sexta-feira, 30 de maio de 2014

Os Filhos do Éden de Ken Follett - Novidade Editorial Presença


Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 444
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722352956
PVP: 18,90€
Disponível a partir de 03-06-2014

Sinopse
Desde os longínquos anos 60, da Guerra do Vietname e da explosão da cultura hippie, na Califórnia, uma pequena comunidade vive isolada no sopé da Serra Nevada. Aí, os seus membros praticam agricultura de subsistência, para consumo próprio, mas também se especializaram na produção de um excelente vinho que vendem, proporcionando-lhes os meios para a aquisição de outros bens necessários. Mas aqueles anos de paz e felicidade chegam ao fim quando o governo anuncia que vai construir uma barragem perto daquele local, que ficará submerso pelas águas. Desesperadas, as pessoas que construíram ali as suas vidas reagem de uma forma inesperada e quase inverosímil, ameaçando provocar um abalo sísmico de proporções épicas, fazendo-se passar por um grupo ecoterrorista…

O britânico Ken Follett é um dos autores de maior sucesso em todo o mundo. Desde o seu primeiro grande êxito literário, The Eye of the Needle, que recebeu o Edgar Award em 1978, cada novo livro vem confirmar a sua capacidade para conquistar um público internacional cada vez mais vasto. Entre os seus maiores sucessos contam-se A Ameaça, Os Pilares da Terra, Um Mundo sem Fim, a trilogia O Século, Voo Final, Triplo, O Voo das Águias. Estima-se que a obra de Ken Follett, traduzida em 33 línguas, tenha na sua totalidade vendido até agora mais de 150 milhões de exemplares.

Para mais informações sobre o livro consulte o site da Editorial Presença aqui.

Perfect Library!






quinta-feira, 29 de maio de 2014

Os Aromas do Amor [A minha Opinião]


"O "amor" não permanece o mesmo, muda consoante nós mudamos, é moldado pelas nossas experiências, pelo que fazemos, por quem conhecemos, por aquilo que aprendemos."

"A dor não desaparece, mas torna-se mais fácil viver com ela. Deixa de ser algo que ameaça consumir-nos a qualquer momento, dia após dia. Atenua-se um pouco."

"Ninguém te diz que a maior perda, quando nos morre alguém querido, é a perda da nossa própria identidade, pois não?"

"A pessoa que eu era, parte da minha missão neste mundo que era definida por ele, já não existia. E quanto mais próximos somos de alguém, maior é essa perda de parte de quem somos, acho eu."

Este é o segundo romance que leio de Dorothy Koomson. Estreei-me com esta autora com o livro A Praia das Pétalas de Rosa. Assim que li a sinopse deste novo romance calculei que fosse tão bom ou melhor que o livro que tinha lido anteriormente, não me enganei. Não é à toa que esta é uma das escritoras mais populares em Portugal.

Apaixonei-me imediatamente pela capa do livro e pelo nome, que não podiam ter sido mais certeiros. Neste livro estão tão bem presentes os diferente aromas do amor.

Achei uma delicia ver referenciada na história a nossa linda Lisboa, local onde Saffron e Joel se apaixonam. É uma forma carinhosa da Dorothy Koomson retribuir todo o carinho dos fãs portugueses.

Esta história agarrou-me logo no prólogo do livro, onde o mistério ficou logo a pairar na minha cabeça e a curiosidade a matar-me a cada página.

A autora construiu a narrativa de uma forma particular. Pegou num acontecimento trágico da personagem principal, Saffron, e contou a história ao leitor viajando entre o passado e o presente da personagem. Aquele dia trágico, aquela taça de amoras que é derrubada, aquela mancha negra, aquela palavra nunca dita, aquele grito sufocado, muda drasticamente a vida de Saffron como ela a conhecia. 

O facto de Joel, marido de Saffron, ter sido assassinado, apimenta e muito esta história. Todo o mistério inicial à volta do culpado e depois, mesmo quando descobri quem o fez, a leitura não diminuiu de intensidade, pelo contrário, cresceu ainda mais. Depois de saber quem foi o culpado, queria saber o porquê e o como, e isso a autora só nos diz nas últimas páginas. Uma coisa é certa, este culpado tirou-me várias vezes do sério.

Saffron será uma guerreira a cada virar de página. Nas viagens feitas ao passado vou descobrindo as forças e fragilidades desta personagem, a sua infância e adolescência que lhe deixaram marcas no corpo e na sua alma. Uma adulta com uma auto-estima frágil mas aparentemente segura. Uma mãe leoa capaz de tudo pelos seus filhos. Uma mulher que ama profundamente o seu marido. Esta é uma personagem que à primeira vista se mostra forte mas que a pouco e pouco, vou descobrindo as suas camadas, de insegurança, de amor, de medo, de coragem, de desespero, de resistência. Koomson não nos apresenta uma mulher perfeita mas uma mulher com a qual nos podemos identificar, uma mulher real, inspiradora, corajosa, uma mãe lutadora.

Phoebe e Zane foram, também elas, personagens que acarinhei e senti necessidade de proteger, por conhecer tão bem a dor que sentem. Estas crianças que num abrir e fechar de olhos perdem o pai e não sabem como lidar com essa ausência. A alegria, a segurança e o amor do pai dão lugar à tristeza, à insegurança, ao vazio. 

Joel com a sua ausência, deixa também de rastos o seu melhor amigo Fynn, uma personagem que me cativou bastante. Apesar da dor que sente, encontra forças para ajudar e apoiar Saffron, Phoebe e Zane. A tia Betty é a personagem divertida desta história, que lida com a perda do seu sobrinho Joel, à sua maneira, chamando a si a atenção dos outros. Além de divertida é uma personagem madura, que sabe ler bem as pessoas e que tem bons conselhos a dar. 

A autora soube tão bem criar uma série de acontecimentos dramáticos, que me agarraram e deixaram completamente absorvida e envolvida na história. Dorothy Koomson não me deixou acalmar as emoções, pois a cada novo capitulo, surge um novo desenlace que me coloca o coração aos pulos. Quando penso que as coisas não podem piorar, lá está o próximo desafio. Saffron é a minha heroína.     

Este livro tocou-me de uma forma muito especial, porque quem já passou por uma perda inesperada e repentina, ainda em tenra idade, identifica-se com as emoções e fragilidades das personagens. Foram essas emoções que Dorothy Koomson soube tão bem pôr em palavras, palavras certas que muitas vezes são impossíveis de encontrar. 

Mas não pensem que esta leitura é só drama e tragédia, pelo contrário, há a bela história de amor de Saffron e Joel, amizades verdadeiras, segredos, mistério, novas paixões, uma família que luta para se manter unida e uma super mulher como personagem principal.   

Por todos estes motivos e outros mais que haveria para dizer, é que fiz esta leitura num abrir e fechar de olhos. Este é um daqueles livros que fica connosco até muito depois da leitura terminada. As horas passam mas os aromas continuam lá. 

Depois deste livro será impossível não ler os restantes livros já publicados. Adoraria poder estar presente na Feira do Livro e falar com a autora sobre este livro maravilhoso. Dorothy Koomson está de parabéns. 

Recomendo esta leitura. Uma das melhores que fiz até agora. Adorei!

Boas leituras! 

