quarta-feira, 24 de agosto de 2016

[A minha Opinião] Fala-me de um Dia Perfeito


"Olho para ela durante muito tempo. Conheço a vida suficientemente bem para saber que não podemos esperar que as coisas permaneçam imutáveis, por mais que queiramos que isso aconteça. Não conseguimos evitar que as pessoas morram. Não podemos impedi-las de partirem. Também não podemos evitar a nossa partida. Conheço-me o suficientemente bem para saber que ninguém consegue manter-me acordado ou impedir-me de dormir. Tenho de o fazer sozinho. Mas, céus, eu gosto desta miúda." 

"Às vezes, Ultravioleta, as coisas parecem verdadeiras para nós, mesmo que não sejam."

"Fico sentado no carro, à porta da minha casa, durante muito tempo, com medo de quebrar o encanto. Aqui, o ar e Violet estão próximos. Sinto-me envolto no dia de hoje. Adoro: o modo como os seus olhos brilham quando conversamos ou me conta algo que quer muito que eu saiba, a forma como pronuncia as palavras para si mesma quando está a ler, concentrada, e como olha para mim como se fosse a única pessoa no mundo, como se visse o meu íntimo através da carne, dos ossos e de todas as tretas, aquele que nem sequer eu vejo." 

Antes de iniciar esta leitura já tinha lido diversos comentários a respeito deste livro, a indicarem que era maravilhoso, inesquecível, tocante, ternurento. Muitos foram os adjectivos usados para o caracterizar. Nunca quis ler uma opinião completa antes de ler o livro porque não queria começar a leitura com uma ideia concreta já formada. Contei também com o comentário da minha mãe, que o leu antes de mim e disse que era lindo, acrescentando ainda que não tinha gostado do final. Tudo bons motivos para ir à estante e iniciar a leitura. 

Violet e Finch são as personagens centrais da narrativa e são eles que vão narrando, alternadamente, todos os acontecimentos e evoluir da história. É uma excelente forma de agarrar o leitor e conhecer melhor os sentimentos e pensamentos de cada uma das personagens. 

O tema central deste livro é sensível e a autora foi extremamente cuidadosa e inteligente na forma como o abordou. Durante a leitura não senti o peso da temática, nem tão pouco um ambiente excessivamente sombrio. Elogio grandemente a escrita da autora que me proporcionou uma leitura fluída e emocionante.   

Acabei a leitura com o coração apertado. Queria outro final para este livro. Mas como na vida real, as histórias nem sempre terminam com: "E viveram felizes para sempre." Agarrei-me aquela ténue esperança que por um milagre, os factos se alterassem. Não aconteceu. 

"O que percebo agora é que o que é importante não é o que levamos, mas o que deixamos." E Violet e Finch deixaram-me as suas histórias de vida frágeis, corajosas, sombrias. Dois jovens com o coração quebrado foram capazes de amar e dar o seu melhor ao outro. O amor salva? Sim, salva, mas não toda a gente. 

Este é um daqueles livros que se agarra para ler e depois não se consegue parar. Será também um livro que ficará num cantinho especial, no cantinho dos livros favoritos. Aos próximos leitores, preparem-se para uma leitura viciante, comovente, revoltante, sensível, ternurenta. Deixem sair as lágrimas, se for caso disso. Sintam o aperto na garganta e a vontade de bater em alguém, mas acima de tudo, deixem-se conquistar por Violet e Finch.

Boas leituras! 

Confia em mim de Lesley Pearse - Novidade ASA


20-09-2016 

Sinopse
As irmãs Dulcie e May têm uma vida perfeitamente normal em Inglaterra… até ao dia em que o pai, por acidente, mata a mãe. Quando ele é condenado a uma pena por homicídio involuntário, as duas meninas ficam sozinhas no mundo.
É no orfanato que as irmãs percebem o verdadeiro significado da palavra crueldade. Mas a promessa de uma “vida melhor” na Austrália enche-lhes o coração de esperança… Infelizmente, a realidade reserva-lhes mais um duro golpe.
Será apenas muito mais tarde, ao conhecer o jovem Ross, também um “sobrevivente” dos orfanatos, que Dulcie tem um vislumbre da felicidade. Mas após uma vida a ouvir tantas promessas vãs, terá ela a força de espírito para confiar em alguém a ponto de lhe entregar o seu coração? E conseguirá ainda salvar May das garras de um destino trágico?
Baseado em factos reais, Confia em Mim podia ser a história de milhares de crianças vulneráveis, arrancadas aos seus lares e aos entes queridos em meados do século passado. Com a ternura a que já nos habituou, Lesley Pearse retrata a chocante realidade da migração.

