quarta-feira, 31 de outubro de 2018

5 dicas simples para estimular a leitura


Hoje irei partilhar convosco algumas dicas de como ler mais. Este ano estou a ler mais do que em anos anteriores e acho que é graças a estes factores que vos vou falar. 

1 - Fixar uma meta de leitura diária
Estipulem um número de páginas diárias de leitura e tentem cumprir essa meta. Eu afixei as 100 páginas diárias e na maioria das vezes consigo ler o que estipulei. Desta forma temos um incentivo extra para ler e lemos mais. Comigo resulta. Experimentem!

2 - Escolher uma hora de leitura
Durante o dia dediquem algum tempo exclusivo à leitura. Vejam que horas do vosso dia são mais indicadas para estar calmamente a ler. Eu tento tirar sempre uma ou duas horas durante a tarde, e leio sempre todos os dias antes de ir dormir. Nessas horas não há distracções, só concentração absoluta na leitura. 

3 - Utilizar o Goodreads
O Goodreads é uma ferramenta fantástica. Além de estabelecermos no início do ano uma meta de leitura, possibilita também o acompanhamento diário nossas leituras. Gosto sempre de ir lendo e acompanhando a percentagem de leitura feita. 

4 - Dedicar menos tempo às redes sociais
É sabido que passamos muito tempo nas redes sociais. Para ler mais podemos cortar no tempo que passamos online e substituir esse tempo pela leitura. Vão ver que 10, 15, 20 ou 30 minutos fazem toda a diferença. 

5 - Participar em desafios de leitura
Este ano pela primeira vez estou a fazer um desafio de leitura. O desafio de leitura aqui do Manta de Histórias. Estou a ser posta à prova. É uma forma muito boa de ir lendo os livros que já estão há muito tempo na estante à espera de vez. Próximo ano há mais. Fiquem atentos! 

Partilhem comigo as vossas dicas de leitura. Digam-me se são iguais às minhas ou diferentes. Contem-me que estratégias utilizam para ler mais. 
Boas leituras!  

[A minha Opinião] A biblioteca dos livros proibidos


Este livro de Tom Pugh chamou-me a atenção, não só pela capa mas também pelo seu título.

A biblioteca dos livros proibidos, na história aqui narrada, é chamada de biblioteca do diabo. Nela estão contidas obras vanguardistas capazes de levar a humanidade em direcção ao iluminismo, ao livre-pensamento.

Os Otiosi são o grupo responsável por salvar obras vanguardistas e descobrir a biblioteca. Gregorio Spina, com a ajuda de Matthew Longstaff, Gaetan Durant e Aurélie, tudo fazem para as salvar das mãos da Inquisição. Os inquisidores do papa Pio IV, tudo fazem para destruir qualquer foco de conhecimento.

Gregorio Spina, chefe censor e espião do papa faz tudo ao seu alcance para apanhar os Otiosi,  descobrir a biblioteca do diabo, destruí-la e ter na sua posse um livro de extrema importância. Spina usa todos os meios à sua disposição, recorrendo muitas vezes à violência e à tortura, como meio de intimidação e de poder.

Este livro é um bom retrato da Europa do século XVI, de uma Itália mergulhada na contra-reforma, da luta por salvar uma Europa da segunda Idade das Trevas.

Uma leitura que ao início é um pouco confusa mas que depois ganha fôlego com as aventuras de Matthew Longstaff e Gaetan Durant. Um livro que vale a pena ler.

Boas leituras!

terça-feira, 30 de outubro de 2018

[A minha Opinião] O Anjo-da-Guarda


O Anjo-da-Guarda foi um thriller que li para o meu desafio de leitura. Completei assim o ponto que desafiava a ler um livro baseado em factos verídicos.

A história deste livro passa-se em Copenhaga, na época do pós-guerra, ainda com todas as cicatrizes expostas do nazismo. Acompanhei a investigação de Anders Olsen, que investiga um assalto a um banco, que culmina em homicídio. Conforme a investigação avança, mais factos apontam para que o criminoso Palle Hardrup tenha cometido o crime por influência de hipnose.

Todo o livro centra-se então no tema da hipnose e de como Bjorn Nielsen influenciou Palle Hardrup a cometer um crime. Este facto é tão rebuscado e fora de normal, que muitos policiais pensam que Anders Olsen está completamente maluco. Estará?

Algumas das personagens e a própria história são baseadas nesses acontecimentos verídicos. Curiosamente a personagem que menos gostei, Marie, é uma personagem ficcional e não existiu na vida real.

É um livro que não oferece surpresas, porque assim que lemos a sinopse, ficamos a conhecer os contornos da história. Apesar desse facto, é um livro que se lê bem e narra um episódio singular de condenação. O ponto forte da narrativa, a meu ver, é o contexto histórico onde decorre a acção.

Boas leituras! 

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Um dia em Dezembro de Josie Silver - Novidade Planeta


384 páginas
PVP: 17,76€
Nas livrarias a partir de 6 de Novembro

Sinopse
Laurie tem a certeza que o amor à primeira vista não existe em lado nenhum a não ser nos filmes. Mas um dia, através da janela de um autocarro, numa tarde de Dezembro, vê um homem que lhe faz bater o coração mais depressa.
Os seus olhos encontram-se, há um momento de pura magia... e o autocarro afasta-se.
Com a certeza de que não se tornariam a encontrar, Laurie passa o ano a olhar para cada paragem, mas não o torna a ver. Na festa de Natal da melhor amiga, Sarah, esta apresenta-lhe o novo namorado. Chama-se Jack, e é o rapaz que viu do autocarro.
O que se segue para Laurie, Sarah e Jack são dez anos de amizade, desgostos, oportunidades perdidas, caminhos errados e vidas desfeitas.

Josie Silver é uma romântica inveterada que conheceu o marido quando fez 21 anos. Vive numa pequena cidade nas Midlands, com o marido, os dois filhos e o gato.

Críticas
«A história de amor que todos estávamos à espera...Adorei!» Miranda Dickinson, autora de Fairytale of New York
«O livro perfeito para nos perdemos nesta quadra natalícia» Jill Santopolo, autora de The Light We Lost
«O ritmo é perfeito, o tom quente e as personagens envolventes. Quem acredita no amor verdadeiro vai encontrar neste romance de estreia de Josie Silver uma leitura comovente e inesquecível.» Kirkus Reviews

[A minha Opinião] Talvez para sempre


O que me atraiu imediatamente para este livro foi a sua capa. Está apelativa e remeteu-me logo para um romance talvez passado em tempos de guerra.