Quem Matou o Almirante? de Agatha Christie, Crime à Hora do Chá - Vol. 5 - Novidade ASA


Ano da Edição / Impressão / 2014
Número Páginas / 344
ISBN / 9789892327495
Editora / ASA
PVP: 13,90€
Disponível a partir de 03-06-2014

Sinopse
O inspetor Rudge não se depara com muitos crimes na pacata vila costeira de Whynmouth. Por isso, quando um cadáver é encontrado num barco à deriva, a sua perplexidade é total. Os obstáculos multiplicam-se. 
Torna-se óbvio que o vigário da vila, infeliz dono do barco, não está a contar tudo o que sabe. A sobrinha da vítima desaparece… e até a identidade do próprio morto é posta em causa. Perante tantas pistas contraditórias, o perplexo inspetor começa a questionar o número de pessoas envolvidas no crime extraordinário e, pior, se conseguirá um dia desvendá-lo.

Em 1931, Agatha Christie, Dorothy L. Sayers, G.K. Chesterton e outros membros notáveis do lendário The Detection Club juntaram os seus talentos na escrita de um único mistério. As regras do desafio ditaram que cada autor escrevesse um capítulo, deixando para G.K Chesterton a escrita de um paradoxal prólogo e nas mãos de Anthony Berkeley a tarefa de atar as pontas soltas. No final, cada um dos escritores entregou a “sua” solução para o mistério num envelope fechado.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

O Guardião das Causas Perdidas de Jussi Adler Olsen - Novidade Editorial Presença


Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 424
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722352505
Coleção: O fio da Navalha
PVP: 19,90€
Disponível a partir de 03-06-2014

Sinopse
Carl Mørck não é o detetive mais popular da Divisão dos Homicídios de Copenhaga. Por isso, quando é criado o Departamento Q, com a missão de rever casos arquivados, Carl Mørck é designado para o dirigir. O seu primeiro caso é o de Merete Lynggaard, uma deputada que desaparecera cinco anos antes sem que a polícia conseguisse mais do que conjeturar uma aparente tentativa de suicídio. Toda a gente acha que ela está morta. Toda a gente diz que investigar o sucedido é uma perda de tempo. Mas, à medida que Carl Mørck começa a seguir as pistas que o seu colega havia descartado aquando da investigação inicial, descobre um caso com contornos inesperados e profundamente sinistros…

Para mais informações sobre o livro consulte o site da Editorial Presença aqui.

Passatempo Comemorativo Dia da Criança - Acho que Posso Ajudar


Com o apoio da Alfaguara, temos para oferecer um exemplar do livro Acho que Posso Ajudar. Para participar basta responder corretamente às questões que se encontram no formulário.


Regras do passatempo:

O passatempo é válido de 28 de maio até às 23h59m de 01 de junho. 
Só é válida uma participação por pessoa e residência, de residentes em Portugal Continental e Ilhas.
Ser seguidor do blogue Manta de Histórias: www.mantadehistorias.blogspot.pt
Fazer LIKE na página do livro Acho que Posso Ajudarhttps://www.facebook.com/achoquepossoajudar
Participações com respostas erradas e/ou dados incompletos serão automaticamente anuladas.
O vencedor será sorteado aleatoriamente pela administração do blogue, contactado por email e o resultado será anunciado no blogue.
O blogue e a editora não se responsabilizam por eventuais extravios no envio do livro por correio.

Boa sorte!

terça-feira, 27 de maio de 2014

Amores Secretos de Kate Morton - Novidade Suma de Letras


Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 568
Editor: Suma de Letras
ISBN: 9789896722012
PVP: 17,90€
Disponível a partir de 04-06-2014

Uma fascinante história de segredos e mistérios, de um crime obscuro e de um amor eterno. Mais um livro inesquecível de uma das autoras de maior sucesso dos nossos tempos.

Sinopse
Laurel, actriz de sucesso, regressa à casa da família para celebrar o nonagésimo aniversário da mãe, Dorothy, que sofre de Alzheimer.
Esse dia recorda-lhe um outro, há muito esquecido. Naquele fatídico aniversário do seu irmão, Laurel estava escondida na casa da árvore, a fantasiar com um amor adolescente e um futuro grandioso em Londres, quando assistiu a um crime terrível, que mudaria a sua vida para sempre. Foi com terror que Laurel viu a mãe cravar a faca do bolo de aniversário no peito de um desconhecido. O regresso ao local onde tudo aconteceu é a última oportunidade para Laurel descobrir o temível segredo daquele dia e encontrar as respostas que só o passado da sua mãe lhe pode dar. Pista após pista, Laurel irá desvendar a história secreta de três desconhecidos que a Segunda Guerra Mundial uniu em Londres — Dorothy, Vivien e Jimmy — e cujos destinos ficaram para sempre ligados.
Uma fascinante história de segredos e mistérios, de um crime obscuro e de um amor eterno. Mais um livro inesquecível de uma das autoras de maior sucesso dos nossos tempos.

Kate Morton, a mais velha de três irmãs, cresceu nas montanhas do Nordeste da Austrália, em Queensland. Formou-se em Arte Dramática e Literatura Inglesa e está a fazer o doutoramento na Universidade de Queensland. Vive entre Londres e Brisbane com a família.
É uma das autoras mais reconhecidas mundialmente: todos os seus romances alcançaram as listas de livros mais vendidos, estão publicados em 38 países e já venderam mais de 8 milhões de exemplares.

O romance AMORES SECRETOS venceu, em 2013, o prémio ABIA (Australia Book Industry Awards) de Ficção. Estes prémios são concedidos desde há 22 anos pela indústria editorial australiana e o júri é composto por editores internacionais. Kate Morton recebeu mais três vezes este galardão, uma por cada um dos seus romances publicados, o que é um sucesso sem precedentes na indústria editorial australiana.

A Cor do Coração de Barbara Mutch - Novidade Editorial Presença


Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 384
Editor: Editorial Presença
Título Original: The Housemaid’s Daughter
ISBN: 9789722353021
PVP: 18,50€
Disponível a partir de 03-06-2014

Sinopse
Este romance de estreia de Barbara Mutch tem vindo a conquistar os meios literários internacionais, pela peculiar delicadeza e a sensibilidade que a sua escrita revela. A história inicia-se nas terras do Karoo, na África do Sul, onde uma jovem irlandesa chega para desposar o noivo que não vê há cinco anos e aí constituir família. O livro revela-nos as pouco ortodoxas ligações que se vão tecendo entre os diferentes personagens. Com o rebentar da Segunda Guerra Mundial tudo muda dolorosamente naquela casa, até que uma guerra se instala no próprio país — o apartheid—, dilacerando ainda mais as já fragilizadas relações. A Cor do Coração é, acima de tudo, um romance inteligente e desafiador, que retrata o drama e o sofrimento de duas mulheres capazes de se elevarem acima da crueldade e do preconceito em nome dos valores mais genuinamente humanos.

Barbara Mutch nasceu e cresceu na África do Sul, neta de imigrantes irlandeses que se fixaram na região de Karoo no início do século XX. Frequentou a escola em Durban e Port Elizabeth, tendo-se licenciado na Rhodes University. Tal como a sua protagonista Ada, é uma talentosa pianista e seguidora atenta da política e da história do continente africano. Este romance foi já publicado em França, Espanha, Itália, Holanda, Reino Unido, Islândia, Estados Unidos da América, Canadá, África do Sul e Nova Zelândia.
Os direitos de tradução foram também vendidos para outros países como a Alemanha, Polónia, China, Croácia, Turquia, Bulgária e Hungria.