Viver sem Ti de Jojo Moyes - Novidade Porto Editora


22-09-2016 

Sinopse
Como seguir em frente depois de se perder a pessoa amada?Como construir uma vida que valha a pena ser vivida? Louisa Clark já não é uma jovem banal a viver uma vida banal. O tempo que passou com Will Traynor transformou-a, sendo agora uma pessoa diferente que tem de enfrentar a vida sem ele. Quando um insólito acidente obriga Lou a regressar a casa dos pais, é impossível não sentir que está de volta ao ponto de partida. Lou sabe que precisa de um empurrão que a traga de novo à vida. E é assim que acaba por ir parar ao grupo de apoio Seguir em Frente, cujos membros partilham sentimentos, alegrias, frustrações e bolos intragáveis. Serão também eles que a levarão até Sam Fielding – um paramédico que trabalha entre a vida e a morte, e o único homem que talvez seja capaz de a compreender. Mas eis que uma personagem do passado de Will surge de repente e lhe altera todos os planos, lançando-a num futuro muito diferente…. Para Lou Clark, a vida depois de Will Traynor significa reaprender a apaixonar-se, com todos os riscos que isso implica. Em "Viver Sem Ti", Jojo Moyes traz-nos duas famílias, tão reais como a nossa, cujas alegrias e tristezas nos tocarão profundamente ao longo de uma história feita de surpresas.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Sentir Profundo

"Embora saiba que está a chegar, a onda de emoção esmaga-me, com tal força que mal respiro. O desgosto é tão físico que parece impossível que ainda esteja viva e que o meu coração continue a bater, quando foi completamente estilhaçado."

 In Deixei-te ir de Clare Mackintosh 

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Dia Mundial da Fotografia

"Fotografar é colocar na mesma linha de mira, a cabeça, o olho e o coração." 
Henri Cartier-Bresson




Estas são fotos da minha autoria e demonstram bem a minha paixão pela fotografia. Como diz Henri Cartier-Bresson: "As tuas primeiras 10.000 fotografias são as tuas piores". Há que manter a paixão e fotografar muito. É o que irei continuar a fazer. 

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

[A minha Opinião] Tim


Tim foi o meu livro de estreia de Collen McCullough e foi uma excelente escolha. É uma bela forma de conhecer a escrita e sensibilidade da autora. Já várias amigas leitoras me tinham recomendado a autora e só lhes posso agradecer. Só tenho é pena de não ter lido o livro mais cedo. 

No que diz respeito à história deste livro, o amor é o tema central. A história de um amor que transforma, salva, educa, amadurece e deixa viver. Um amor que traz esperança, que arranca lágrimas e sorrisos. Um amor puro, genuíno, verdadeiro, que faz olhar a vida com outros olhos. A autora fez, sem dúvida alguma, um excelente trabalho ao oferecer-me este romance absolutamente singular e inesquecível.

Aos poucos foi entrando na vida de Mary Horton e Tim Melville, duas personagens sem nada em comum, com vidas completamente opostas um do outro, e que mesmo assim o destino encarrega-se de as fazer cruzar. Mary Horton é uma mulher solteira, na casa dos 40 anos, com um grande sucesso profissional construído a pulso e com muito sangue, lágrimas e suor. Vive sozinha num bairro tranquilo de classe média. Não tem uma vida social activa. Gosta de se manter longe e isolada das pessoas. É uma mulher extremamente inteligente e culta. Apesar da capa de pessoa dura que ostenta, por dentro é uma pessoa sensível. Teve uma infância difícil que foi a fonte motivadora para alcançar tudo o que conseguiu na sua vida. Tim Melville é um jovem de 25 anos, lindo, com um físico invejável, sensível mas pouco inteligente. É um jovem especial, ingénuo, bondoso, inocente. Tem uma mente de criança presa num corpo de um homem. É esforçado e trabalha para ajudar a sua família, à qual está muito ligado e é pilar fundamental na sua vida. 