É o primeiro livro que leio do autor José Gameiro e não tenho a certeza se comecei pelo certo. Sei que o autor tem alguns livros publicados, entre eles Até Que Consigas Voar ou Até que o Amor nos Separe. Se algum deles é um romance, isso já não sei.

Depois da leitura feita consigo encontrar alguns pontos a favor: a sua escrita e o humor. Para mim o facto de o livro ser constituído por pequenos contos ou crónicas não me agradou. A capa remetia-me para um romance, e não foi isso que encontrei.

É um livro que fala de relações amorosas, do que de bom elas trazem, e das rupturas que acontecem entre casais. Percebemos um pouco o que vai na cabeça dos homens e das mulheres, no que toca a relações amorosas.

Se gostarem de ler crónicas, aconselho a leitura. Se como eu, este não for o vosso género de leitura, não vos agradará assim tanto a leitura.

Boas leituras! 

sábado, 27 de outubro de 2018

Quase a chegar às livrarias - Olha por mim


Disponível a 16 de Novembro

Sinopse
A vida de Eilidh Lawson está num momento de crise. O insucesso de prolongados tratamentos de fertilidade, o marido infiel e a família asfixiante levaram-na aos limites. Em busca de alívio, Eilidh procura consolo no único lugar onde já se sentiu em casa - uma pequena aldeia nas Terras Altas escocesas. Aí, Eilidh começa lentamente a recompor-se mas rapidamente percebe que, na aldeia, não é a única que recupera de um passado doloroso. 
Também Jamie McAnena, amigo de infância de Eilidh, tenta reencontrar-se e criar sozinho uma filha, Maisie. Embora Jamie e Eilidh resistam, circunstâncias peculiares continuam a aproximá-los.

Quase a chegar às livrarias - A Vendedora de Azevinho


Disponível a 13 de Novembro

Sinopse
É Véspera de Natal. O vento faz rodopiar a neve sobre as ruas de Londres. À porta de uma casa em Angel Lane, uma bebé abandonada, embrulhada numa manta, aguarda a sua sorte… 
Angel, cujo nome se deve à rua onde é encontrada, parece destinada a ter uma vida miserável. Embora seja acolhida numa casa cheia de amor, um cruel golpe do Destino atira-a novamente para as ruas da cidade, onde todos os dias luta para sobreviver. 
E agora que o Inverno se aproxima, Angel treme de frio enquanto tenta vender azevinho a quem passa, na esperança de que alguém se compadeça dela. Podia estar mais confortável, pois possui uma joia valiosa - um anel de ouro e rubi que vinha escondido na sua manta de bebé - mas prefere morrer à fome a abdicar do único laço que a prende às suas misteriosas origens …
A Vendedora de Azevinho marca a aguardada estreia da autora bestseller Dilly Court em Portugal. Um romance pleno de ternura, perfeito para as longas noites de Inverno.

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Primeiras Palavras - A Distância entre Mim e a Cerejeira

A Distância entre Mim e a Cerejeira

My rating: 3 of 5 stars


Esta é a história de Mafalda, uma menina de nove anos, que sofre da doença de Stargardt. A única certeza que esta menina tem, é que o seu futuro será preenchido com escuro. A doença de Stargardt é uma doença macular degenerativa que leva à cegueira e é irreversível. Mafalda com o passar dos dias perde um pouco mais da sua visão. É esta consciência que a leva a descobrir qual é o seu essencial, aquilo que precisa mesmo de ter/ser. O livro contém toda a inocência e fantasia de uma criança de nove anos, mas também nos mostra a dura realidade do que é a doença, das dificuldades que é viver com ela, do papel da família, dos amigos e de como a pessoa portadora da doença se pode reinventar. É uma história inspiradora de coragem e determinação. Apesar do medo, o importante é manter a esperança e encontrar o caminho da felicidade.

Como Estrelas Cadentes de Sveva Casati Modignani - Novidade Porto Editora


Título: Como Estrelas Cadentes
Autor: Sveva Casati Modignani
Tradução: Regina Valente
Págs.: 496
Capa: mole com badanas
PVP: 17,70 €

Sinopse
Durante a sua longa vida, Rosa precisou de usar astúcia e coragem, caiu e levantou-se de novo, atravessou de cabeça erguida cansaços e derrotas, atingiu metas importantes, escrevendo o destino com as suas mãos.
Em volta desta inesquecível personagem feminina gira a história aventurosa e atormentada de uma riquíssima família de Milão, cujos episódios se entrelaçam num cenário internacional ao longo de um século.
A sombra de um incesto, a criação de um grande império industrial, as cores impiedosas da guerra, o mundo cintilante da moda, a languidez da sensualidade e os segredos inconfessáveis dos poderosos são os elementos deste romance violento e romântico que fascina e envolve profundamente o leitor.

Sobre a autora
Reconhecida como a grande signora do bestseller italiano, com mais de 11 milhões de exemplares vendidos, Sveva Casati Modignani está traduzida em 17 países e é hoje uma das autoras mais populares em Portugal. No catálogo da Porto Editora figuram já os seus romances Feminino Singular,
Baunilha e Chocolate, O Jogo da Verdade, Desesperadamente Giulia, O Esplendor da Vida, A Siciliana, Mister Gregory, A Viela da Duquesa, Um Dia Naquele Inverno, O Barão, A Família Sogliano, 6 de abril ’96, A Vinha do Anjo, Como Vento Selvagem, O Regresso da Primavera e Lição de Tango. A sua obra autobiográfica, O Diabo e a Gemada, também já se encontra publicada no catálogo da Porto Editora.

[A minha Opinião] A ilha dos segredos



E que segredos esconde este livro!

Quando iniciei a leitura estava à espera de um daqueles romances leves, com cheirinho a verão. Atenção, o cheiro a verão esteve presente em alguns momentos, mas a leitura que esperava leve, não foi assim tão leve.

Anna, personagem principal levou-me numa viagem pelo presente e passado da sua família. E que viagem! Mal sabia eu que segredos bem guardados tinha esta família. Anna quando decide viajar até uma pequena ilha na Grécia, com o seu pai Alexis, para fugir aos seus problemas, mal sabe o que irá descobrir e como isso alterará a sua vida.

Não vos posso contar mais sobre a história. O que vos posso dizer é que vale muito a pena lerem. O cenário da narrativa é deslumbrante. As viagens ao passado, feitas pelas personagens, são saudosistas mas também dolorosas. Retratam um período negro da nossa história universal, que se entrelaça com a vida de algumas das personagens.
  
A escrita da autora é simples e contagia. A história está bem construída, o cenário é maravilhoso, as personagens cativantes. Não dei pelo passar das páginas.

Não se deixem enganar pela capa do livro. Os segredos que lá dentro guarda são bem mais dos que os revelados na sinopse.