Para mais informações sobre o livro consulte o site da Editorial Presença aqui

segunda-feira, 26 de maio de 2014

A Mulher Silenciosa [A minha Opinião]


"Não há necessidade de criar uma barreira com palavras. As palavras são como se fossem ferramentas que facilmente se transformam em armas, pondo fim ao que não tem de acabar. A vida não é feita de palavras. As pessoas são ambivalentes por natureza, deixando-se levar por ventos inconstantes e caprichosos." 

A capa e a sinopse deste livro, despertaram-me logo a curiosidade para a leitura. O facto de indicarem este livro como um misto de comédia de costumes e thriller psicológico abre logo o apetite à leitura.

Ao ler as primeiras cinquenta páginas percebi que esta seria uma história contada a duas vozes. Esta forma de construção da história, não só enriquece a narrativa como oferece ao leitor duas faces diferentes da mesma história. Jodi Brett e Todd Gilbert são as personagens que falam ao leitor. São eles que, de forma intercalada me deram a conhecer as suas vidas, as suas alegrias, tristezas, sucessos e insucessos, as suas memórias, os seus medos e inseguranças.

Jodi e Todd são um casal com uma vida em comum há mais de vinte e dois anos, que encontraram o ritmo certo na sua convivência, que transparece uma cerca serenidade e compreensão mútua. O que foi percebendo ao virar de cada página é que esta serenidade e compreensão, estão longe de ser uma realidade verdadeira. Cada um deles tem os seus fantasmas, guardados a sete chaves nos seus inconscientes, mas não os poderão manter lá para sempre.

Gostei muito da escrita de A.S.A Harrison. É uma escrita madura e ponderada, que não tem pressa de terminar, combina bem com o tema abordado e com as personagens apresentadas.

Além da história muito bem pensada, o que mais me cativou foi a construção das personagens principais, a maneira como a autora, a cada página, desvendou mais um pormenor da personalidade da personagem. Muito bom!

É um livro para se ler com calma e desfrutar da leitura. Pode parecer uma história comum de traição e desilusão, mas é muito mais do que isso, é mais profunda, mais introspectiva.

Quem está à espera de um policial desengane-se. Este é um excelente thriller psicológico, com muitas descobertas durante a leitura, e com um final inesperado.

Adoraria ler um segundo romance desta autora, mas infelizmente a autora faleceu em 2013, deixando o seu segundo livro inacabado.

Uma leitura que recomendo para quem gosta de thriller psicológico. Leiam, vale cada minuto de leitura.
Boas leituras!  

Para mais informações sobre o livro A Mulher Silenciosa consulte o site da Editorial Presença aqui

Roma 40 D.C. Destino de Amor de Adele Vieri Castellano - Novidade Quinta Essência


Ano da Edição / Impressão / 2014
Número Páginas / 428
ISBN / 9789897261282
Editora / QUINTA ESSÊNCIA
PVP: 15,90€
Disponível a partir de 03-06-2014

Sinopse
O fascínio da Roma antiga ganha vida num romance de tons sedutores e misteriosos.
Roma 40 d. C. Gaio Júlio César Germânico, Calígula, é imperador. Marco Quinto Rufo é o segundo homem mais poderoso de Roma. Lívia Urgulanila tem um passado para esquecer. Ele é um homem endurecido pela floresta germânica, bonito e forte, que não conhece o medo ou limites. Ela é uma aristocrata refinada e arrogante cujo destino já está escrito.
Mas os deuses decidiram de outra forma e quando Rufo a toma para si, não imagina remotamente as consequências do seu gesto. Roma não é uma província onde tudo, incluindo raptar uma mulher, é permitido. E mesmo que o próprio Calígula decida dar-lha, conquistar o coração de Livia irá ser a tarefa mais difícil e temerária que Rufo já empreendeu.
Irá Lívia entregar o seu coração a um homem cruel que não hesita diante de nada?

Adele Castellano, escritora italiana de romances históricos, escreveu seu primeiro conto aos nove anos, quando escolheu o pseudónimo que usa hoje, o nome da sua bisavó. Os seus romances históricos passam-se na Roma antiga. Nascida em meados dos anos sessenta, viveu muitos anos em França e adora ler e escrever. Mora em Milão, com os seus dois gatos. A sua paixão? História antiga, que adora reconstruir com paixão nos seus livros.

Saiba mais sobre o livro no site da Quinta Essência aqui.

domingo, 25 de maio de 2014

Perdoa-me de Lesley Pearse - Novidade ASA


Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 488
Editor: Edições Asa
ISBN: 9789892327471
PVP: 17,50€
Disponível a partir de 03-06-2014

Sinopse
A vida pode mudar num segundo.
O instante em que encontrou a mãe sem vida nunca se extinguirá da memória de Eva Patterson. Num bilhete, as suas últimas e enigmáticas palavras: Perdoa-me.
O mundo seguro de Eva ruiu naquele momento devastador. Mas o inesperado suicídio de Flora vai marcar apenas o início de uma sucessão de acontecimentos surpreendentes. No seu testamento, Flora deixa a Eva um estúdio em Londres. Este sítio é a primeira pista para o passado secreto de uma mulher que, Eva percebe agora, lhe é totalmente desconhecida.
No sótão do estúdio, a jovem encontra os diários e os quadros da mãe, provas de uma fulgurante carreira artística mantida em segredo. O que levou Flora a esconder tão fundo o seu passado? Ao aproximar-se da verdade, Eva descobre um crime tão chocante que a leva a questionar-se se alguma vez conseguirá, de facto, perdoar.

Sobre a autora
Uma das escritoras preferidas do público português, Lesley Pearse é autora de uma vasta obra já traduzida para mais de trinta línguas, tendo vendido cerca de três milhões de exemplares. A própria vida da escritora é uma grande fonte de material para os seus romances, quer esteja a escrever sobre a dor do primeiro amor, crianças indesejadas e maltratadas, adopção, rejeição, pobreza ou vingança, uma vez que conheceu tudo isto em primeira mão. Ela é uma lutadora, e a estabilidade e sucesso que atingiu na sua vida deve-os à escrita. Com o apoio da editora Penguin, criou o Women of Courage Award para distinguir mulheres comuns dotadas de uma coragem extraordinária. Para além de Segue o Coração. Nunca Olhes para Trás, na ASA estão já publicados com grande sucesso os seus romances Nunca Me Esqueças e Procuro-te

quinta-feira, 22 de maio de 2014

O Primeiro Marido [A minha Opinião]


"E esse raro momento de felicidade, especialmente quando é conseguido a tanto custo, parece uma verdade absoluta. Esse momento de perfeição faz valer a pena o resto da terrível viagem."

"Às vezes, fazemos mais planos quando temos menos certezas e nos queremos sentir melhor em relação a isso..."

Se o amor da tua vida te deixasse, o que farias? É a pergunta que a capa deste livro deixa no ar, e que me fez logo pensar. Sinceramente não sei o que faria. 

Na vida as coisas nunca correm como planeamos ou queremos. Hoje o que é certo, amanhã deixa de o ser, e uma relação de cinco anos, aparentemente feliz poderá terminar. É o fim de uma relação e a superação da mesma que acompanhamos durante esta narrativa. Annie Adams nunca pensou ver-se sozinha, de um momento para outro, sem que um único sinal lhe tivesse sido dado. Apanhada num turbilhão de emoções, Annie tenta superar o melhor que pode e sabe este momento. 