As duas personagens descritas anteriormente, irão criar um forte laço de afecto que acabará por ser o milagre das suas vidas. Este homem e esta mulher serão a salvação um do outro. O amor genuíno e singular que sentem um pelo outro, será o que os fará lutar contra o mundo e contra todos. Será um amor destinado a derrubar murros.

A mensagem deste livro é comovente e inesquecível. É impossível não nos apaixonarmos por esta história. Eu fiquei apaixonada! A escrita da autora é simples mas ao mesmo tempo encantadora e poética. Foi levada pelas páginas deste livro sem dar pelo tempo passar. Quando terminei de ler a última página e fechei o livro, sorri. Tinha acabado uma das melhores leituras que fiz este ano. Preciso de mais livros destes urgentemente! Já tenho na estante mais um livro da autora que em breve espero ler. 

Quanto a vós, caros leitores, se ainda não leram Colleen McCullough, não percam tempo, leiam um livro dela, é fantástica.

Boas leituras!

A Terapeuta de Gaspar Hernandez - Novidade Marcador


Edição/reimpressão: 2016
Páginas: 232
Editor: Marcador
ISBN: 9789897542602
Coleção: Marcador Literatura
PVP: 17,50€

Sinopse
Hèctor Amat, um ator famoso que sofre de ataques de ansiedade, vê-se envolvido num terrível crime. Sem saber como, nem porquê, aparece num parque de estacionamento, junto de uma mulher assassinada. Por mais que se esforce para reconstituir os seus passos, não consegue lembrar-se do que aconteceu. O tempo e a investigação não jogam a seu favor, por isso, Hèctor decide pedir ajuda como derradeiro recurso para recuperar a memória. Visita então o consultório da psicóloga Eugènia Llort, a terapeuta que o atendeu depois do crime. Esta relação, num primeiro momento profissional, vai-se convertendo num relacionamento de dependência, que atingirá limites nada usuais. Para que Hèctor possa representar, a psicóloga vai todas as noites ao teatro onde ele interpreta Dick Diver, o protagonista de Terna É a Noite. Mas, tal como a sua personagem, um psicólogo que se apaixona por uma paciente, também ele acaba por se apaixonar perdidamente pela terapeuta.

Gaspar Hernàndez (1971), o mestre da divulgação da psicologia em Espanha, é escritor e jornalista.
Ganhou o Prémio Josep Pla com o romance El silencio (2009). Também publicou o ensaio jornalístico El o_cio de vivir bien. Colaborou regularmente com os jornais El País, El Periódico de Catalunya e El Punt Avui. 
Na TV3, apresentou o programa Bricolatge Emocional, e, na Catalunya Ràdio, conduz atualmente L’o_ci de viure (O ofício de viver), um programa sobre psicologia e espiritualidade, Prémio Ciutat de Barcelona, pela sua «inovação e rigor», segundo as palavras do júri.

Citações
«Um excelente romance que aborda com sensibilidade e inteligência o problema do stresse e da ansiedade, um dos grandes desafios do mundo moderno.» | Culturamas
«Com o seu segundo romance, Gaspar Hernàndez consagrou-se um autor a ter em conta, com enredos que saem muito do habitual.» | De tinta en vena
«Muita atenção a este livro. Um romance que trata, como um verdadeiro protagonista, a doença pandémica do nosso tempo. Uma escrita apaixonante, um jogo de espelhos em que sentimos arder as paixões. Nas mãos de Gaspar Hernàndez está a génese de um novo arquétipo. Um romance profundo, brilhante, extraordinário.» | Correo Galego
«Neste livro, a ansiedade joga com os protagonistas. Para o escrever, o autor entrevistou meia centena de psicólogos. O resultado é um romance que procura fazer uma radiografia da complexa sociedade do começo do século XXI.» | Faro de Vigo

Saiba mais sobre o livro no site da Editorial Presença aqui.