Boas leituras!

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

[A minha Opinião] O Tatuador de Auschwitz


Dos muitos livros que já li sobre o Holocausto, nunca o centro da história foi sobre uma relação de amor, nascida dentro daquela prisão de horror.

Heather Morris baseou-se nas memórias de Lale Sokolov, uma vítima do terror nazi, que durante a sua prisão em Birkenau, foi o tatuador de todos quantos chegavam aos campos de concentração. Foi numa dessas ocasiões, que ao tatuar Gita, se apaixona por ela ao primeiro olhar.

É no meio de todo o horror que nasce a história de amor de Lale e Gita. Todos os dias são confrontados com crueldade, monstruosidade, insensibilidade e apesar da terrível situação em que se encontram, procuram a esperança um no outro e lutam para sobreviver.

Como em todos os livros que li sobre o Holocausto, os murros no estômago estão presentes. Muitas das cenas narradas são cruéis e há alturas em que tenho de parar a leitura. Não são leituras fáceis de se fazer, mas são necessárias para não deixar esquecer o passado.

A história de Gita e Lale inspira e faz-nos acreditar que no meio da tragédia há sempre espaço para o amor. Leitura mais que recomendada.

Boas leituras!

"Fazem amor com paixão e desespero. É uma necessidade já de há tanto tempo que resistir-lhe é impossível. Duas pessoas desesperadas pelo amor e pela intimidade que temem não ter oportunidade de tornar a viver. Sela-se o compromisso entre eles e, naquele momento, Lale sabe que jamais amará outra."

"Foi-me dada a opção de participar na destruição do nosso povo e eu escolhi fazê-lo para sobreviver. Resta-me ter esperança de não vir a ser julgado como perpetrador ou colaborador."

"Antes de mais, tens de aprender a ouvi-la. Ainda que estejas casado, nunca deves estar cansado a ponto de não querer ouvir o que ela tem a dizer. Descobre o que ela gosta e, sobretudo, o que não gosta. Sempre que possível, mima-a; dá-lhe flores ou chocolates. As mulheres gostam dessas coisas."

terça-feira, 23 de outubro de 2018

[A minha Opinião] Não adormeças


Ora aqui está um thriller que me despertou interesse pela seguinte frase: "Imagine que viveu o seu pior pesadelo e ninguém acredita em si...".

Liz Lawler apanhou-me logo no primeiro capítulo, deixando-me presa à leitura. Senti ansiedade e arrepios ao ler aquelas primeiras páginas. Sendo mulher, consegui sentir a fragilidade e o perigo em que se encontrava a personagem principal, Alex Taylor.

Alex Taylor é uma médica de sucesso, mas esse facto não a salva de ser "supostamente atacada e aterrorizada" no seu local de trabalho. O que ela não imaginava é que ao contar a sua experiência traumática, ninguém acreditasse nela, nem mesmo o próprio namorado. É esta descrença que leva ao desmoronamento psicológico e emocional de Alex. Para combater a ansiedade Alex entra numa espiral de destruição com o consumo de medicamentos e bebida. Tudo isto se transforma numa bola de neve gigante que Alex é incapaz de controlar.

Este não é o primeiro thriller que leio, em que a personagem principal supostamente passa por algo traumático e ninguém acredita nela. Fez-me lembrar um pouco a personagem de "A Mulher à Janela".

A autora conseguiu construir uma boa história, com uma personagem principal que se vai desmoronando e levantando dúvidas ao longo dos capítulos, personagens secundárias que vão alimentando dúvidas no leitor e um vilão inesperado.

Gostei do rumo da narrativa, simpatizei com algumas personagens e outras odiei, mas acima de tudo gostei por me ter agarrado à leitura. É isto que se quer, um livro que nos agarre. Recomendo a leitura.

Boas leituras!

A Fonte Silenciosa de Victoria Fox - Novidade Quinta Essência


Editora: Quinta Essência 
Nas livrarias a 30 de outubro 
15,90 € 
ISBN 9789897800122 

Sinopse
Lucy Whittaker é o centro das atenções... mas pelos piores motivos. Está prestes a tornar-se a mulher mais odiada de Inglaterra e precisa desesperadamente de sair de Londres, onde, aliás, já não lhe resta nada. Perdeu o emprego, os amigos, a casa... perdeu-o a ele... A sua vida, tal como a conhecia, acabou. Em desespero, Lucy responde a um anúncio de emprego numa mansão isolada na Toscana. O que pode ser mais perfeito do que um esconderijo italiano? Mas o imponente e misterioso Castillo Barbarossa revela ser bem mais do que o paraíso de isolamento pelo qual Lucy ansiara. Do sótão vêm sons estranhos; a silenciosa fonte do pátio nunca chega a secar, e por que motivo é que a proprietária da casa nunca aparece? À medida que os dias passam e as noites escondem mais e mais inquietações, Lucy dá por si a investigar a casa, os seus segredos... e a trágica história de amor cujo eco se faz ainda sentir. 
A Fonte Silenciosa é um romance repleto de emoção, surpresas, traição e escândalos. É um livro que vai permanecer consigo, mesmo nos momentos em que não o está a ler...

sábado, 20 de outubro de 2018

NUNO RIBEIRO - Longe

Primeiras Palavras - Frida Kahlo - Uma Biografia

Frida Kahlo - Uma BiografiaFrida Kahlo - Uma Biografia by María Hesse
My rating: 4 of 5 stars

Frida Kahlo sempre foi uma artista que me despertou muito interesse e que ainda nada tinha lido a respeito. Quando vi a novidade da Suma de Letras quis imediatamente ler a biografia. Apaixonei-me imediatamente pela capa do livro. Só vos tenho a dizer que ao vivo e a cores é ainda mais linda. Quanto ao interior do livro, faz jus à capa. As ilustrações de María Hesse são tão ricas e criativas que fiquei logo conquistada. Casam na perfeição com o texto que as acompanha. Em pouco mais de 150 páginas, conheci a vida atribulada de Frida Kahlo, uma mulher mulher sofrida, que desde muito nova se debateu com problemas de saúde, mas que nunca baixou os braços. Como consequência de um acidente grave que sofreu, Frida Kahlo descobriu a pintura e nunca mais a largou. O seu amor complexo com Diego Rivera também influenciou e muito a sua vida e a sua carreira enquanto artista. Gostei muito de conhecer a vida de Frida Kahlo, desta maneira tão criativa e colorida. Recomendo sem reservas este livro. Fico a aguardar com expectativa que a Suma de Letras publique o outro livro da María Hesse, Orgulho Y Prejuicio". Boas leituras!


sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Primeiras Palavras - A Princesa de Gelo

A Princesa de Gelo (Patrik Hedström, #1)

My rating: 3 of 5 stars

Mais um livro que escolhi ler para o meu desafio de leitura do Manta de Histórias.
Esta foi a minha estreia com a autora nórdica Camilla Läckberg. Ouvi sempre muito boas opiniões a respeito dos seus livros e portanto as minhas expectativas estavam em alta.
Confesso que as primeiras 100 páginas deste livro foram um tormento. A leitura não me estava a cativar e só se arrastava. Graças à motivação de outros leitores, insisti na leitura. Depois dessas atribuladas primeiras páginas lá comecei a ganhar motivação com a leitura.
A história passa-se em Fjallbacka, uma pequena vila que durante séculos viveu dependente da pesca. Hoje em dia a realidade é um pouco diferente, mas o tempo frio e inclemente continua presente. É nesse ambiente sombrio e gelado onde decorre toda a acção do livro.
Toda a trama do livro de desenvolve em torno da morte de Alex, uma jovem mulher bem conhecida em Fjallbacka. Uma morte que deixa todos os locais traumatizados e desconfiados. As investigações são da responsabilidade de Patrik, é a ele que cabe descobrir toda a verdade sobre a morte de Alex. Em paralelo, Erica, escritora e antiga amiga de Alex, começa a investigar a morte suspeita de Alex.
É no intercalar de ambas as investigações que a história vai evoluindo e vamos encaixando as peças.
O final da história surpreendeu mas ficaram algumas questões em aberto. Terão resposta nos próximos livros da série? Isso já não sei. Esta foi sem dúvida uma leitura desafiante. Irei pensar se leio o próximo livro da série, Gritos do Passado.



quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Quase a chegar às livrarias - A nossa forma de crueldade


Disponível a 30 de Outubro

Sinopse
Mike e Verity têm um jogo especial. O Jogo do Desejo. Eles jogam para provar o que já sabem: que Verity ama Mike. Que ela precisa de Mike. Não interessa que ela não responda aos seus e-mails ou telefonemas. Não interessa que ela lhe diga que se vai casar com Angus.
Faz tudo parte do jogo secreto que costumavam jogar. E Mike observando V mais perto, vê os sinais. Se acompanhar cada movimento dela, ele saberá quando precisará de ser salva, pois é um homem obcecado pela ideia do romance apaixonado que viveram; e que ainda não terminou.

Primeiras Palavras - O Meu Coração Entre Dois Mundos

O Meu Coração Entre Dois Mundos (Me Before You, #3)

My rating: 3 of 5 stars

Adorei a leitura de Viver Depois de Ti e por isso tinha de ler este último livro com a Lou Clark. Por adorar tanto a Lou, li o Viver Sem Ti e agora este O Meu Coração Entre Dois Mundos. Como já disse no segundo livro da trilogia, acho que os livros seguintes perdem, porque não igualam a intensidade do primeiro livro. Apesar desse factor, gostei sempre de reencontrar a Lou Clark, que é uma personagem carismática e singular. É impossível não gostar dela, da sua personalidade, do seu bom humor, da sua resiliência. Neste último livro Lou tem mais um desafio, trabalhar e viver em Nova Iorque, longe do seu recente namorado, Sam. O que se passa durante a narrativa é um pouco previsível. Os relacionamentos à distância ressentem-se sempre e é o que acontece com Sam e Lou. Mais não vou dizer acerca da história. Apesar da previsibilidade da narrativa, não deixa de ser bom 

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Primeiras Palavras - A Sereia de Brighton

A Sereia de Brighton

My rating: 5 of 5 stars

Cada vez mais fã de Dorothy Koomson.
Se não estou enganada, este é o quarto livro que leio da autora e em todos eles ela conquista-me um pouco mais.
Assim que vi que havia novo livro da autora, quis imediatamente ler. Para mim é já daquelas autoras que sei que vou ler e não me vou desiludir com o livro.
Assim que li a sinopse do livro livro a curiosidade ficou em alta. Duas adolescentes Nell e Jude descobrem um corpo de uma jovem numa praia. Semanas mais tarde Jude desaparece e Nell nunca mais a vê. Passados tantos anos, a policia nunca descobriu quem era a vítima que apareceu na praia, nem nunca encontraram Jude. Nell vive todos estes anos atormentada e quer descobrir o que se passou. À medida que vai descobrindo novos factos, Nell começa a correr perigo de vida, mas nem mesmo esse perigo a demove de descobrir o que se passou há muitos anos atrás.
Mais de 500 páginas que li em poucos dias. Estive completamente viciada na história e nos personagens. Sem dar por ela devorei este calhamaço num instante.
Escusado será dizer que vos recomendo a leitura. Se ainda não conhecem os livros da autora experimentem. Terão muito boas horas de leitura.
Agora fico a aguardar com expectativa por um novo livro da autora. Até lá vou ler os livros mais antigos que já comprei da autora.
Boas leituras!


terça-feira, 16 de outubro de 2018

Primeiras Palavras - O Anjo-da-Guarda

O Anjo-da-GuardaO Anjo-da-Guarda by Arto Halonen / Kevin Frazzier
My rating: 3 of 5 stars

O Anjo-da-Guarda foi um thriller que li para o meu desafio de leitura. Completei assim o ponto de ler um livro baseado em factos verídicos.
A história deste livro passa-se em Copenhaga em época do pós-guerra, ainda com todas as cicatrizes expostas do nazismo. Acompanhei a investigação de Anders Olsen, que investiga um assalto a um banco. Conforme a investigação avança, mais factos apontam para que o criminoso Palle Hardrup tenha cometido o crime por influência de hipnose.
Todo o livro centra-se então no tema da hipnose e de como Bjorn Nielsen influenciou Palle Hardrup a cometer um crime.
Algumas das personagens e a própria história são baseadas nesses acontecimentos verídicos. Curiosamente a personagem que menos gostei, Marie, é uma personagem ficcional e não existiu na vida real.
É um livro que não oferece surpresas, porque assim que lemos a sinopse, ficamos a conhecer os contornos da história. Apesar desse facto, é um livro que se lê bem e narra um episódio singular de condenação. O ponto forte da narrativa, a meu ver, é o contexto histórico onde decorre a acção.


[A minha Opinião] O que fica somos nós



"O que fica somos nós" é o primeiro romance de estreia para adultos da autora Jill Santopolo. Assim que vi a capa e o título do livro fiquei com vontade de o ler.