É durante esta fase menos boa da sua vida que Annie conhece o charmoso e cativante Griffin, um talentoso chefe que irá fazê-la despertar de novo para a vida, fazendo-a sorrir, dando-lhe segurança, e vivendo uma paixão inesquecível. 

O leque de personagens presente neste romance é cativante, cada uma delas enriquece a narrativa, tendo um lugar muito próprio nos acontecimentos narrados. Annie foi uma personagem com que me identifiquei rapidamente. Uma mulher independente, talentosa, profissionalmente bem sucedida, um tanto ou quanto supersticiosa, uma viajante nata e que adora escrever. Tem uma coluna deliciosa num jornal sobre viagem, "De Partida", e levou-me a viajar por tantos cantos do mundo.  Este espírito aventureiro e viajante de Annie tem muito a ver com a sua infância e adolescência. Será que esta liberdade não esconde um desejo mais profundo?

Griffin é um homem charmoso, talentoso, lindo, compreensivo, apaixonado, excelente chef, que se apaixona perdidamente por Annie e está disposto a dar-lhe tudo o que ela merece e o que ainda não sabe que merece. 

Annie e Griffin são um casal encantador e durante a narrativa torci para que acabassem juntos. Para mim sempre foram a metade um do outro. Mas esta história de amor não podia correr lindamente, há sempre um passado, relacionamentos anteriores, que aparecem para assombrar esta recente felicidade. Annie fica confusa e dividida quando Nick, o seu ex-namorado, aparece de novo na sua vida. Vai travar uma luta interior que será importante para se descobrir a si própria e o que quer realmente da sua vida. 

Foi uma leitura que fiz num sopro. A autora brinda-nos com uma história cativante, com personagens credíveis, com situações com as quais nos identificamos e com mensagens fortes. Por mais planos que façamos as coisas nem sempre vão correr como se espera. Por vezes a vida surpreende-nos e cabe-nos a nós aceitar o desafio. É sem dúvida um livro inspirador.

Um livro que aconselho para os dias de verão que se avizinham. Vai apetecer-vos ler um livro leve e divertido.

Boas leituras! 

Acho Que Posso Ajudar de David Machado, Mafalda Milhões - Novidade Alfaguara


Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 40
Editor: Alfaguara
ISBN: 9789896722630
PVP: 11,90€

Sinopse
Dentro deste livro, há ratos, gatos, monstros, bruxas, corujas, palhaços com alergias, moleiros sem farinha, uma avó bem penteada, balões, estrelas, muita ventania e uma grande vontade de ajudar!

David Machado nasceu em Lisboa em 1978. É o autor dos contos infantis A Noite dos Animais Inventados (Prémio Branquinho da Fonseca, da Fundação Calouste Gulbenkian e do jornal Expresso), Os Quatro Comandantes da Cama Voadora, Um Homem Verde Num Buraco Muito Fundo, O Tubarão na Banheira (Prémio Autor SPA/RTP 2010 de Melhor Livro Infanto-Juvenil), A Mala Assombrada e Parece Um Pássaro. Escreveu ainda os romances Índice Médio de Felicidade, Deixem Falar as Pedras (2011) e O Fabuloso Teatro do Gigante (2006) e do livro de contos Histórias Possíveis (2008). Os seus livros estão publicados em Itália, França, Brasil e Marrocos. Os seus contos foram publicados em antologias e revistas literárias em Itália, Alemanha, Noruega, Reino Unido, Islândia, Sérvia e Marrocos.
Traduziu os livros O Herói das Mulheres, de Adolfo Bioy Casares, Obrigada pelo Lume, de Mario Benedetti, e Os Diários da Motocicleta, de Che Guevara.

Mafalda Milhões é uma mulher do Norte, nascida em Mirandela a 1 de Fevereiro de 1978. Não sabemos se não terá sido essa costela transmontana que a dotou do raro poder de acreditar nos projectos mais difíceis. É formada em Artes Gráficas, Conta histórias, é editora, livreira e também autora e ilustradora.
Uma Mediadora de Leitura que tem um sonho: construir uma comunidade de leitores inteligente, criativa e activa culturalmente.
Conhecedora do Universo da Literatura Infantil e dos processos de mediação, integra o grupo de dinamizadores do programa de itinerâncias da DGLB, ergueu um novo conceito de leitura integrado na educação. O reconhecimento nacional e internacional é público e leva esta artista a orientar projectos e equipas na área do livro e da educação dentro e fora do país.
Conta com mais de uma dezena de obras publicadas em Portugal e no estrangeiro, várias colaborações em exposições de ilustração colectivas e individuais.
A Livraria Histórias com Bicho, primeira livraria portuguesa especializada em literatura infantil - é um dos projectos que mais a caracteriza.

Opiniões 

«Quem assim escreve e desenha um livro infanto-juvenil mostra como soube guardar no espírito as suas próprias infância e juventude. (…) À fantasia e traquinice dos verdes anos juntaram a maturidade e o talento para dar corpo a este livro — que também os “coroas” gostarão de saborear.» Mário Zambujal

«Uma história sábia e humilde, contada com humor, que nos faz voar como o vento até às estrelas. Acho que posso ajudar é um livro de esperança por um mundo melhor.» André Letria 

«Este é um livro que acho que pode ajudar: a ter noites iluminadas com tinta azul-clara, a desatar balões que se prendem nas nuvens, a reaprender a ter medo de monstros, entre outras coisas maravilhosas; e, com muito humor, imaginação e beleza (numa história em que os vampiros não fazem falta), devolver-nos, a grandes e pequenos, bondade e poesia no quotidiano.» Afonso Cruz

Siga todas as aventuras da menina que acha que pode ajudar em https://www.facebook.com/achoquepossoajudar

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Estranho Lugar para Amar de Luísa Castel-Branco - Novidade Clube do Autor


Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 250
Editor: Clube do Autor
ISBN: 9789897241482
PVP: 15,00€

Sinopse
Estranho lugar para amar é um romance inspirado numa história verdadeira que nos transporta para um mundo de mistérios e dessa coisa estranha, o amor, carregada de futuro.
No concelho de Figueira de Castelo Rodrigo ficava a aldeia do Colmeal, um povoado com 14 famílias de origens antigas. O fado da aldeia ficou ditado no início da década de 40 com a chegada de uma nova proprietária. As disputas entre a enigmática fidalga e os camponeses desencadeiam o processo de expulsão violenta de todos os habitantes, processo que consta até hoje como uma das páginas mais negras do período da ditadura portuguesa.
Mas esta história é também sobre o Sítio que ficava para lá do monte, para lá do bosque, para lá de todos os caminhos… Entre o mistério da aldeia e os segredos do Sítio, o amor e o ódio determinam o destino de vidas e de lugares.


