoções, que me proporcionou horas de boa leitura e que me cativou pelas personagens fortes e lutadoras. Deixou-me sem dúvida grandes lições de vida, que o dinheiro não compra a felicidade, que a verdade vem sempre ao de cima e que o verdadeiro amor tudo supera.

Uma leitura que recomendo pela riqueza da história e pelas constantes reviravoltas.

Boas leituras!         

2 comentários :

  1. selinho para ti no Delicias à Lareira :)

    ResponderEliminar
  2. Um dos melhores livros que já li, uma história arrebatadora, sem dúvida.

    ResponderEliminar