Esta história é centrada em duas personagens, Lucy e Gabe. Conhecem-se na universidade e apaixonam-se. Uma paixão que é vivida intensamente e que tem um fim abrupto. Os primeiros amores marcam profundamente, e depois de seguirem caminhos diferentes, parece impossível a Lucy continuar com a sua vida sem Gabe. Conseguirá ela superar esta perda?

Esta narrativa atravessa anos e momentos importantes nas vidas destas duas personagens. Lucy cativou-me e identifiquei-me em certos momentos com ela, mas houve outros em que a odiava pelas suas atitudes e pensamentos. Quanto a Gabe, cativou-me pela sua paixão pela fotografia mas odiei-o por ser egoísta e focado na carreira.

É um daqueles livros que conseguia ver adaptado ao cinema, não só pela história narrada, mas também por mencionar vários momentos chave da nossa história actual.

No geral, fiquei na dúvida quanto às personagens e à história. Gostei de umas partes da história e houve outras que me desagradaram. As personagens tanto as adorei como me irritaram tanta vez. Uma coisa é certa, narra bem o poder e influência de um primeiro amor, nas escolhas que fazemos durante a vida.

Boas leituras! 

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Regras para descolagem de Carolina Paiva - Novidade Coolbooks


Título: Regras para descolagem
Autor: Carolina Paiva
Formato: e-wook / capa mole
N.o páginas: 168
PV: 4,99€ / 13,30€

Sinopse
Lourenço, detetive privado, foi contratado para aquele que decidiu ser o seu último caso. Depois da morte do mentor, e da quebra de todas as regras que com ele aprendera, a sua profissão parece já não fazer sentido.
A bordo de um voo internacional, um companheiro de viagem inusitado permitir-lhe-á fazer uma análise das normas que até há bem pouco tempo seguia escrupulosamente, e da sua importância. Entre o dilema de cumprir a missão para a qual foi contratado e fazer aquilo que lhe parece correto, conseguirá Lourenço resolver o seu passado?

Carolina Paiva nasceu em Lisboa em 1989, mas cresceu em Oliveira de Frades (distrito de Viseu). Em 2007, ingressou na Universidade de Aveiro, onde frequentou a Licenciatura em Línguas e Relações Empresariais. Regressou a Lisboa em 2010, para iniciar o Mestrado em Gestão de Recursos Humanos, área em que trabalhou durante alguns anos.
Dedica-se atualmente ao seu blog de opinião literária Holly Reader e trabalha na área de Marketing e Comunicação.

[A minha Opinião] Foste sempre tu



Esta foi a minha leitura de estreia com a autora Carrie Elks. Quando olhei para a capa do livro sabia o que me esperava, uma boa história de amor.

Nesta narrativa acompanho o nascimento e crescimento do amor entre Hanna e Richard. Conhecem-se numa véspera de ano novo e a atracção entre os dois é imediata. Entre ambos há dois grandes obstáculos, fazem parte de mundos diferentes e vivem em continentes diferentes.

Com o passar dos anos a ligação entre ambos torna-se forte, até que um acontecimento traumático na vida de Hanna, a faz querer afastar-se de tudo, até de Richard. Este afastamento abrupto de Hanna deixa inúmeras mazelas em Richard e na sua família. Será que um coração partido é capaz de recuperar? 

Como em todas as histórias de amor, esta também tem os seus altos e baixos. Entre separações e reencontros, Hanna e Richard são incapazes de se esquecerem um do outro, de esquecerem o amor que sentem. Não posso dizer que tenha sido um livro que me surpreendeu, mas é sempre bom ler uma complicada história de amor.

Apesar do esperado, foi um livro de leitura fácil, com personagens cativantes e muito romance à mistura. Viajei constantemente entre Londres e Nova Iorque, o que não é nada mau. É uma leitura leve, bem ao gosto dos lindos dias de outono. 

Boas leituras!

"Levei algum tempo a perceber que uma depressão leva o seu tempo e acabei por perceber que precisava voltar a casa; estava a protelar o inevitável. Existe um certo conforto no facto de estarmos com aqueles que amamos."

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

As flores perdidas de Alice Hart de Holly Ringland - Novidade Porto Editora


Título: As flores perdidas de Alice Hart
Autor: Holly Ringland
Ilustrações: Edith Rewa
Tradução: Cláudia Ramos
Págs.: 400
Capa: mole com badanas
PVP: 18,80 €

Sinopse
Um romance sobre as histórias que deixamos por contar e sobre as que contamos a nós próprios para sobrevivermos.
Alice tem nove anos e vive num local isolado, idílico, entre o mar e os canaviais, onde as flores encantadas da mãe e as suas mensagens secretas a protegem dos monstros que vivem dentro do pai.
Quando uma enorme tragédia muda a sua vida irrevogavelmente, Alice vai viver com a avó numa quinta de cultivo de flores que é também um refúgio para mulheres sozinhas ou destroçadas pela vida. Ali, Alice passa a usar a linguagem das flores para dizer o que é demasiado difícil transmitir por palavras.
À medida que o tempo passa, os terríveis segredos da família, uma traição avassaladora e um homem que afinal não é quem parecia ser, fazem Alice perceber que algumas histórias são demasiado complexas para serem contadas através das flores. E para conquistar a liberdade que tanto deseja, Alice terá de encontrar coragem para ser a verdadeira e única dona da história mais poderosa de todas: a sua.

Holly Ringland cresceu, rebelde e de pés descalços, no jardim tropical da mãe, no norte da Austrália.
Quando tinha nove anos, a sua família viveu numa caravana durante dois anos, viajando de parque em parque natural, na América do Norte; uma experiência que despertou em Holly o interesse pelas culturas e histórias dos lugares. Já na casa dos vinte anos, trabalhou durante quatro anos numa comunidade remota indígena no deserto central australiano.
Mudou-se para Inglaterra em 2009 e fez uma especialização em Escrita Criativa na Universidade de Manchester em 2001.
Agora vive entre o Reino Unido e a Austrália.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

[A minha Opinião] E. T. O Extraterrestre



Quando vi a capa deste livro, foi paixão à primeira vista, para além de todas as recordações que ele me traz.

Baseado no filme escrito por Melissa Mathison e realizado por Steven Spielberg, este livro é adaptado por Jim Thomas, ilustrado por Kim Smith e design de Doogie Horner. Todas estas pessoas construíram na perfeição este livro.

Recordo perfeitamente este filme que tantas vezes vi e adorei. Esta adaptação em livro capta tão bem a mensagem do filme. O texto e ilustrações conjugam-se de forma perfeita, oferecem ao leitor adulto um momento nostálgico e ao pequeno leitor um momento inspirador de leitura.