Luísa Castel-Branco nasceu em Lisboa em 1954. A sua vida esteve desde sempre ligada à comunicação: começou por colaborar no jornal Semanário e mais tarde fez parte do grupo fundador da revista Máxima.
Foi assessora de imprensa de vários gabinetes ministeriais, criou uma agência de comunicação dedicando-se à área do marketing político.
Em 1999, foi convidada a integrar o projecto CNL, onde começou a sua carreira televisiva. Depois do talk show «Luísa», apresentou o concurso «Dinheiro à Vista» (TVI), seguido de «Emoções Fortes» e «O Elo Mais Fraco» (RTP1). Na SIC Mulher, apresentou «Vícios e Virtudes» e participou ainda em «Eles por Elas».
Depois de em 2001 ter publicado Luísa - o seu primeiro livro - estreou-se no romance com Alma e os Mistérios da Vida, uma obra que convenceu a crítica e conquistou o público. 

terça-feira, 20 de maio de 2014

O Homem que Perseguia o Tempo [A minha Opinião]


"Para ele, um dos principais ingredientes do sucesso era reconhecer a diferença entre problemas resolúveis e irresolúveis. Tinha reparado que muitas pessoas despendiam grande parte do seu tempo preocupadas com aspetos que não tinham o poder de alterar. Se tivessem dedicado toda a sua energia a elementos que pudessem influenciar, as suas vidas teriam sido bem diferentes. Defendia que devemos concentrar-nos em projetos relativamente aos quais há certeza de um resultado."

Quando li a sinopse do livro, não pude deixar de ficar intrigada com a história. Estava bem presente o mistério, a estranheza e algo sombrio. Sem dúvida que a autora soube criar uma narrativa cativante, com personagens singulares, com acontecimentos estranhos. 

A história centrou-se na personagem de William Bellman, focando passagens da sua infância, percorrendo a sua vida de jovem de sucesso e culminando na sua vida de um adulto atormentado e muitas vezes aliado da realidade. Diane Setterfield construiu muito bem esta personagem, outrora uma criança e jovem feliz, que dá lugar a um homem atormentado, em constante luta diária com o tempo e com os seus sentimentos. 

Black, o homem vestido de negro, tem uma influência fora do normal em Bellman, e durante toda a narrativa foi construindo uma ideia acerca desta figura e que relação teria com Bellman. É em torno de Black e da gralha-calva que se adensa todo o mistério e o lado sombrio da narrativa.

Foi sem dúvida um livro que me impressionou, pelas sensações que desperta, pelas questões que lança, pelos temas que aborda, essencialmente o tema da perda associado à morte, o luto, as memórias que guardamos ou reprimimos, a vida, as escolhas que fazemos.

Com uma escrita fluída, nem dei pelo tempo passar e a leitura voou. É o poder que as palavras tem. Quando uma narrativa é construída com tamanha inteligência e singularidade, é impossível ficar indiferente. 

Não entrei em mais pormenores acerca da história, porque quero que se surpreendam com este livro. Vale a pena conhecer a escrita e talento de Diane Setterfield. Fiquei deveras curiosa por ler "O Décimo Terceiro Conto".

Leiam este livro, é imperdível. 

Boas leituras!

Sou um Clandestino de Susanna Tamaro - Novidade Editorial Presença


Coleção: Grandes Narrativas
Nº na Coleção: 578
Data 1ª Edição: 20/05/2014
Nº de Edição:
ISBN: 978-972-23-5293-2
Nº de Páginas: 128

Sou um Clandestino é o primeiro romance escrito por Susanna Tamaro, que permaneceu inédito até ao início de 2014. Uma obra que se insurge contra a solidão e o exalta o esplendor da vida.

Sinopse
O protagonista deste livro é um jovem de 25 anos que decide empreender uma viagem a Illmitz, uma pequena cidade numa região remota da Áustria onde a sua família vivera antes de se mudar para Itália. É uma viagem em busca das suas raízes - mas sobretudo em busca de um sentido para a sua inquietação, para a sua fragilidade. Com ele viajam também os seus fantasmas: Agnese, a irmã que morreu ainda criança; Andrea, o amigo de infância; a mãe, falecida também prematuramente. E há ainda Cecilia, a namorada. Dotada de uma sensualidade exuberante e de uma vitalidade instintiva, Cecilia é tudo aquilo que o protagonista não é. E é com essa imagem tão diferente de si próprio que ele vai ter de se reconciliar…

Susanna Tamaro nasceu em Trieste, Itália, no ano de 1957. Formou-se em Realização no Centro Experimental de Cinematografia de Roma. Durante dez anos trabalhou para a televisão como realizadora de documentários científicos. Atualmente é uma das escritoras italianas mais conhecidas e aclamadas em todo o mundo, e o conjunto da sua obra, que inclui títulos bem conhecidos do público português – Vai Aonde Te Leva o Coração, Com a Cabeça nas Nuvens, Para uma Voz Só, Escuta a Minha Voz ou Todo o Anjo é Terrível – vendeu vários milhões de exemplares à escala mundial.

Saiba mais sobre o livro Sou um Clandestino no site da Editorial Presença aqui

À Beira do Abismo de Raymond Chandler - Novidade Porto Editora


Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 240
Editor: Porto Editora
ISBN: 978-972-0-04660-4
PVP: 15,50€
Disponível a partir de 23-05-2014

Sinopse
Desencantado com o mundo à sua volta, Marlowe caminha por entre a decadente e rica classe alta de Los Angeles, onde grassam a corrupção e o crime. Investigando um caso de chantagem sobre Carmen Sternwood, uma das filhas de um velho milionário, as suas ilusões de «cavaleiro andante» depressa se desvanecem face a um mundo sórdido onde o dinheiro, o sexo e o jogo juntam forças contra a lealdade e a honra.

Raymond Thornton Chandler nasceu em Chicago em 1888. Aos sete anos, quando os pais se divorciaram, mudou-se com a mãe para Londres, onde se formou no Dulwich College. Durante a Primeira Guerra Mundial serviu no exército canadiano e na Royal Air Force. Regressou à América e prosperou como executivo de uma petrolífera, até que a Grande Depressão o forçou a mudar de rumo. Aos 45 anos começou a viver da escrita, publicou o seu primeiro conto em 1933 na revista Black Mask, escreveu sete romances protagonizados pelo mítico detetive Philip Marlowe e alguns guiões para Hollywood que se tornaram clássicos do noir e o levaram a trabalhar com o ator Humphrey Bogart e o realizador Howard Hawks, entre outros. Morreu em 1959 em La Jolla, Califórnia.

Primeiras páginas do livro disponíveis aqui.

Resultado Passatempo - Sinto-te


Olá!
Aqui fica o resultado do Passatempo, realizado pelo blogue Manta de Histórias com o apoio da Suma de Letras.
Tivemos 121 participações.
O sorteio foi realizado através do programa random.org.
O número sorteado foi o nº 109!


Muitos Parabéns Fátima Gonçalves - Pias MNC
Acaba de ganhar um exemplar do livro Sinto-te.

Agradeço a todos os participantes pela participação no passatempo e à Suma de Letras pelo apoio dado.
Continuem a visitar e a participar activamente no blogue.
Boas leituras!

O Poder dos Livros


segunda-feira, 19 de maio de 2014

Mar Humano de Raquel Ochoa - Novidade Marcador


Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 240
Editor: Marcador
ISBN: 9789897540585
PVP: 17,00 €
Disponível a partir de 20-05-2014

Sinopse
Mar Humano" parte da ligação turbulenta entre duas pessoas e penetra em temas como a longevidade da vida humana, a responsabilidade que os sentimentos acarretam, a luta pela liberdade de expressão e o impacto da ciência na evolução da consciência. Um brinde à coragem de cada indivíduo em ser autor da sua própria vida.Um romance que nos envolve entre a magia da escrita e o rasto da história de Portugal. 

