terça-feira, 14 de agosto de 2018

Primeiras Palavras - O Bibliotecário de Paris

O Bibliotecário de ParisO Bibliotecário de Paris by Mark Pryor
My rating: 4 of 5 stars

É a minha estreia com o autor Mark Pryor e estou conquistada. Já estou a pensar no outro livro que tenho na estante, O Livreiro. Foi uma agradável surpresa este livro. Gostei da personagem principal, Hugo. Um homem inteligente, atento, apaixonado por livros e com um instinto incrível a resolver mistérios. Os apaixonados por livros vão gostar deste livro, pois o espaço central da trama é a Biblioteca Americana em Paris. Só isso é motivo mais que suficiente para cativar-nos a ler este livro. Eu de uma assentada li 265 páginas, quererá dizer algo sobre esta leitura. Achei a escrita do autor bastante acessível, a história foi bem construída, o mistério mantém-se até ao final do livro, deixando o leitor em pulgas para resolver o caso. Mark Pryor será um autor a seguir de perto. Conto em ler O Livreiro assim que consiga.

domingo, 12 de agosto de 2018

Primeiras Palavras - A Única Memória da Flora Banks

A Única Memória da Flora BanksA Única Memória da Flora Banks by Emily Barr
My rating: 3 of 5 stars

3,5
Este não é o primeiro livro que leio sobre amnésia. Como tal tinha muito presente na memória o livro que li anteriormente sobre o tema. No entanto, este livro faz um bom retrato do que é não conseguir manter memórias e só se recordar das coisas por umas horas. Flora, sem dúvida, é uma jovem corajosa, que lida da melhor forma com o problema que tem. Tem as suas formas de se recordar das coisas e é assim que tenta viver com alguma normalidade. Há algo que irá mudar o quotidiano desta jovem quando, a mesma, consegue formar uma memória. Agarra-se a ela como se fosse a sua salvação e tudo fará para alcançar a sua cura. A autora transmite muito bem, a partir da sua escrita simples, a confusão que é a memória e a vida de Flora. Quando pensei saber tudo sobre como terminaria esta história, a autora surpreende e introduz novos dados. É uma leitura que se faz sem dar pela passagem do tempo.


sábado, 11 de agosto de 2018

A minha avó pede desculpa de Fredrik Backman


- Nunca tinha visto tantos livros, é quase doentio. Nunca ouviu falar em iPad?
A mulher ergue de novo os olhos. Demora-os muito tempo em Elsa
- Gosto de livros.
- E não acha que eu não gosto? Mas pode guardá-los num iPad. Não precisa de ter um milhão de livros no escritório.
As pupilas da mulher saltitam de um lado para o outro na secretária. (...)
- Gosto de livros físicos.
- Pode ter todo o tipo de livros no iPad.
Os dedos da mulher tremem ligeiramente. (...)
- Não era isso que queria dizer com "físico". Refiro-me a livros no sentido de capa, páginas...
- Um livro é um texto. E pode ler o texto num iPad!
Os olhos da mulher abrem e fecham como persianas.
- Gosto de segurar o livro quando leio. 
- Pode segurar o iPad. 
A mulher acena com a cabeça, o aceno mais lento que Elsa já viu na vida. Elsa abre os braços.
- Mas, ei, faça como quiser! Até pode ter um milhão de livros físicos! Só estava curiosa. Sabe que não deixa de ser um livro se o ler no iPad. Sopa é sopa, seja qual for a tigela. 

In A minha avó pede desculpa de Fredrik Backman



sexta-feira, 10 de agosto de 2018

Primeiras Palavras - A Minha Avó Pede Desculpa

A Minha Avó Pede Desculpa

My rating: 4 of 5 stars

Um livro que combina com mestria realidade e fantasia. Um livro sobre a importância dos laços familiares, dos contos de fada e dos super-heróis, quando somos crianças. Uma história que tem como narradora uma criança de sete anos, incrivelmente inteligente para a sua idade e por isso diferente da maioria. É centrada na sua relação com a avó, a sua melhor amiga, também ela diferente, também ela marcante. As duas irão construir um mundo de fantasia capaz de fazer frente aos problemas de todos os dias. Um livro que nos mostra como é lidar com a perda daqueles que mais amamos e a importância das histórias nas nossas vidas. Porque afinal os contos de fada não são só para crianças, os adultos também merecem ouvi-los.


Biblioteca Perfeita


Fonte: Pinterest

terça-feira, 7 de agosto de 2018

Monteperdido de Agustín Martínez - Novidade Suma de Letras


Suma de Letras
ISBN 978-989-665-553-2
464 Páginas
PVP c/IVA 21,90

Sinopse
Ana e Lúcia, duas amigas de onze anos de uma pequena aldeia dos Pirenéus, abandonam a escola e vão para suas casas. Mas nunca chegam ao seu destino. Ninguém mais as vê. Cinco anos mais tarde, entre os despojos de um acidente de carro, num desfiladeiro próximo a Monteperdido, aparecem o corpo de um homem e uma adolescente gravemente ferida e desorientada. É Ana, uma das meninas que desapareceu há muito tempo. Enquanto toda a aldeia tenta assimilar o rumo dos acontecimentos, o caso é reaberto. Quem é o homem morto? Quem está por trás do sequestro das meninas? Onde está Lúcia? E, o mais importante, ainda estará viva?
As respostas a estas perguntas escondem actos terríveis que muitos habitantes de Monteperdido lutam desesperadamente para manter em segredo.

Agustín Martínez nasceu em Lorca, Múrcia, em 1975. Formado em Imagem e Som pela Universidade Complutense de Madrid, iniciou a sua carreira profissional em publicidade, mas a escrita de guiões de ficção para televisão logo se cruzou no seu caminho. Actualmente, alterna este trabalho com a direção de programas e colaborações na rádio. Desde 1999, ano em que escreveu o seu primeiro guião, participou em muitas séries, às vezes como criador, outras como guionista.
O seu primeiro romance, Monteperdido - A Vila das Meninas Desaparecidas, foi uma estreia deslumbrante com excelentes críticas em todos os países onde já foi publicada - os direitos foram vendidos para mais de dez países. O seu segundo romance Mala Hierba também já está a ser traduzido para várias línguas.

Autor espanhol de thrillers psicológicos publicados por editoras relevantes no estrangeiro como França (Actes du Sud), Alemanha (Fisher), Itália (Rizzoli) e Reino Unido (Hachette)

Classificado como BEST SELLER na Amazon com 4,5*