É impossível não ficar cativado com a leitura e ilustrações. Desconfio que não será um livro para a pequenada mas para todos aqueles que cresceram com o filme E.T.. Só ternura e sorrisos. Uma leitura que recomendo sem reservas.

Fico a aguardar com expectativa o próximo livro da colecção.

Boas leituras!

Quase a chegar às livrarias - A Provadora


Disponível a 19 de Outubro 

Sinopse
Em plena Segunda Guerra Mundial, uma jovem encontra refúgio ao lado do homem mais perigoso do mundo. Em 1943, alarmados com os constantes raides aéreos dos Aliados sobre Berlim, os pais de Magda Ritter enviam-na para Berchtesgaden, uma remota cidade nos Alpes Bávaros. Aqui ela é recrutada para o Berghof, o refúgio de montanha de Hitler, onde é treinada para desempenhar uma única função: provar a comida do Führer, oferecendo-se em sacrifício para o manter a salvo de envenenamento.
O Berghof parece estar a um mundo de distância da realidade das batalhas e, apesar de a princípio estar aterrorizada, Magda habitua-se gradualmente à sua perigosa missão. Mas o seu amor por um conspirador das SS e a sua crescente tomada de consciência das atrocidades do Reich empurram Magda para uma conspiração que irá testar a sua inteligência e lealdade. Vividamente escrito, A Provadora desenrola-se no momento mais negro e turbulento da humanidade, oferecendo-nos uma trama plena de intriga e terror, mas também de extraordinária coragem, sacrifício e amor.

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Segredos Mortais de Robert Bryndza - Novidade Alma dos Livros


Tema: Literatura/Romance Policial
PVP: 17,45€
304 páginas
1.ª edição
Fomato: 155 mm * 235 mm * 21 mm|
ISBN: 978-989-8907-42-4 
Saída: 04-10-2018

Sinopse
Numa manhã gelada de inverno, uma mulher acorda e encontra o corpo ensanguentado da filha à porta de casa. Quem seria capaz de tal atrocidade?
Erika Foster, toma conhecimento de outros ataques cometidos na mesma zona do sul de Londres onde o crime ocorreu. Um pormenor arrepiante liga-os ao homicídio – todas as vítimas foram atacadas por uma figura vestida de preto com uma máscara de gás.
O caso complica-se quando descobre a teia de segredos que rodeia a morte da bela jovem. No entanto, ao juntar as pistas, Erika é forçada a confrontar memórias dolorosas do passado. Deve escavar bem fundo, manter-se concentrada e encontrar o assassino. Só que, desta vez, um elemento da sua equipa corre um perigo terrível...

Robert Bryndza é autor de vários livros, entre eles A Rapariga no Gelo, n.º 1 na Amazon, no USA Today e no The Wall Street Journal. Os seus livros venderam mais de dois milhões de exemplares e estão traduzidos em 27 idiomas.

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Quase a chegar às livrarias - Frida Kahlo Uma Biografia


Disponível a 16 de Outubro

Sinopse
A vida de Kahlo, desde a sua infância, passando pelo acidente traumático que mudaria sua vida e sua arte, seu amor complicado por Diego Rivera e a feroz determinação que a levou a se tornar uma grande artista.
Inspirado pelas experiências da icônica pintora mexicana, este livro oferece um belo passeio ilustrado pela vida e obra de Frida Kahlo. 
Uma obra de arte dentro de uma obra de arte.

[A minha Opinião] A Ilha



Esta é a minha estreia com a autora Ana Afonso Simão. O que me atraiu para este livro, inicialmente, foi a sua capa. Confesso que depois a sinopse me deixou algo intrigada.

Um romance passado na pequena ilha das Berlengas. Ilha essa que exerce uma atracção misteriosa sobre os seus habitantes. Uma ilha que ensina a ver o mundo e o tempo com outros olhos. Uma ilha que traz tranquilidade à alma. Uma ilha que inspira amores.

Entre Peniche e as Berlengas, conheço Giovana e Leonardo, duas almas destinadas ao encontro. Giovana, uma jovem surfista, que tem no mar a sua paixão. Leonardo, faroleiro, um homem maduro, que já teve a sua cota de sofrimentos. Um incidente acabará por os juntar.

Gostei da escrita da autora, é simples, com passagens cativantes. A ilha das Berlengas foi bem escolhida como cenário à acção e os seus habitantes bem retratados.

Uma história com um certo quê de inexplicável, talvez a mão do destino, talvez o acaso, talvez coincidência. Uma narrativa contada a duas vozes que me dá a conhecer outros tantos personagens singulares.

Um livro que cheira a mar e sal.

Boas leituras!

"Desde que ficara sozinho no farol, Leonardo aprendera que, afinal, a nossa casa não é, apenas, onde nos sentimos bem. A nossa casa é feita de pessoas que amamos. E quando essas pessoas não estão, não há casa nenhuma. E ele só agora sabia isso."

"Porque a felicidade é não saber que se está feliz. E é na ausência da tomada de consciência que a felicidade é."

"A felicidade é isso: um momento bom. É tão intenso que temos medo que acabe. É o princípio da incerteza. E a incerteza dá medo."

domingo, 7 de outubro de 2018

Desafio de leitura Manta de Histórias 2018 - Ponto de situação


Olá leitores! 

Já há muito tempo que vos quero actualizar em relação ao meu desafio de leitura. Desde a última vez que actualizei o desafio, já consegui completar mais alguns pontos. Aqui ficam eles:

Um clássico: Orgulho e Preconceito
Livro adaptado ao cinema: A Sociedade Literária da Tarte de Casca de Batata
Um YA: Um de nós mente 
Um livro sobre o Holocausto: O tatuador de Auschwitz
Baseado em factos verídicos: O Anjo da Guarda 
Um livro de capa azul: Os altos e baixo do meu coração
Protagonista é uma criança: A minha avó pede desculpas 
Oferecido por familiar ou amigo: Não adormeças
Espaço da acção. biblioteca ou livraria: O bibliotecário de Paris 
Primeiro livro de uma série ou trilogia: O beijo encantado (série Fary Tales)

Faltam-me 10 pontos para concluir o desafio. Espero até ao final do ano conseguir concluir. 
E vocês, contem-me como anda esse desafio. Muitos pontos completos?
Não se esqueçam de usar o #desafiodeleituramantadehistorias18.
Boas leituras! 