Raquel Ochoa viaja mais do que escreve, mas as viagens têm-lhe dado muito que escrever, ou não tivesse começado a sua trajetória literária com O Vento dos Outros, o retrato de uma longa deambulação pela América do Sul, também publicado pela Marcador. De seguida publicou Bana – Uma Vida a Cantar Cabo Verde, a biografia de um dos mais importantes intérpretes lusófonos. A Casa-Comboio, a saga de uma família indo-portuguesa, reconheceu-o como revelação com o Prémio Agustina Bessa-Luís. Em 2010 publicou a biografia de D. Maria Adelaide de Bragança, a quem chamou A Infanta Rebelde. Misturando ficção e literatura de viagens, publicou Sem Fim à Vista, um périplo pelo Oriente e Oceânia centrado na debilidade do ser humano quando perde a saúde perante um mundo inteiro ainda por explorar.

Amanhecer ao Luar [A minha Opinião]


"Nenhum homem olhara alguma vez para ela daquela maneira, como se ela fosse o que mais queria no mundo, o que precisava,o que apenas ela lhe podia dar."

"A minha filosofia é mais do género que é melhor ter amado e perdido do que nunca ter amado."

Já não é novidade nenhuma que sou uma fã dos livros de Jude Deveraux. Este novo livro, Amanhecer ao Luar, encheu-me as medidas. ADOREI este livro! Dei por mim a sorrir e a soltar gargalhadas vezes sem conta durante a leitura. São poucas as autoras e livros que têm este efeito em mim.

Foi uma leitura que me deu um prazer enorme em ler, pela leveza da escrita, pelo maravilhoso romance, pelas personagens tão bem construídas, por voltar à maravilhosa povoação de Edilean e por me fazer sonhar.

Mais uma vez voltei a bela povoação de Edilean, para ver nascer um novo amor. Para acompanhar a amizade verdadeira de Jecca e Kim. Para conhecer as fabulosas Mistress Wingate e Lucy. E por último mas não menos importante e doce Nell, uma criança encantadora. Tristan e Jecca serão desta vez o maravilhoso par romântico da história. E que história!

Tristan, um homem por quem todas as mulheres suspiram, e desconfio que muitas leitoras também. Um médico bem sucedido, solteiro, lindo de morrer, bondoso e com uma paixão enorme por orquídeas. Um homem destes só existe mesmo na ficção. É muito bom para ser verdade. Ai, ai! Jecca é uma artista, trabalha numa galeria de arte em Nova Iorque, solteira, talentosa, criativa, sonhadora. Estas duas personagens juntas são maravilhosas.

No ambiente acolhedor e familiar de Edilean vejo nascer e crescer um amor, que à partida tem os dias contados. O que Tristan e Jecca não sabem é, que este amor é capaz de superar todos os obstáculos e anseios profissionais.

Os primeiros encontros entre as personagens principais são maravilhosos, encantadores. Jude Deveraux cria esses encontros inspirando-se no mito de Cupido e Psique, tornando-os uma delicia. Foi para mim uma das partes do livro que mais me conquistou e inspirou, por serem momentos tão perfeitos.

Como sou uma romântica incorrigível, não podia estar mais maravilhada com este romance. Foram sem dúvida muitos os momentos de encanto e ternura. Já estou a contar os dias até ao próximo livro, que sem dúvida será tão bom quanto este. O final do livro deixou algo em aberto, que espero tenha continuação no próximo livro da série.

Uma leitura que ADOREI e recomendo. Leiam e desfrutem de bons momentos de leitura e quem sabe ainda vos aconteça como eu, e não deixem de sorrir.

Boas leituras! 

Resultado Passatempo - O Homem que Perseguia o Tempo


Boa tarde!
Trago-vos o resultado do Passatempo, realizado pelo blogue Manta de Histórias com o precioso apoio da Marcador.
Desde já quero agradecer a todos os seguidores pelas vossas participações neste passatempo. Tivemos 178 participações, o MELHOR RESULTADO DE SEMPRE nos passatempos do Manta de Histórias! Muito obrigada a todos! 
O sorteio foi realizado através do programa random.org.
O número sorteado foi o nº 59!


Muitos Parabéns Nuno Antunes - Sines
Acaba de ganhar um exemplar do livro O Homem que Perseguia o Tempo.

Agradeço a todos os participantes pela participação no passatempo e à Marcador pelo apoio dado.
Continuem a visitar e a participar activamente no blogue.
Boas leituras!

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Primeiro Amor [A minha Opinião]



"(...) se tivéssemos instruções para tudo, não seria vida. Seria uma tarefa. Trabalho desagradável. Não saber é uma parte importante do plano."

Primeiríssimo romance que leio de James Patterson e só vos posso dizer que é encantador. O facto de saber que esta história se baseia no próprio passado do autor, comove ainda mais. Além de contar uma história de aventura, de perigo, de liberdade, conta também uma história de amor, de sofrimento, de luta, de perda. 

Axi e Robinson são os melhores amigos. Conheceram-se numa altura difícil das suas vidas e mantêm essa amizade até então. Talvez por terem sofrido juntos, a ligação que os une é mais forte e a amizade é verdadeira. 

Axi é uma excelente aluna, cheia de sonhos, secretamente apaixonada por Robinson e que anseia por liberdade. Robinson por seu lado é o bom rebelde, divertido, corajoso, aventureiro. 

Quando Axi convida Robinson para a maior aventura da vida deles, Robinson não pensa duas vezes. Axi foge de casa e da sua vida, ansiosa por começar esta aventura. 

Axi quando planeara a viagem não contava com tantas atribulações. É colocada à prova de uma maneira que nunca esperou. A responsabilidade da lugar à irresponsabilidade e ao perigo, e uma vez ultrapassada essa barreira é impossível voltar atrás. 

Axi e Robinson deixam-se levar pelo sentimento de liberdade e aproveitam ao máximo para desfrutar do bom que esta viagem tem para lhes oferecer. Mas uma série de acontecimentos perigosos e dramáticos, vão fazê-los duvidar. Só o amor recém descoberto por ambos lhes vai dar forças e coragem para a prova de fogo que têm novamente nas suas vidas. 

Esta história não é um simples romance entre adolescentes, mas sim uma grande lição de vida, à qual nos devemos agarrar. O tempo não espera e avança contra nossa vontade. E tempo é o que este primeiro amor não tem. Por essa razão todos os minutos contam, e mais vale amar e sofrer do que não amar. 

A escrita simples de James Patterson fez-me viajar por entre páginas de liberdade, de emoções, de amor e de perda. É sem dúvida um romance comovente e inspirador. É fácil deixar-se envolver por esta história e quando menos espero já a última página li. 

Um livro que recomendo a todos os que acreditam no poder do amor.
Boas leituras!


quarta-feira, 14 de maio de 2014

A Frágil Doçura do Bolo de Limão [A minha Opinião]


Foram tantas e tão boas opiniões que li e ouvi a respeito deste livro que, não poderia deixar passar a oportunidade de ler este livro. As expectativas eram grandes em relação ao livro e de facto surpreendeu. 

Aimme Berder ofereceu-me uma história fora do comum, personagens especiais e acontecimentos fora do normal. Quando comecei a ler o livro, não sabia o que esperar, mas sabia que ia ser surpreendida.

Imagine uma criança que tem o dom de percepcionar sentimentos através da comida. Rose descobriu este dom quando comeu a primeira fatia de um bolo de limão feito pela mãe. Depois deste acontecimento, Rose vai tentar perceber o que se passa com ela, sente um medo terrível quando come e só quer que aquele dom ou poder desapareça. 

A autora tem uma escrita brilhante na maneira como descreve o dom de Rose e dá sentimentos aos alimentos. Esta particularidade enriquece a narrativa e dá à história um quê de originalidade. As personagens são incríveis e assentam que nem uma luva a esta história. 

Com o avançar da narrativa notei um evoluir da personagem principal, Rose. Enquanto criança e adolescente debate-se com este dom. Descobre muitos segredos familiares com os quais não sabe como lidar ou o que sentir, prefere remeter-se ao silêncio. Com o passar dos anos aprende a aceitar e a controlar este dom, recorrendo à própria comida e a uma grande força de vontade.

Joseph, irmão de Rose, foi também uma personagem que gostei muito. É um rapaz estranho mas inteligente, de poucas palavras, isola-se a maior parte do tempo no seu quarto e no seu mundo. Com o avançar da história sentimos o mistério a adensar-se em redor desta personagem. Revelado no final o seu segredo, percebemos em que mundo viveu Joseph durante a narrativa. 

Foi uma leitura que me surpreendeu pela originalidade, pela escrita da autora, pela magia, pelos personagens que de certa forma me parecem estranhos mas que me conquistaram. Uma história fora do normal que me fez encontrar um mundo mágico. 

Recomendo esta leitura sem dúvida alguma. Deixem-se envolver pela doçura do bolo de limão. 
Boas leituras!

Saiba mais sobre o livro no site da Marcador aqui, ou no site da Editorial Presença aqui

Contágio de Jonah Berger - Novidade Clube do Autor


Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 236
Editor: Clube do Autor
ISBN: 9789897241444
PVP: 15,50€

Sinopse
Contágio é um livro baseado em pesquisas inovadoras na área das ciências sociais e revela histórias poderosas sobre os nossos hábitos de vida e de consumo. Se alguma vez se interrogou porque são partilhadas certas histórias, porque são reencaminhados alguns e-mails, ou porque há vídeos que se tornam virais, este é o livro certo para si.
Das pulseiras Livestrong ao iogurte grego, passando pela música «Gangnam Style» à moda das dietas, este livro refere alguns dos mais conhecidos exemplos de fenómenos virais. Ou seja, são casos em que certos produtos, ideias ou modos de vida se difundiram pela sociedade em larga escala. Jonah Berger explica quais os passos a seguir para transformar um produto num fenómeno viral.

Jonah Berger é professor de Marketing na The Wharton School e é considerado um prodígio da disciplina. Além de lecionar, o autor dedica-se à investigação sobre a influência social e já publicou vários artigos sobre a temática nos meios académicos e também na imprensa generalista, com destaque para o The New York Times, The Wall Street Journal, The Washington Post, Wired ou BusinessWeek. Berger recebeu várias distinções, nomeadamente os prémios Iron Professor Teaching Award e MBA Curricular Innovation Award da Wharton School.

Os aromas do amor de Dorothy Koomson - Novidade Porto Editora


Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 472
Editor: Porto Editora
ISBN: 978-972-0-04618-5
PVP: 16,60€
Disponível a partir de 20-05-2014

Sinopse
Procuro a combinação perfeita de aromas; o sabor que eras tu. Se o encontrar, sei que voltarás para mim. Há 18 meses atrás, Joel, o marido de Saffron, foi assassinado, e o culpado nunca foi descoberto. Agora, fazendo os possíveis para lidar com a perda, Saffron decide terminar Os aromas do amor, o livro de receitas que Joel tinha começado a escrever antes da sua trágica morte. 
Quando, finalmente, tudo parece ter voltado à normalidade, a filha de 14 anos de Saffron faz uma revelação chocante que abala a relação entre ambas. E, ao mesmo tempo, o assassino de Joel começa a enviar cartas afirmando a sua inocência. 
Será um grande amor capaz de sobreviver à maior das perdas?

Sobre a autora
Apaixonada desde sempre pela palavra escrita, Dorothy Koomson escreveu o seu primeiro romance aos 13 anos. A filha da minha melhor amiga foi o seu primeiro livro editado em Portugal. A história comovente de duas amigas separadas pela mentira e unidas por uma criança encantou as leitoras portugueas. Pedaços de ternura, Bons sonhos, meu amor, O amor está no ar e Um erro inocente, O outro amor da vida dela e A praia das pétalas de rosa foram igualmente bem-sucedidos, consagrando a autora como uma referência para as leitoras portuguesas. 
Descubra mais em: www.dorothykoomson.co.uk

terça-feira, 13 de maio de 2014

Ninguém me conhece como tu [A minha Opinião]



Os verdadeiros amigos conhecem-nos melhor do que nos conhecemos a nós próprios e estimam-nos mais do que imaginamos...

Se soubesse que ia deixar este mundo mais cedo faria tudo diferente?

Este é já o terceiro livro que leio da autora Anna McPartlin. Desde que li o "Estarás Sempre Comigo", o qual adorei, tornei-me fã da escritora. Já li igualmente o "Sempre que dizemos adeus" (Opinião aqui) e quando soube que a Quinta Essência ia publicar mais um livro seu, sabia que o teria de ler. 

Como em todos os livros da autora, o amor e a amizade, a vida e a morte, são temáticas e problemáticas bem presentes. Neste último romance a amizade e a perda estão bem patentes.

Duas amigas que se separaram por circunstancias da vida e que voltam a encontrar-se, vinte anos depois, devido a um grave acidente.

A narrativa começa com uma viagem ao passado, ao passado onde Eve e Lily são as melhores amigas. Nessa altura estavam separadas e mantém contacto através de cartas. São estas cartas que ao longo da narrativa vão fazer a ponte entre passado e presente. No tempo presente sabemos que estão afastadas uma da outra, que não sabem nada da vida da outra à mais de vinte anos, mas que frequentemente se recordam dessa amizade que ficou lá atrás. 

Gostei da personalidade de Eve e Lily. São duas mulheres fortes, decididas, realizadas profissionalmente. Cada uma delas lutou à sua maneira para alcançar os objectivos de vida a que se propuseram. Mas, qualquer coisa falta nas suas vida, falta aquela amizade sincera, cúmplice, corajosa, que deixaram lá atrás e que terminou sem um adeus, sem uma oportunidade de explicação.

Ao longo da narrativa, a vida ou o destino parece conspirar para que estas duas amigas se voltem a encontrar. Há uma sucessão de acontecimentos que levam a que isto aconteça. Um grave acidente deixa Eve muito mal tratada e esta é internada no hospital onde Lily, sua amiga de infância trabalha. Nada pode impedir este encontro e tudo o que dele poderá resultar. 

Este reencontro trará à memória muitos acontecimentos passados, muitas palavras que ficaram por dizer e trará à tona novamente o imenso amor que estas duas amigas sentem uma pela outra. 

O reencontro destas amigas será o rastilho para todos os conflitos, lutas interiores, conquistas, de Eve e Lily. Esta recuperada amizade trará conforto e segurança aos maus momentos por que passa Eve na sua recuperação e também ajudará Lily a libertar-se de um marido abusador e controlador, e de um casamento que não pode ser salvo. 

Além de Lily e Eve, há mais personagens que nos marcam, Clooney que é irmão de Eve, solteiro, que ama a liberdade e ajudar os outros, mas que não se consegue comprometer com ninguém. Declan é o marido de Lily, um reconhecido médico, mas com sérios problemas emocionais, é controlador, autoritário, abusador, uma personagem que nos faz perder o controle. Paul é um dos amigos de Eve, é compreensivo, muito reservado, e que demorou a encontrar o seu verdadeiro eu. Todas elas contribuem para a riqueza da narrativa, com as suas personalidades, com as suas histórias de vida e com as relações que mantém com as personagens principais. 