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

«Um Pequeno Favor», de Darcey Bell, é um thriller arrepiante


Género: Literatura / Thriller
Tradução: Sofia Gomes
Formato: 15 x 23,5 cm
N.o de páginas: 304
PVP: € 17,70
ISBN: 9789722533416

Sinopse
Tudo começa com um pequeno favor. Quando Emily pede à melhor amiga que lhe apanhe o filho na escola, Stephanie nem hesita. Tal como elas, os seus filhos são melhores amigos. Stephanie é viúva e trabalha a partir de casa no seu blogue. Vive uma vida solitária até conhecer Emily, uma sofisticada executiva com um trabalho muito exigente em Manhattan. Só que Emily não regressa. Não atende o telefone nem responde aos SMS da amiga. Stephanie sabe que aconteceu algo de terrível e, alarmada, recorre aos leitores do seu blogue para pedir ajuda. Contacta também o marido de Emily, o sedutor Sean, para lhe dar apoio emocional. É o mínimo que pode fazer. Mas serão as terríveis notícias que recebem verdadeiras? Stephanie não tarda a dar-se conta de que nada é tão simples como parece, nem sequer um pequeno favor.

Darcey Bell nasceu em 1981 e cresceu numa quinta no Iowa. É educadora de infância em Chicago. Um Pequeno Favor é o seu primeiro romance.

Mortina – Uma História de Morrer a Rir de Barbara Cantini - Novidade Bertrand


Género: Literatura/Infantil
Formato: 14,5 x 20,5 cm
No de páginas: 48
Data de lançamento: 12 de outubro de 2018
PVP: 9,90 €
ISBN: 9789722536271
Tradução: Susana Ferreira

Sinopse
A Mortina é uma menina, mas não é uma menina como as outras: é uma menina morta-viva. Vive no Casarão Decadente, com a tia Falecida, e o seu único amigo é um galgo albino, chamado Tristonho, que anda sempre com ela. A Mortina gostava de ter amigos da sua idade para brincar, mas está proibida de se mostrar às pessoas, não vão elas apanhar um susto de morte. Só que um dia surge a sua grande oportunidade: a festa do Halloween! A Mortina nem sequer precisa de arranjar uma fantasia... Mas o que acontecerá quando as outras crianças descobrirem que ela não está mascarada?

Barbara Cantini nasceu na cidade de Florença, em 1977. Depois de se licenciar em Cinema de Animação, trabalhou como animadora de desenhos animados em diversas séries televisivas para o canal italiano RAI, até 2011, altura em que recebeu o prémio de Ilustrador do Ano, da Città del Sole. Agora dedica-se a tempo inteiro à ilustração, colaborando com editoras americanas, inglesas e italianas. Este é o seu primeiro livro como autora e ilustradora. Vive no campo, na zona de Florença, com o marido, os dois filhos, três gatos e um intrépido hámster.

Sozinho em Casa é o novo título de Filmes de todos os tempos


Coleção: Filmes de todos os tempos
Título: Sozinho em Casa
Baseado no filme de: Chris Columbus, escrito por John Hughes
Tradução: Rita Amaral
Ilustrações: Kim Smith
Págs.: 48
Capa: dura
PVP: 12,90 €

Sinopse
Kevin McCallister, de 8 anos, desejou que a sua família desaparecesse. Mas nunca pensou que o seu desejo se tornasse realidade!
O filme que todos conhecem é agora um livro ilustrado para toda a família – cheio de ladrões desastrados, engenhosas armadilhas e um rapaz chamado Kevin que se vê forçado a tomar conta de si.
Conseguirá ele impedir que os bandidos entrem em sua casa? E será que a família de Kevin regressa a tempo do Natal?

Primeiras Palavras - A Biblioteca dos Livros Proibidos

A Biblioteca dos Livros ProibidosA Biblioteca dos Livros Proibidos by Tom Pugh
My rating: 4 of 5 stars

Este livro de Tom Pugh chamou-me a atenção pela capa mas também pelo título. A biblioteca dos livros proibidos, na história aqui narrada, é chamada de biblioteca do diabo. Nela estão contidas obras vanguardistas capazes de levar a humanidade em direcção ao iluminismo, ao livre-pensamento. Os Otiosi são o grupo responsável por salvar obras vanguardistas e descobrir a biblioteca. Gregorio Spina, com a ajuda de Matthew Longstaff, Gaetan Durant e Aurélie tudo fazem para as salvar das mãos da Inquisição. Os inquisidores do papa Pio IV tudo fazem para destruir qualquer foco de conhecimento. Gregorio Spina, chefe censor e espião do papa tudo faz para apanhar os Otiosi e descobrir a biblioteca do diabo para a destruir. Spina usa todos os meios à sua disposição recorrendo muitas vezes à violência e a tortura, como meio de intimidação e de poder.
Este livro é um bom retrato da Europa do século XVI, de uma Itália mergulhada na contrarreforma, da luta por salvar um europa da segunda Idade das Trevas. Um livro que vale a pena ler.


[A minha Opinião] O bibliotecário de Paris


É a minha estreia com o autor Mark Pryor e estou conquistada. Já estou a pensar no outro livro do autor que tenho na estante, O Livreiro.

Quanto a este livro, foi uma agradável surpresa. Gostei da personagem principal, Hugo. Um homem inteligente, atento, apaixonado por livros e com um instinto incrível a resolver mistérios.

No centro desta trama está a morte do director da Biblioteca Americana em Paris. Hugo não acredita na versão da policia, que aponta como motivo da morte causas naturais. Para ele o seu amigo morre em condições suspeitas e resolve investigar o caso.

Quanto mais Hugo investiga mais suspeita que alguém queria o seu amigo morto. As suas investigações levam-o até ao passado, ao período da Segunda Guerra Mundial e à Resistência Francesa. Será este um motivo forte para que se cometa um homicídio?

Achei a escrita do autor bastante acessível, a história foi bem construída, o mistério mantém-se até ao final do livro, deixando o leitor em pulgas para resolver o caso.

Os apaixonados por livros vão gostar deste livro, pois o espaço central da trama é a Biblioteca Americana em Paris. Só isso é motivo mais que suficiente para cativar-nos a lê-lo. Eu de uma assentada li 265 páginas, o que quererá dizer algo sobre esta leitura.

Mark Pryor será um autor a seguir de perto. Conto em ler O Livreiro assim que consiga.

Boas leituras!

"Hugo tinha por hábito comparar as bibliotecas locais de veneração, a sua versão da igreja, onde a reverência e a paz o envolviam à semelhança de um cobertor."

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

[A minha Opinião] A única memória de Flora Banks




A única memória da Flora Banks, chamou-me a atenção pelo título e pela capa. Já é conhecido o meu interesse pelo género jovem adulto e como tal, tinha mesmo de ler o livro. Este é o primeiro livro para jovens adultos da escritora Emily Barr.

Não é o primeiro livro que leio sobre amnésia. Como tal, tinha muito presente na memória o livro que li anteriormente sobre o tema. No entanto, este livro faz um bom retrato do que é não conseguir manter memórias e só se recordar das coisas por umas horas.