Anna McPartlin criou uma história que bem podia ser real, com personagens que tocam o coração do leitor ou fazem sentir uma raiva imensa, com vivências que de alguma forma nos tocam, mas acima de tudo, é uma história que cria emoções. Com a sua escrita simples e inteligente, viajamos pela narrativa sem darmos pelo tempo passar. A autora tem uma forma singular de transformar a perda, a saudade, a tristeza, em algo agradável de se ler. 

Um livro que os fãs de Anna McPartlin não podem perder. Quem ainda não conhece tem aqui uma agradável e emocionante leitura para fazer. 

Boas leituras! 

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Amanhecer ao Luar de Jude Deveraux - Novidade Quinta Essência


Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 360
Editor: Quinta Essência
ISBN: 9789897261190
PVP: 15,50€
Disponível a partir de 27-05-2014

Sinopse
Com esta nova trilogia situada na bela povoação de Edilean, na Virgínia, Jude Deveraux conta-nos a história de três jovens mulheres, melhores amigas da faculdade, das suas vidas, dos seus amores e dos sonhos que pretendem realizar.
Por sugestão da sua grande amiga Kim, Jecca Layton deixa de lado o mundo da arte de Nova Iorque para passar o verão entregue à sua paixão, a pintura, enquanto desfruta da unida comunidade artística de Edilean.
O primo de Kim, Tristan Aldredge — o atraente e dedicado médico da povoação — sente há anos uma profunda atração pela «irmã» universitária da prima, embora até então só a tenha visto uma vez na vida; agora, Jecca sente-se cativada pelos encantos deste homem forte e sensível num verão de prazer sensual.
Porém, quando as nuvens negras anunciam o regresso de Jecca à «vida real» e à grande cidade, os amantes devem tomar uma decisão: poderão sobreviver à separação? E qual dos dois sacrificará parte dos seus sonhos para poderem continuar juntos?

Jude Deveraux é autora de uma vasta obra, com mais de 30 títulos publicados, que marcam regularmente presença na lista dos livros mais vendidos do New York Times, incluindo First Impressions, Carolina Isle, Holly Always, Wild Orchids, Forever and Always, The Mulberry Tree, The Summerhouse, Temptation e Secrets. Os seus livros, bestsellers em vários países, já venderam mais de 50 milhões de exemplares em todo o mundo.
Jude Deveraux nasceu em 1947 em Fairdale, Kentucky. Licenciou-se em Arte na Universidade de Murray. Foi professora durante alguns anos, antes de se dedicar exclusivamente à escrita. Actualmente vive na Carolina do Norte. 

A Improvável Viagem de Harold Fry [A minha Opinião]



A improvável viagem de Harold Fry, apesar de inesperada foi incrível, inspiradora, poderosa. Harold Fry, um sexagenário reformado, pouco activo, desanimado, desiludido com a vida, vê tudo mudar com a chegada de uma carta. Uma amiga de longa data, está doente e escreve-lhe a despedir-se. Harold decide escrever-lhe de volta e colocar rapidamente a carta num marco de correio. Quando chega ao momento de enviar a carta sente que esta não é a melhor forma de se despedir da amiga, que ela merece mais que umas palavras escritas. Por impulso e por uma súbita vontade de caminhar, decide empreender uma caminhada até Berwick, onde se encontra a sua amiga. 

Harold quer acreditar que se caminhar poderá salvar a amiga da terrível doença. Esta caminhada tem tudo para falhar. Harold sempre foi pouco activo, não está habituado a caminhar, a caminhada não foi planeada, tem só a roupa que tem no corpo e os seus sapatos de vela. Tudo indicadores que nos fazem pensar que o homem está maluco se pensa conseguir atravessar o país de uma ponta a outra. 

Com o evoluir da história vamos conhecendo a personagem principal Harold, a sua mulher Maureen, a sua amiga Queenie e o seu filho David. Descobrimos com o avançar da leitura que esta caminhada para Harold não é só para a salvação da amiga, mas é também para a sua própria salvação. Esta caminhada desafia Harold, um homem que não vivia mas sobrevivia, que se tinha apagado, que não tinha animo nem vontade para fazer nada, dá-lhe um motivo para seguir em frente.

A pouco e pouco é desvendado ao leitor o passado e o presente de Harold, e aos poucos compreendemos o porquê da personalidade tão recatada e tão insegura de Harold. Somos feitos do nosso passado, das nossas vivências e tudo isso faz de nós o que somos, e este personagem não poderia ser de outra maneira. 

Durante a caminhada Harold irá conhecer outras histórias de vida que o irão encher de coragem para continuar a viagem.

Houve momentos da caminhada que sentimos a confiança de um novo homem e outros em que a dúvida, o cansaço e o desespero matam essa confiança e dão lugar ao medo. 

Acima de tudo esta é uma história bem contada, com a qual todos nós nos vamos identificar. Quantos de nós não sentem dúvidas a respeito do percurso que tomamos, das escolhas que fizemos e fazemos, dos sonhos que temos adormecidos e não temos coragem de lutar por eles. Esta não é a história de Harold, esta é uma história que tem um pouco de todos nós. 

Nos últimos capítulos, quando penso que não haverá mais surpresas na leitura, eis que a autora ainda me surpreende. Será com esta surpresa que compreenderemos a jornada e o propósito da caminhada.  

Rachel Joyce conquistou-me com esta narrativa. Com a sua escrita inteligente, reconfortante, cativante. Foi sem dúvida uma excelente contadora de histórias. As mensagens que ficam são sem dúvida inspiradoras.  

Não sei se consegui colocar em palavras a essência deste livro, mas espero pelo menos ter-vos incutido alguma curiosidade. É um livro que vale a pena ler e que vos irá fazer reflectir e emocionar. 

Boas leituras!  

Passagens marcantes

"Há tantas coisas na mente humana que não entendemos. Mas, está a ver, se tiver fé, pode fazer tudo e mais alguma coisa."

"Todos nós temos coisas que desejaríamos ter feito ou que não desejaríamos ter feito."

"Não sou capaz de explicar porque é que acho que vou conseguir, quando tudo indica que não vou. Mas é isso que eu acho. Mesmo quando uma imensa parte de mim me diz que devia desistir, eu não consigo desistir. Mesmo quando não quero continuar, continuo."

"Uma pessoa podia estar a fazer uma coisa que fazia todos os dias - passear o cão do companheiro, calçar os sapatos - sem saber que estava prestes a perder tudo aquilo que queria."

"Uma vida não era vida, se vivida sem amor."

"Os começos podiam acontecer mais do que uma vez, ou de diferentes maneiras. Podíamos pensar que estávamos a principiar uma coisa, quando, na realidade, estávamos apenas a continuá-la. Enfrentara as suas insuficiências e vencera-as, e, por isso, a verdadeira caminhada só agora começara."

"Dar era tanto uma dádiva como receber; ambas exigiam de uma pessoa coragem e humildade."

"Se não sabe a nada, não é mau. Se tem um sabor agradável, é um banquete..."

"E se tentar encontrar um caminho, quando nem sequer sabemos se conseguiremos lá chegar, não é um pequeno milagre, então não sei o que possa ser um milagre, pequeno ou grande..."