Flora, a personagem principal, é sem dúvida, uma jovem corajosa, que lida da melhor forma com o problema que tem, sofre de amnésia. Tem as suas formas de se recordar das coisas e é assim que tenta viver com alguma normalidade. Mas algo muda no quotidiano desta jovem quando consegue formar uma memória. Agarra-se a ela como se fosse a sua salvação e tudo fará para alcançar a sua cura.

A autora transmite muito bem, a partir da sua escrita simples, a confusão que é perder a memória e a vida de quem lida com amnésia. Fez-me reflectir muito sobre o poder que a nossa memória exerce sobre nós. O quanto as memórias são importantes na construção do nosso eu. Foi fácil sentir empatia pela Flora, que encara sempre a sua condição de forma corajosa.

Quando pensei saber tudo sobre como terminaria esta história, a autora surpreende e introduz novos dados. E que surpresa! Deu-me uma perspectiva completamente diferente de algumas personagens e encarei a história de outra forma.

É uma leitura que se faz sem dar pela passagem do tempo. Se também és fã deste género literário, este é um dos livros que tens de ler.

Boas leituras!

terça-feira, 2 de outubro de 2018

[A minha Opinião] A minha avó pede desculpa



Esta é a minha estreia com Fredrik Backman. Já me falaram muito bem do seu primeiro livro, "Um homem chamado Ove", que ainda não tive oportunidade de ler. Recebi o exemplar de avanço e personalizado de "A minha avó pede desculpa" e fiquei super curiosa. 

Uma história que tem como narradora uma criança de sete anos, Elsa, incrivelmente inteligente e sensível para a sua idade e por isso diferente da maioria. É centrada na sua relação com a avó, a sua melhor amiga, também ela diferente, também ela marcante. As duas irão construir um mundo de fantasia capaz de fazer frente aos problemas de todos os dias. 

Elsa por ser diferente, enfrenta problemas na escola, e uma das formas que tem de os ultrapassar é refugiar-se nas histórias que a sua avó lhe conta, sobre o reino de Miamas, na Terra-de-Quase-Acordar. Nesse reino mágico, Elsa sente-se integrada, pois ali o normal é ser diferente. 

O autor Fredrik Backman construiu uma bela história, com personagens singulares e fortes, pelas quais se sente empatia mas também desprezo, com uma linguagem acessível, com passagens de uma ternura sem igual e com mundos de fantasia sempre próximos da realidade.  

Este livro mostra-nos como é lidar com a perda daqueles que mais amamos e a importância das histórias nas nossas vidas. Porque afinal os contos de fada não são só para crianças, os adultos também merecem ouvi-los.

Uma narrativa que combina com mestria realidade e fantasia. Um livro sobre a importância dos laços familiares, dos contos de fada e dos super-heróis, quando somos crianças.

Leitura mais que recomendada. 

Boas leituras! 

"Se não gostarmos das pessoas, elas não podem magoar-nos. As crianças de quase oito anos que são muitas vezes descritas como "diferentes" aprendem-no bastante cedo."

"Não tem mal nenhum ser diferente. A Avozinha dizia que só as pessoas diferentes podem mudar o mundo."

"Porque raramente podemos desiludir alguém se estivermos calados. Todas as crianças de quase oito anos sabem disso."

"E é muito, muito difícil ser a pessoa que tem de ficar e viver sem as pessoas que partem." 

Quase a chegar às livrarias - A Paixão e Wilde


Disponível a 15 de Outubro  

Sinopse
Lorde Alaric Wilde é um famoso escritor e explorador inglês, venerado pelas suas perigosas aventuras e elegante aparência. Após alguns anos no estrangeiro, regressa a casa. Só que Alaric não fazia ideia da sua celebridade até o seu navio atracar em Londres e ser recebido por uma multidão de senhoras desejosas de ver ao vivo o autor da famosa peça A Paixão de Wilde.
Para fugir a todo o reboliço, Alaric refugia-se no castelo do pai. Lá, conhece a bonita e espirituosa menina Willa, que tem inúmeros pretendentes, mas não tem interesse por nenhum, e muito menos por um cuja vida privada é partilhada com o país inteiro. Alaric adora desafios e, até conhecer Willa, nunca se tinha apaixonado.
Conseguirá um homem que não aceita perder uma batalha conquistar uma mulher com um espírito indomável?

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

[A minha Opinião] O beijo encantado


Eloisa James é umas das minhas autoras favoritas e esta série baseada nos contos de fadas é fantástica. Da autora já li Milagre de Amor (opinião aqui), Duas Irmãs, Um Duque (opinião aqui) e Tudo Vale no Amor. E há que referir as capas da série que são sempre lindas. 

O Beijo Encantado é baseado na história da cinderela. Um dos contos de fada pelo qual tenho um carinho especial. Nesta narrativa também está presente a madrasta má, uma meia-irmã mimada, uma madrinha carinhosa, um príncipe aventureiro e uma cinderela inteligente. 

Como em todos os contos de fada há uma personagem que anseia pela felicidade, outras que desejam destruir esse sonho, uma história de amor impossível e uma mensagem importante a ser transmitida. 

Kate é a nossa cinderela neste romance. Uma jovem lutadora, inteligente, trabalhadora que tem uma vida longe de ser perfeita, mas que tenta sempre ver o lado mais colorido da vida. Tem uma madrasta, Mariana, uma mulher insensível e ambiciosa, que lhe faz a vida impossível. A meia-irmã, Victoria, pela qual Kate nutre carinho, mas que é controlada pela mãe. E finalmente o príncipe Gabriel, um homem com fortes valores, culto, ambicioso e comprometido.

Quando algo inesperado acontece, Kate vê-se enredada numa trama, da qual não pode fugir, sobre pretexto de salvar a sua meia-irmã. É durante este salvamento que Kate conhece Gabriel. O desprazer entre ambos é imediato, o que alimenta e muito a história. Será que esse desprazer esconde outros sentimentos? É o que se descobre com o decorrer da leitura. 

É mais uma história bem escrita pela autora, com muitos momentos de humor e sensualidade, com personagens cativantes e cenários inspiradores. Foi tão fácil perder-me nestas páginas. Num abrir e fechar de olhos a leitura estava feita. Com estes ingredientes, só se pode esperar um belo romance.

É o livro ideal para dias preguiçosos de leitura. 

Boas leituras!

"Nós beijámo-nos como se o raio do sítio tivesse pegado fogo - disse ele. Beijámo-nos como se não existisse fazer amor e beijar fosse tudo o que houvesse."